Páginas

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

A BRIGA DA TUCANADA PELO PODER PARTIDÁRIO

TUCANAGEM
De um lado, o governador Geraldo Alckmin. Na outra ponta da corda o ex-candidato à presidência da República José Serra. No meio, para variar, o senador eleito Aécio Neves, esperando para ver quem tem mais força para ajudar a puxar a corda. Está no DNA dos Neves mineiros apoiar o mais forte.

PLUMAGEM
Embora tenham sido depenados nas três últimas eleições presidenciais, os tucanos não perdem a plumagem. Nos bastidores, no entanto, a briga é rasteira. Os arapongas de Serra tentam derrubar Alckmin e Alckmin manda vasculhar as contas publicitárias do ex-governador, que estão na casa dos R$ 307 milhões. Leia mais em http://www.rodrigovianna.com.br/outras-palavras/alckmin-serra-e-a-sujeira-tucana.html

ISOLADO
O senador Sérgio Guerra, agora eleito deputado federal, continua na presidência nacional do tucanato. Ele tentou empurrar um instituto (tucano adora instituto de estudos) para José Serra ter um palanque e continuar estalando (produzindo ruído) ou, como preferem alguns, para manter-se na mídia “piguenta”, como a batizou o jornalista Paulo Henrique Amorim. Serra está ficando isolado.

JÁ ERA
Os cardeais do tucanato entendem que o “momento Serra” passou, por isso ele está sendo isolado, para desespero dos serristas. A força tucana está com o governador Geraldo Alckmin que, entre outras coisas, fará o que for possível e o impossível para ajudar a eleger um tucano para a prefeitura de Taubaté, ou seja, José Bernardo Ortiz Junior.

BERNARDO
A estratégia tucana para Taubaté está nítida. O ex-prefeito Bernardo Ortiz, por quem Alckmin tem grande admiração, tomou posse quarta-feira (26) na FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação). Vai gerir um verba de cerca de R$ 2,5 milhões.

BERNARDINHO
Que não é o técnico de vôlei, mas filho de Bernardo Ortiz, deve assumir uma função no gabinete do governador Geraldo Alckmin, isto é, vai se preparar, a partir do Palácio dos Bandeirantes, para disputar o Palácio do Bom Conselho, com força para atrair as vereadoras Pollyana Gama (PPS) e Graça (PSB), cujos partidos tem representantes no primeiro escalão do governo estadual.

EXPLICAÇÃO
Bernardo Ortiz Junior deu entrevista à Rádio Metropolitana, na qual afirma  que os casos (judiciais) envolvendo seu pai estão em grau de recurso e que ele poderia assumir (como assumiu) a presidência da FDE sem problema.

PMDB
O deputado estadual eleito Baleia Rossi, filho do ministro da Agricultura Wagner Rossi, assumiu a presidência do partido no Estado de São Paulo. Em Taubaté, no diretório municipal, o cargo deverá ficar com o ex-deputado Ary Kara, em lugar de Jacir Cunha.

INSIGNIFICANTE
A volta de Ary Kara à ribalta da política taubateana indica que a voz de Roberto Peixoto não será significativa na indicação do nome do candidato do PMDB à sua sucessão. Ary assume o PMDB de Taubaté com o apoio de ninguém menos que o vice-presidente da República, Michel Temer, de quem é amigo pessoal, e do ministro da Agricultura Wagner Rossi, outro amigo pessoal.

ALIANÇA
Dentro desse quadro, é possível dizer que PMDB e PT se aliem em Taubaté para as próximas eleições municipais, mantendo a aliança nacional feita na última eleição presidencial.

TELEVISÃO
Uma possível aliança PMDB/PT em Taubaté ocupará mais da metade do tempo no horário eleitoral gratuito, diminuindo sensivelmente o espaço dos demais candidatos. Como a representação do PSDB no Congresso Nacional diminuiu, diminui também o tempo do partido no horário eleitoral gratuito de rádio e televiso.

PRETENSÃO
A ida de Ary Kara para a presidência do diretório municipal do PMDB tem o poder de brecar a pretensão do PT taubateano de lançar um candidato a prefeito da cidade. O presidente do Sindicato  do Metalúrgicos de Taubaté, Isaac do Carmo, é o nome preferido da cúpula estadual petista.

BANCÁRIOS
Instituições financeiras e sindicatos dos empregados em empresas de financiamento assinaram quarta-feira (26) acordo para combater o assédio moral nas instituições financeiras e sua condenação, com avaliações semestrais pela Febraban (Fderação Brasileira de Bancos). Veja em http://www.redebrasilatual.com.br/temas/trabalho/2011/01/bancos-condenarem-assedio-moral-e-prometem-investigar-praticas

LUTO
O desembargador Antonio Carlos Viana, presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo e professor  aposentado da Universidade de Taubaté, faleceu quarta-feira (26), na capital, onde seu corpo foi velado.