Páginas

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

DOU MINHA MÃO À PALMATÓRIA

PALMATÓRIA
Dou minha mão à palmatória. Os leitores que me corrigiram quanto à impossibilidade de votar SEM o título eleitoral estão cobertos de razão. Realmente, uma leitura mais atenta feita após as observações dos leitores me abriu os olhos. NÃO é permitido votar sem a apresentação do título de eleitor e de um documento oficial com foto.
  
DESLEIXO
“Herrar é umano, persistir no herro é burrice”, diz uma brincadeira popular. Errei por acreditar no Google e não dar atenção à data de postagem dos assuntos referentes a votar ou não sem o título de eleitor. As postagens se referiam às eleições de 2004. Peço desculpas aos leitores. A razão está com vocês. Que desleixo, o meu!!!
O portal Terra elegeu a vereadora Pollyana (PPS), candidata a deputada federal, como uma das 25 musas do Brasil

MUSA
A vereadora Pollyana Gama (PPS) é uma das musas das eleições de 3 de outubro. Candidata a deputada federal, Pollyana foi citada, ao lado de nomes como o do mineiro Aécio Neves (PSDB), candidato ao senado por Minas Gerais, a cantora Simony (PP), candidata a deputada estadual em São Paulo e Myriam Rios (PDT), candidata a deputada estadual no Rio de Janeiro, entre os 25 candidatos mais bonitos do Brasil. Está no portal Terra, para quem quiser conferir: http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/fotos/0,,OI135937-EI15311,00-Veja+as+musas+e+os+galas+das+eleicoes.html
  
MODESTA
Pollyana se disse surpreendida com a notícia, mas que a recebia como um elogio.  Jamais poderia imaginar que aos 35 anos de idade receberia o título de musa de maneira on line”. Esla espera, com a notícia, que seu sítio (www.profpollyana.com.br) seja mais visitado e as pessoas possam conhecer seu trabalho pela educação.

GRACINHA
O vereador Rodson Lima (PP) não perdeu tempo. Em tom de brincadeira, usou a tribuna da Câmara para anunciar a “eleição” de Pollyana pelo portal Terra e afirmar que o ibope da TV Câmara aumenta quando é mostrada a imagem da vereadora. Foi criticado pelo colega Chico Saad (PMDB) pelo tom galhofeiro usado em sua passagem pela Tribuna. Plenário não é sinônimo de picadeiro.
  
SANGUE
Domingo (19) tem passeio ciclístico em Taubaté, das 9 às 12 horas. O encontro está sendo organizado pelo Hemonúcleo do Hospital Universitário de Taubaté, com apoio da Rádio Cultura e do Colégio Idesa. A saída e a chegada se darão no Largo do Rosário, com show no encerramento. O objetivo é chamar a atenção para a necessidade de doarmos sangue.
  
FECHADA
A secular igreja do Rosário está fechada. Decreto do bispo diocesano D. Carmo João Rhoden, publicado dia 10 de setembro, explica os motivos: construída em taipa por escravos, a estrutura da igreja coloca em risco a vida dos fiéis. Para o bispo, o estado de deterioração da igreja do Rosário “é grave”. Ficam suspensas, portanto, na igreja do Rosário, “todas as celebrações”, até que o problema seja sanado.

XEQUE
Quando fui diretor da Tribuna do Norte, em Pindamonhangaba, produzi uma manchete que me custou um pedido de desculpa aos leitores do jornal. Escrevi “cheque” (documento bancário) quando deveria ter grafado “xeque” (colocar em risco). Errei feio. Agora é a vez de Carlos Heitor Cony. Está em sua coluna na Folha de quinta-feira (16). Errou feio. A língua portuguesa é maravilhosa.
Vereadora Graça (PSB), candidata a deputada federal, pode surpreender nessas eleições pela força da legenda
EXPECTATIVA
A vereadora Graça (PSB), candidato a deputada federal vive momentos de expectativa e angústia ao mesmo tempo, pelo menos até 3 de outubro. Ela recebeu telefonema do presidente estadual do partido, Édson França, informando-a que pesquisa interna do PSB aponta a taubateana como uma das dez na lista de favoritos do partido. O PSB pode eleger de 10 a 12 deputados federais. Em outras palavras, com pouco mais de 35 mil votos ela pode ir para a Câmara Federal. Graça foi eleita vereadora com 4.477 votos.

FORTES
O PSB tem candidatos em condições de puxar muitos votos para a legenda, casos do próprio Édson França, que foi reeleito prefeito de São Vicente, há alguns anos, com 95% dos votos válidos. Os demais nomes são Luiza Erundina, ex-prefeita de São Paulo; Marcelinho Carioca, ainda ídolo da torcida corintiana; vereador Gabriel Chalita, ex-secretário durante o governo de Geraldo Alckmin. Ela sabe que a tarefa é árdua, mas não impossível de ser cumprida.