Páginas

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

NOMES DE RUAS SUGERIDOS POR INTERNAUTAS

SUGESTÕES
Recebi de um amigo internauta sugestões de nomes de personalidades que não deveriam dar seus nomes a ruas ou avenidas da cidade. Pela ordem são Duque de Caxias, Visconde do Rio Branco, D. Pedro I, Barão da Pedra Negra e JK (Juscelino Kubitschek).

BANDEIRANTES
Na opinião do leitor, nenhum deles fez nada por Taubaté para merecer tal honraria. Ele sugere também que sejam substituídos os nomes de logradouros com nomes de bandeirantes como Jacques Félix e outros, “porque estes foram bandidos, escravizadores e dizimadores de índios, que só sujaram o nome de nossa cidade.

ENQUETE
Começamos esta semana uma campanha para substituir o nome da avenida John Kennedy, presidente assassinado dos Estados Unidos há quase 50 anos, por alguém que, efetivamente, tenha feito alguma coisa para engrandecer Taubaté. Aceitamos sugestões de nomes para nomear logradouros importantes de Taubaté e até a retirada de outros, como os indicados acima por um internauta.

FINALMENTE
O DER (Departamento de Estrada de Rodagem) e a Prefeitura vão realizar as obras de recuperação da ponte da avenida Francisco Barreto Leme, que liga os municípios de Taubaté e Tremembé, se o tempo ajudar. A informação é do secretário de Obras, Trânsito e Transportes de Taubaté, Sebastião Melin Aburjeli.

VISÃO
Estou vendo o dedo ex-deputado Ary Kara (PMDB) na nomeação de Melin para o cargo de secretário. O prefeito Roberto Peixoto (PMDB) está reforçando o time para as eleições municipais de 2012, colocando em cargos estratégicos pessoas que há pelo menos duas décadas ocupam cargos importantes em Taubaté. É hora de mostrar alguma realização. O prefeito acordou...

EXPANSÃO
A Comgás (Companhia e Gás de São Paulo) colocou homens e máquinas para trabalhar na praça 8 e Maio, atrapalhando o trânsito naquela região da cidade, para expandir a rede de gás encanado no centro da cidade. É o preço que se paga pelo progresso. Paciência, motoristas...

CONDOBRAS
A Difusora noticiou que finalmente haverá respeito ao horários de ônibus e de vans em circulação na cidade. Segundo a notícia, Eli Guedes de Moraes, apresentado como presidente da Condobras, que seria a permissionária do TCTAU.

SIMPROPRO
Salvo engano, a Condobras faz o transporte, ainda ilegal porque não é reconhecido, entre Taubaté e Pindamonhangaba, não operando dentro do município de Taubaté. O TCTAU foi reconhecido pela Prefeitura e seus carros são propriedade individual, isto é, o TCTAU não forma uma companhia  cada veículo tem um dono.  Gostaria de saber o que pensa Silvana Fontes a respeito, La que foi uma das que mais lutou para os perueiros de Taubaté fossem reconhecidos.

FICHA SUJA
Gostaria de saber como o governador Geraldo Alckmin (PSDB) encontrou brecha na lei para nomear o ex-prefeito de Taubaté, José Bernardo Ortiz (PSDB), presidente do FDE (Fundo de Desenvolvimento Escolar), se ele foi condenado em terceira instância pela Justiça por contratações irregulares quando foi prefeito da cidade.

DE MOLHO
Quem tem “ficha suja” não pode disputar eleições por um determinado período nem ocupar cargos públicos. Se Alckmin burlou a legislação, poderá responder, quem sabe, por prevaricação ou desobediência a ordem judicial. A lei foi feita para todo. Quem foi condenado tem que ficar de molho.

PODEROSO
Por enquanto Bernardo, que não é o ajudante do Zorro (aquele que veste roupas negras e usa máscara), está com o poder na mão, ou melhor, com muito dinheiro nas mãos. Ele deve administrar a bagatela de R$ 3 bilhões à disposição do FDE, dinheiro que nunca teve para administrar, mesmo que se some os quatorze anos em que administrou Taubaté.

QUIETO
O vereador Henrique Nunes (PV), um dos principais articulares políticos da Câmara Municipal, anda muito quieto. Será que ele está percebendo que o prefeito Roberto Peixoto (PMDB) quer seu apoio mas não quer apoiá-lo numa eventual candidatura a prefeito deTaubaté.

REFRESCO
A mídia deu uma folga à Prefeitura de Pindamonhangaba no caso Verdurama, mas o assunto não está esquecido pelo Ministério Público, que continua suas investigações. O professor Sávio, que era secretário da Educação do município e também pediu demissão do cargo, pode ser ouvido pelo Ministério Público.