Páginas

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

JUIZ ELEITORAL NEGA DIREITO
DE RESPOSTA A ORTIZ JUNIOR

Mais de 14 mil internautas viram que votar no 45 é jogar o voto no lixo. Clique sobre o gráfico para ampliá-lo
“O rio corre para o mar”, diz o provérbio português.

Nada mais proverbial, portanto, que a fala de Isaac do Carmo em seu programa eleitoral quando disse que os votos em Ortiz Junior seriam anulados.

Ortiz foi à Justiça Eleitoral pedir direito de resposta por entender que a propaganda eleitoral de Isaac do Carmo continha irregularidade pela afirmação feita.

Segundo a Gazeta de Taubaté, em seu sítio, “O Ministério Público entendeu que a informação seria inverídica, mas o magistrado optou por rejeitar a representação, discordando da análise da Promotoria e negando o pedido de direito de resposta.

Mais...

Para o juiz, a afirmação não se trata de uma “inverdade indiscutível”, uma vez que existe a possibilidade de os votos serem considerados nulos posteriormente.”.

Só os mais fanáticos eleitores do tucano ainda creem em uma reviravolta milagrosa, que permitirá a Ortiz disputar a eleição sem maculá-la.

ANÚNCIO ANTECIPADO

Quem lê nas entrelinhas, no entanto, sabe que, ao sentenciar que a afirmação do petista Isaac do Carmo não é uma “inverdade indiscutível”, o juiz eleitoral de Taubaté antecipou o que todos já sabem.

Os votos em Ortiz Junior serão invalidados e ponto final.

Antecipamos ontem (27/09) neste blog a invalidação dos votos que o tucano obtiver na eleição de domingo (02/10). (Leia aqui)

A publicação tem mais de 14 mil acessos até este momento (confira no gráfico acima).

O juiz eleitoral de Taubaté deve informar entre sexta-feira (30/09) e sábado (01/10) a situação eleitoral de Ortiz Junior.

Ou seja, a Justiça Eleitoral vai alertar os taubateanos que os votos em Ortiz Junior ficarão ”congelados” até o trânsito em julgado da cassação sofrida pelo tucano.

NÃO PERCA SEU VOTO!

FALSIFICAÇÃO FORJADA POR
BETO ORTIZ DÁ 6 ANOS DE CADEIA

Página de Beto Ortiz no Facebook onde ele falsifica, em nome de Ortiz Jr,,
documento oficial do TSE para ludibriar eleitores.
É crime punido com prisão de até 6 anos (ART. 297 DO CPB)

A frase do ministro Herman Benjamin, na sessão de 1º de agosto, no TSE, que confirmou a cassação de Ortiz Junior, foi lapidar:

Na essência, estamos tratando de educação. Não é uma banalidade. Quem faz isso com educação, faz qualquer coisa

Portanto...

Quem falsifica documento é falsário, embusteiro, que se vale da mentira para alcançar seus objetivos.

Alguém me disse que a família Ortiz funciona como uma empresa, uma sociedade limitada. Quem dela se aproxima vira serviçal.

Os sabujos que cercam o clã estão ávidos por um pedaço de pão que caia da mesa em que os Ortiz se banqueteiam.

A empresa ”Ortiz” funciona como um relógio. Cada membro do clã tem uma função específica.

Foi assim com Jandyra Emilia de Souza Ortiz, a matriarca, que usou o Facebook para atacar duramente o deputado Padre Afonso quando este abandonou o barco do filho Ortiz Junior para apoiar Pollyana.

A irmã Patrícia Diana Edith Belfort de Souza Camargo Ortiz Monteiro é diretora da Empresa de Pesquisa, Tecnologia e Serviços (EPTS), nomeada pla reitoria da Unitau. Não se sabe se por competência ou parentesco.

O irmão João Roberto Ortiz Monteiro Neto - Beto é uma espécie de comunicador da campanha do tricassado Ortiz Junior.

É Beto Ortiz o responsável pelo acompanhamento das postagens e comentários feitos no Facebook. Intervém em todos, com comentários curtos, entanto, em vão, desmentir as postagens críticas.

Beto Ortiz é o falsificador da página da candidatura do irmão Ortiz Junior no Divulgacand do TSE, como pode ser constatado abaixo.

Falsificar documento público é crime previsto no art. 297 do Código |Penal Brasileiro. Dá de 2 a 6 anoa de cadeia.
Acima, a página de rosto do registro da candidatura de Ortiz Junior falsificada por seu irmão Beto.  Abaixo, a original.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

VOTOS EM ORTIZ JR NÃO SERÃO
VALIDADOS, INFORMA SÍTIO DO TSE

Votos dados a Ortiz Junior não serão validados, adianta sítio de apuração da eleição do TSE. Não perca seu voto!
(CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA VÊ-LA AMPLIADA)
O TSE já tem pronta a página em que aparecerão a votação obtida pelos candidatos a prefeito de Taubaté.

Notem que há uma marcação com o “jogo da velha” na frente do nome de Ortiz Junior.

O candidato nº 003, nas duas zonas eleitorais de Taubaté (141 e 407) não terão votos validados.

Quem não liga para o próprio voto e quer jogá-lo no lixo, a hora está chegando.

Lá embaixo, o “jogo da velha” explica que os votos em Ortiz Junior não serão computados

NÃO PERCA SEU VOTO! NÃO VOTE 45!

TAUBATÉ CAMINHA PARA O
TERCEIRO TURNO ELEITORAL

Votar em Ortiz é jogar seu direito de escolher no lixo. É isto que você quer?
A eleição deste domingo pode se transformar num grande fiasco para os candidatos a prefeito de Taubaté. A inação dos concorrentes ao Palácio do Bom Conselho pode propiciar a realização de um novo pleito em 2017, caso o do próximo dia 02/10 seja anulado.

O tempo excessivo no horário eleitoral gratuito, a agressividade na campanha eleitoral de rua, com farta distribuição de “cartinhas” personalizadas a incautos eleitores que se sentem “prestigiados” com a atenção do candidato tucano são parte do problema dos demais candidatos.

Ortiz Junior não tem pejo em mentir. Distribui nas redes sociais ”jingles” maldosos, associando os adversários a políticos com grande rejeição em Taubaté, uma cidade conservadora e politicamente atrasada.

O único esquerdista a vencer uma eleição nesta urbe quase quatrocentona foi Lula, quando disputou a presidência em 2002.

A eleição deste domingo pode ser anulada se não alcançar os 50% + 1 dos votos válidos.

Haverá segundo turno se a votação do primeiro colocado for inferior a 50%.

Neste caso, Pollyana Gama (PPS) vai para a disputa com Saud (PMDB) ou Isaac do Carmo (PT). É bom lembrar que o PT tem uma militância aguerrida  pode surpreender.

Um jurista taubateano faz o alerta:

“Se um candidato eleito (eleições majoritárias) tiver seu registro indeferido ou seu diploma ou mandato cassados, com decisão transitada em julgado, serão realizadas novas eleições, independentemente do número de votos obtidos pelo candidato.”

Ortiz Junior teve o mandato cassado pelo TSE, mas a sentença ainda não transitou em julgado. O resultado da sessão de 1º de agosto deste ano ainda não foi publicado.

A cassação do mandato de Ortiz Junior redundou em seu afastamento da Prefeitura e o consequente indeferimento de sua candidatura à reeleição porque o tucano está inelegível por 8 anos.

O art. 145 da resolução 23.456/15 é claro como a luz do sol.

Art. 145. Serão nulos, para todos os efeitos, inclusive para a legenda:

I - os votos dados a candidatos inelegíveis ou não registrados (Código Eleitoral, art. 175, § 3º; e Lei nº 9.504/1997, art. 16-A);

II - os votos dados a candidatos com o registro indeferido, ainda que o respectivo recurso esteja pendente de apreciação;

Portanto, quem sufragar o nome de Ortiz neste domingo estará contribuindo fortemente para a anulação da eleição e a realização de outro pleito municipal entre 20 e 40 dias após a eleição anulada, conforme o art. 224 do Código Eleitoral.

NÃO PERCA SEU VOTO!

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

POLLYANA INTERPELA SILVIO PRADO.
QUEIXA-CRIME FOI PROTOCOLADA HOJE

Pollyana interpela judicialmente Silvio Prado na 407ª zona eleitoral
Acabo de receber da assessoria da vereadora Pollyana Gama o release abaixo, informando que foi dada entrada a uma queixa crime contra o candidato do PSOL, professor Silvio Prado.

Eis o release, na íntegra:

“A candidata a prefeita de Taubaté pela coligação JUNTOS TAUBATÉ ACONTECE, Pollyana Gama, apresentou queixa crime contra o candidato do PSOL, Prof. Silvio Prado, na segunda-feira, 26.

A queixa foi protocolada pelo departamento jurídico da campanha na 407ª Zona Eleitoral de Taubaté em função de acusações caluniosas do candidato adversário contra a reputação de Pollyana. Silvio Prado afirmou em locais públicos distintos que a candidata seria proprietária de um apartamento em Ubatuba não declarado à Justiça Eleitoral.

Anteriormente, Pollyana já havia esclarecido que o referido imóvel não é de sua propriedade e que, na verdade, foi adquirido pela família de seu ex-marido na época em que ainda eram casados em regime de comunhão parcial de bens.

Ainda assim, os insistentes boatos contra sua conduta, no forte e único propósito de conturbar sua candidatura, levaram sua equipe jurídica a requerer judicialmente os reparos necessários.”