Páginas

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

SANTA INQUISIÇÃO

O Renascimento marca o rompimento com a Idade Média, período que os historiadores estimam entre o começo do Império Romano (476 DC) e a queda de Constantinopla (1.453 DC), tomada pelos turcos, que era a capital desse império no Oriente. Durou cerca de mil anos.
A Idade Média foi marcada, principalmente, pelo domínio da Igreja sobre o pensamento reinante até então. Reis e senhores feudais se submetiam à vontade da Igreja. Apoiaram a formação das Cruzadas, criada pelo Papa Urbano II no Concílio de Clermont, em 1095.
A “guerra santa” declarada aos hereges prometia vida eterna e perdão de todos os pecados aos que lutassem, em nome de Deus, contra os pagãos. Portanto, matar ou morrer em nome Dele, hoje praticada por muçulmanos fundamentalistas, foi uma criação da Igreja católica há quase mil anos.
Não satisfeita com as cruzadas, a Igreja criou o Santo Ofício, o conhecido, e temido, na época, Tribunal da Inquisição, que, pasmem, só foi banido de vez no século passado. A Santa Inquisição nasceu em 1.184, com o Papa Lúcio III, e se estendeu por pelo menos mais cinco séculos.
Em nome de Deus era permitido matar os considerados infiéis. Os acusadores permaneciam anônimos e os infiéis eram mandados para a fogueira. As maiores vítimas da Santa Inquisição foram as mulheres. Milhões de pessoas foram assassinadas pela Igreja.
A história se repete no Brasil. Parte da Igreja, sem o apoio da CNBB, diga-se, escolheu Dilma Rousseff (PT) como a bruxa do século XXI. Para atirá-la à fogueira, essa pequena parcela do clero age como os inquisidores da Idade Média. Acusam sem provas e condenam sem julgar. Afrontam a CNBB e um dos dez mandamentos da lei de Deus: “não usar seu santo nome (de Deus) em vão”.
Gostaria muitíssimo de ver os bispos que estiveram em Aparecida no Dia da Padroeira do Brasil, mostrar a gravação ou o vídeo em que a petista se diz a favor do aborto. Gostaria muitíssimo de ouvir esses bispos orientando os fiéis sobre como votar melhor, sobre como escolher seu candidato.
Não posso aceitar, em sã consciência, que uma parcela da Igreja jogue areia nos olhos dos fiéis, que faça terrorismo em nome de Deus, que manipule descaradamente, com informações falsas, aqueles que querem ouvir Sua palavra.
A Igreja está acima dos partidos políticos. A Idade Média acabou há 600 anos. Dilma Rousseff não é bruxa e José Serra não é santo. Deus não é inquisidor. Esses senhores deveriam pregar o amor que Cristo ensinou e não disseminar o ódio sobre um candidato em benefício de outro.

Fontes: www.pt.wikipedia.org, www.brasilescola.com, www.spectrumgothic.com.br