Páginas

sábado, 22 de janeiro de 2011

DELEGADO AGRESSOR AFASTADO PELA CORREGEDORIA

AFASTADO
O delegado de Polícia Damásio Marino foi afastado do cargo pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Ele trabalhava no 6º Distrito Policial de São José dos Campos.

MOTIVO
Ele é acusado de agredir com coronhadas um cadeirante, que reclamou porque o delegado estacionou seu veículo em local proibido, reservado para deficientes físicos. Há várias testemunhas das agressões praticadas pelo policial. O advogado de Damásio Marino alegou que seu tutelado reagiu a uma cusparada.

DESEQUILIBRADO
Um delegado de polícia, pago para garantir a ordem pública, não pode reagir desta forma a uma possível cusparada, principalmente vinda de um cadeirante, como alegou seu advogado, ainda mais se considerarmos que o policial estacionou em local proibido.

MENTIRA
O delegado Damásio Marino, que havia alegado ter estacionado em local proibido porque sua esposa estaria grávida, foi pego na mentira. Sua esposa compareceu na OAB de São José dos Campos na tarde de sexta-feira (21) para contar que é vítima de agressões e que a mulher grávida seria, na verdade, amante do delegado Damásio Marino.

PROTEÇÃO
A mulher do delegado, com quem é casada, disse que nunca conseguiu fzer um boletim de ocorrência nas delegacias de polícia de são José dos
Campos porque os policiais se recusavam a fazer o boletim de ocorrência ao saber que o acusado era delegado de polícia.

CRÔNICA
O jornalista Camões Filho escreveu mais uma de suas belas crônicas publicada pelos jornais de Taubaté. Ele fala sobre as chuvas que abalaram a região serrana do estado do Rio de Janeiro, que já contabiliza cerca de 700 mortos e da solidariedade dos brasileiros, até nos remeter às chuvas que se abateram sobre Taubaté, num sábado qualquer de 1985, me parece.

IMACULADA
Camões recorda a queda de parte do teto da Igreja da Imaculada e da solidariedade da população taubateana, convocada pela Difusora a fazer doações para os flagelados, depois de permanecer fora do ar por muitas horas devido às chuvas.

COLEGAS
Com saudade lembrei-me de colegas citados por Camões Filho na cobertura daquela tragédia. O próprio Camões foi um deles. Lá estiveram Jandir de Paula (fotógrafo do ValParaibano na época), Santos Cursino, José Luiz a Silva e Zezinho, da rádio Difusora. Há 25 anos se praticava jornalismo em Taubaté. Hoje, as redações taubateanas vivem de releases.

NO COCHO
O ex-deputado Ary Kara José deve ser o próximo presidente do PMDB de Taubaté. Escolado, Ary Kara não deixou de elogiar Jacir Cunha, atual presidente do partido, mas admitiu a possibilidade. O prefeito Roberto Peixoto (PMDB), pelo jeito, vai ter que comer no cocho da nova direção do PMDB taubateano,se não quiser implodir o partido de vez em Taubaté.

BASTIDORES
Enquanto isso, sem que o eleitor tome conhecimento, os políticos de Taubaté se movimentam em busca de apoiamento para as eleições municipais de 2012. O vereador Mário Ortiz deve trocar o DEM pelo PMDB, seguindo o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

FICHA SUJA
Pelas tratativas iniciais, Mário Ortiz, mudando de partido, poderia ser indicado candidato a prefeito, tendo o vereador Carlos Peixoto (PMDB) como vice. Com isso, um possível apoio de Mário Ortiz ao deputado padre Afonso, provável candidato do PV à sucessão municipal, seria esvaziado.

ESPERTO
O vereador Henrique Nunes (PV), o grande articulador político da Câmara de Vereadores, corre por fora. Sabe que Mário Ortiz tem problemas jurídicos (ficha suja) e poderá nem ser candidato. O imbróglio só será resolvido o ano que vem. Até lá as articulações continuam. Ainda tem Ary Kara na parada. Para que lado o ex-deputado vai pender, essa é a grande pergunta.

PROGRAMA
Enquanto nada se decide, o vereador Carlos Peixoto (PMDB vai fazer um programa diário na Rádio Cultura AM. Ainda não se sabe se ele disputará a audiência matutina com Alexandre Villela (PMDB), que tem programa com grande audiência na Rádio Metropolitana FM.