Páginas

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

VOLKSWAGEN COMPLETA 35 EM TAUBATÉ

COMENTÁRIO
O amigo internauta D’Ávila Graziano manda comentário sobre a postagem de domingo (20), com o qual concordo inteiramente. Sua análise, de cunho sociológico, é um retrato fiel de nossa realidade e do descaso com que Taubaté vem sendo tratada há pelo menos meio século, quer por seus “coronéis”, quer por políticos subalternos, que desconhecem o significado da palavra progresso e ignoram o que é desenvolvimento. Para ler o comentário de D’Ávila Graziano, clique aqui . Está logo abaixo da postagem “Taubaté, meu amor”.

VOLKSWAGEN
A Volkswagen completou 35 anos de Taubaté sexta-feira (18). Foi a última grande empresa que se instalou na cidade, quando não havia doação de terreno nem outros incentivos para os empresários. O que valia era a localização estratégica do município, que, geograficamente, nenhum político subalterno vai mudar, e a capacidade da Prefeitura em convencer os empresários a investir na cidade.


FÁBRICAS
Bem antes da chegada da Volkswagen, a Willis Overland do Brasil (Ford) já estava instalada na cidade, bem como a Mecânica Pesada (Alston). Naquela época, Taubaté podia se orgulhar de seu parque industrial, mesmo com a Fitejuta tendo fechado suas portas e a CTI estivesse em situação pré-falimentar.

ENCILHADO
O ex-prefeito Guido José Gomes Miné foi o responsável pela vinda da Volks para Taubaté. Guido Miné era um progressista. Fez parte do MDB e poderia ter sido candidato a senador. Deixou a honraria para Orestes Quércia, que se elegeu. O cavalo passou encilhado na frente de Miné, e ele não montou. Encerrou a vida polítia como assessor de Ary Kara José.

ESPANTADOS
Pedro Luiz e Tiago Martins comentavam, espantados, na Rádio Difusora, a possibilidade de Bernardo Ortiz, pai, ser candidato a prefeito de Taubaté, desde que resolva suas pendências jurídicas, com apoio do governo estadual, dirigido pelo tucano Geraldo Alckmin.

EMBALSAMADO
Assim já é demais, Taubaté. Por que tanto atraso? Nós, velhos eleitores, suplicamos pelo surgimento de novas lideranças políticas e vem o boato de que Ortiz, embalsamado politicamente, poderá ser candidato a prefeito da cidade.


INCRÉDULO
Pedro Luiz se mostrava particularmente incrédulo diante de outro boato que estaria circulando na cidade, segundo o qual Padre Afonso (PV) seria candidato a prefeito de Taubaté tendo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Isaac do Carmo, como vice em sua chapa, com apoio do PMDB. Pedro Luiz diz que para de comentar política se isso acontecer.

IMPOSSÍVEL
O repórter Tiago Martins não duvidou do boato. Lembrou do dinamismo da política, em que tudo é possível. Porém, o PV não faz parte da base aliada do governo federal. Se me disserem que padre Afonso pode ser vice de Ortiz Junior, acredito, pois ele faz parte da base aliada do governo tucano em são Paulo. Essa composição é viável.

PATRULHA
Os próximos passos políticos do deputado Padre Afonso por certo serão acompanhados por aliados e desafetos. Os aliados de padre Afonso não admitirão que ele se candidate a vice-prefeito de Taubaté. Os desafetos impedirão uma (im)possível composição com o PMDB. O deputado taubateano fez sua escolha quando aderiu à base parlamentar do governo tucano.

PICAPAU
O governo do Estado vai devolver o Sítio do Picapau Amarelo para a Prefeitura de Taubaté, após a conclusão das obras de reforma do local, na qual o Estado está investindo R$ 1,7 milhão. O Sítio recebe cerca de 10 mil visitantes por mês.

POR QUE A PRESSA?
O contrato de concessão do serviço de água e esgoto de Taubaté com a Sabesp termina só em 2012, mas a Prefeitura quer porque quer antecipar a renovação do contrato com a estatal paulista, com sérios prejuízos para os cofres públicos de Taubaté.

ALIANÇA
Entrevistado na Rádio Difusora, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, Isaac do Carmo, antecipou que em abril haverá nova reunião do diretório municipal do PT. Afirmou que o partido fará alianças municipais preferencialmente com partidos da base aliada do governo federal.

ESTÁTUAS
Tem gente incomodada com a qualidade e a "beleza" de alguns monumentos espalhados pela cidade. Por exemplo: a Torre Eifel da praça 8 de Maio é considerada uma aberração, sem contar a estátua dos expedicionários na praça Santa Terezinha ou a de São José Operário em frente aos Bombeiros, próximo à rodiviária nova.