Páginas

terça-feira, 22 de abril de 2014

PERDAS

Silvio Prado, professor

Fico triste quando lembro do Osmar Santos, sua voz quase elétrica, quase incendiária, repleta de criatividade e bom humor, nas transmissões esportivas pelas emissoras em que passou. Hoje, infelizmente, ele está calado.

No inesquecível comício das Diretas, no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, diante de mais de um milhão de pessoas, mesmo anunciando grandes feras da política nacional e gente incomparável na arte do discurso político, Osmar  Santos não ficou por baixo e cumpriu o seu papel como se estivesse diante de um estádio cheio num jogo de grande decisão.

Ele, em nenhum momento da manifestação, deixou a emoção daquela massa imensa refluir. Não esqueço com que carinho anunciou Taiguara, um dos compositores mais odiados e perseguidos pela ditadura. Quando anunciou a fala de Lula, os prédios das imediações daquele Vale pareciam balançar e prontos para cair.

No meu entendimento, Osmar Santos, na sua locução, mostrava plena identidade com o modo de ser daqueles que gostam de futebol e o discutem acaloradamente em qualquer lugar, principalmente nos bares e botequins mais chinfrins do país. Ele não era só futebol, mas identidade com esse algo muito maior que eternamente toca a alma do país.

Porém, um dia, numa estrada paulista, Osmar foi vítima de um acidente criminoso, ficou em coma por vários dias e milagrosamente sobreviveu. Hoje ele expõe certamente a mais dura seqüela suportada por alguém que tinha na fala a maior expressão de sua arte. Penso que sem a sua voz as transmissões esportivas brasileiras caíram num vácuo de muita apelação e pouca criatividade.

Agora, para completar a tristeza no cenário esportivo, desaparece Luciano do Vale, homem de televisão e não do rádio, mas com o mesmo impulso criativo e generoso de Osmar Santos. E, portanto, o vazio da criatividade e da fala que interpretam as imagens de uma partida de futebol parece agora mais ampliado.

Por essas coisas e fatos é que acho o Brasil, apesar de recheado de festas e grandiosas comemorações de pura alegria, um país fadado à tristezas, pois perde, inexplicavelmente, sempre muito cedo, personalidades identificadas com o modo de ser e de expressar de seu povo. Olha que eu só falei de Osmar Santos e Luciano do Vale, e nem de longe toquei em Elis Regina, Gonzaguinha e tantos outros que tinham ainda tanto a fazer e, principalmente, dizer, e foram calados pela fatalidade.

A VERGONHA DO LEITE BATIZADO

José Carlos Cataldi, jornalista e advogado

A empresa LBR, fabricante dos leites Parmalat e Líder, está convocando recall para devolver o dinheiro de quem comprou alguma das 300 mil caixas de produtos de lotes em que a fiscalização encontrou concentração de formol, usado para mascarar a diluição com água.

Tipo da situação em que o simples recall não basta, em meu modesto ponto de vista. Não é a primeira vez em que produtores de leite longa vida são apanhados fraudando a composição do produto.

E mais, o formol é cancerígeno...

E quem já bebeu o leite dessas marcas, produzido entre 13 e 14 de fevereiro? Como fica?

Pior! A LBR só está fazendo o recall porque perdeu o recurso judicial que postergava o recolhimento do produto até a análise final. Extrema irresponsabilidade que deveria merecer punição exemplar do governo, não a simplória imposição do recall.

Atenção consumidores: 100 mil litros do leite Parmalat dos lotes condenados foram vendidos em Guaratinguetá, aqui no Vale do Paraíba. 200 mil, da marca líder, foram vendidos em Lobato, no Paraná.

E dizer que muitas crianças podem ter bebido esse lixo, fruto da ganância.

Falei e disse!

segunda-feira, 21 de abril de 2014

ORTIZ JR E EDUARDO CAMPOS
REUNIDOS. QUEM TRAIU QUEM?

O prefeito (!?) Ortiz Junior (PSDB) conseguiu manter em segredo até esta segunda-feira (21/04) o encontro que manteve com o presidenciável Eduardo Campos (PSB) na noite de sábado (19), na residência da vereadora Graça e de seu marido, o vice-prefeito Edson Aparecido de Oliveira (PTB).
 
Reunião de Ortiz Junior e Eduardo Campos, na noite de sábado (19), ficou em segredo até esta 2ª-feira



Quem se sentirá mais traído? O presidenciável tucano Aécio Neves ou o presidente da Fiesp, Paulo Skaf (PMDB), candidato ao governo de São Paulo e patrão de Edson Aparecido no Senai?

Eduardo Campos veio ao Vale do Paraíba participar da missa da Páscoa em Aparecida no domingo (20). Aceitou o convite para se reunir com Ortiz Junior na noite de sábado (19).

O encontro foi mantido em segredo até a madrugada de domingo, quando algumas fotos foram publicadas nas redes sociais e compartilhadas pelos internautas.

Ortiz Junior aparece conversando animadamente com o presidenciável pernambucano, que está de mudança para São Paulo para se tornar mais conhecido dos eleitores.

Qual é a de Ortiz Junior? Esqueceu que tem compromisso com Aécio Neves, presidenciável do PSDB?

Qual é a de Eduardo Campos? Disputará os mesmos votos e os correligionários de Aécio Neves?

Quem está traindo quem?

Veja as fotos.





O CAUDILHETE ORTIZ JUNIOR E
A PERSEGUIÇÃO A PROFESSOR

O caudilho exonerado da FDE não está aposentado. Apesar da idade, ainda tem fôlego para frequentar seu “gabinete” em secretaria municipal e dirigir o caudilhete na condução do trágico destino desta urbe quase quatrocentona.

Como uma marionete, Ortiz Junior é manipulado pelo pai. Obedece cegamente ao velho caudilho. não se sabe se por temor reverencial ou por incompetência. Na dúvida, fico com as duas hipóteses.

A “competência” do atual prefeito (?!) de Taubaté foi demonstrada em São José do Barreiro, onde o seu Instituto Gondwana cobrou R$ 40 mil para elaborar o plano diretor do município.

O “instituto” não tinha competência para elaborar o Plano Diretor de São José do Barreiro. Resultado: o prefeito foi obrigado pelo TC a ressarcir o prejuízo ao município.

O aprendiz de caudilho precisa do pai para governar (?!) esta infeliz cidade. O velho caudilho, de seu “gabinete” na Secretaria de Serviços Urbanos, determina as prioridades da administração (?!) municipal.

Bernardo Ortiz fotografado, com celular, no gabinete de secretário
Agora mesmo está em curso um processo administrativo disciplinar contra o professor Fabrício Peres, que teve a coragem de enfrentar os desmandos dos famigerados Ortizes.

A tentativa de punição ao professor da rede pública municipal de ensino é a confirmação de que o saco de maldades da famiglia Ortiz não tem fundo.

Foi assim nas administrações anteriores de Bernardo Ortiz. Perseguir e ameaçar funcionários que não seguem rigorosamente sua cartilha dá demissão, mesmo que ela seja realizada ao arrepio da lei.

Foi assim com Julio Cesar de Oliveira, demitido por Bernardo Ortiz mesmo sendo funcionário concursado e de confiança. Resultado: anos depois, Julio Cesar foi readmitido por ordem judicial e recebeu os salários que lhe foram tirados pelo velho caudilho taubateano.

Aqui, a portaria publicada sobre a pretendida punição ao professor Fabrício Peres.



domingo, 20 de abril de 2014

ULTIMATO À DIREÇÃO DO PT
PELOS PRESOS POLÍTICOS

Barbosa Filho, jornalista

Ao publicar abaixo a carta do jornalista Barbosa Filho à direção nacional do PT, ouso fazer uma breve apresentação do missivista.

Barbosa Filho engatinhava no jornalismo. Ainda não havia completado 18 anos, mas militava politicamente no bom e velho MDB (Movimento Democrático Brasileiro), o partido de oposição ao regime militar instalado no país.

A militância política do jornalista antecede, por exemplo, a do ex-prefeito Bernardo Ortiz, que ajudou a eleger em 1982, ao lado de outros jovens que acreditaram que a ‘novidade” seria boa para Taubaté.

Barbosa Filho escreve à direção nacional do PT na condição de fundador do PSB em Taubaté e por sua visão sobre o estado democrático de direito e sua militância na esquerda nacional.

Esta breve apresentação se faz necessária porque Barbosa Filho, enfim, não é neófito nem em jornalismo nem em política.

Caro Presidente Nacional Rui Falcão, demais Membros do Diretório Nacional e dirigentes Estaduais e Municipais do PT:

Nós, eleitores do Partido dos Trabalhadores, filiados ou não a esta grande agremiação, erguemos nossas vozes para EXIGIR uma tomada de posição firme, clara e sem titubeios frente à abusiva situação a que estão submetidos os brasileiros mantidos em prisão-política há cerca de cinco meses.

Não bastou a farsa jurídico-midiática da chamada AP-470, que culminou quase oito anos de humilhação pública diária, de calúnias e ofensas morais a cidadãos com respeitabilíssima folha de serviços prestados à Democracia, à Justiça Social e aos Direitos Humanos em nosso sofrido País. Arrogam-se alguns membros do Judiciário o poder ilegal e ilegítimo de agravar as já absurdas punições impingidas a esses cidadãos, seja pela contínua campanha de execração pública, seja pelo desrespeito à própria pena injusta a quem foram condenados.

As direções do Partido dos Trabalhadores omitiram-se durante quase todo este longo calvário de seus integrantes e dos demais "réus". Inocentes como o bravo sindicalista Luis Gushiken chegaram a sofrer danos físicos fatais. Outros, igualmente inocentes dos "crimes" que lhes foram imputados, como José Genoíno, José Dirceu, João Paulo Cunha, para citarmos apenas os mais notórios, foram tratados como bandidos pelo evidente conluio entre membros do Ministério Público Federal, grandes grupos de comunicação e membros-políticos do Supremo Tribunal Federal. A exposição dos "réus" foi aviltante, sendo de se admirar que tenham resistido mentalmente sãos a tamanho massacre.

O povo foi, em boa parcela, iludido pela campanha de ódio que durou quase oito anos - e que dura até hoje. O Poder Executivo, zeloso da independência dos Poderes, não poderia manifestar-se. O ex-presidente Lula também limitou-se a raras manifestações, muito moderadas, de descontentamento, prometendo sempre para mais tarde "revelar" fatos sobre o teatral processo do "mensalão".

Caso assemelhado, envolvendo inclusive um mesmo acusado, como é o caso do publicitário de Minas Gerais, foi tratado de maneira absolutamente diversa pelo Judiciário, em nítido benefício dos "réus" do PSDB. Começou pela demora no esperado julgamento, até o desmembramento do processo que envolve o PSDB, permitindo aos réus tucanos o direito universal a uma segunda instância.

Não precisamos nos alongar, pois os fatos são estarrecedores, e comprometem o regime democrático tão duramente conquistado, não só pelos petistas, mas por todo o Povo brasileiro.

Nesses termos, EXIGIMOS que as direções Nacional, Estaduais e Municipais do Partido dos Trabalhadores se manifestem, com urgência urgentíssima sobre os caminhos políticos e jurídicos para que sejam corrigidas tais aberrações. A denúncia internacional, a formação de uma brigada de advogados e juristas, a convocação de entidades de alta tradição democrática como a OAB, a ABI, a CNBB, as centrais sindicais, a UNE, enfim, todas as forças vivas da nacionalidade, o uso dos meios de comunicação disponíveis (ainda que seja necessário comprar espaços para romper a censura por eles imposta, para o que estamos todos prontos a contribuir), são caminhos viáveis e necessários. Tudo com a máxima urgência, sem delongas, debates ou estudos protelatórios. Pouco importa que estejamos em ano eleitoral: a preservação da Democracia com respeito aos direitos fundamentais de todos os cidadãos é mais importante do que as conveniências eleitorais do PT ou de quem quer que seja.

INFORMAMOS, nós, eleitores fiéis do PT, filiados ou não filiados, que se nosso apelo-ultimato não tiver resposta URGENTE, vamos nos abster de qualquer atitude em defesa deste Partido, suspendendo de imediato todas as nossas ações pró-candidatos do PT e partidos aliados, e a nossa cotidiana batalha de contra-informação nas redes sociais e outros meios. Se o PT não reage em defesa de princípios básicos, que a direita fale e aja sozinha, sem contracenarmos  neste jogo pseudamente democrático, no qual um lado só agride, só violenta as leis, só impõe o ódio, e o outro - o nosso - a tudo assiste, constrangido em combater. Que os líderes do PT assumam as responsabilidades pelas consequências.

Com todo respeito e o mais elevado espírito democrático e progressista, somos,

OS ELEITORES DO PT"