Páginas

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

OS NOVOS GLADIADORES

Para quem cresceu vendo a política taubateana conduzida pelas oligarquias rurais e empresariais, ver jovens ativistas militando em seus partidos políticos, nos sindicatos, exercendo ou não um mandato popular, é sinônimo, para mim, que Taubaté está se renovando.

Estamos saindo do mundo das trevas em que nos encontramos e podemos vislumbrar uma luz no fim do túnel. O destino dos tiranos e dos demagogos está traçado. A eleição municipal de 2012 aposentará os oligarcas.

Taubaté perdeu o viço que tinha na primeira metade do século XX. Os jovens Celly Campello e Tony Campello saíram dos palcos taubateanos para fazer sucesso nacional, cantando rock, um ritmo estranho para um país acostumado à guarânia, à valsa, ao maxixe, ao tango e ao samba.

A oligarquia empresarial, somada à oligarquia rural, punha e dispunha dos prefeitos de então. As famílias tradicionais tinham, invariavelmente, um membro do clã eleito prefeito ou vereador. Na pior das hipóteses trabalhavam para eleger alguém de confiança.

Enquanto Taubaté perdia tempo com sua política caipira, subalterna, e elegia prefeitos que não enxergavam um palmo à frente do nariz, ficamos estagnados. São José dos Campos, ao contrário, elegia prefeitos progressistas, não necessariamente dos partidos de esquerda. Entre um prefeito e outro jamais existiu solução de continuidade.

É chegada a hora de Taubaté pensar nas jovens promessas que estão surgindo no cenário político local. São jovens que estão aprendendo, estão estudando para oferecer o melhor de si para nossa Taubaté. 

Vera Saba (PT) é a atual vice-prefeita. Preside o Sindicato dos Bancários e tem participado ativamente da vida partidária. Foi candidata a deputada estadual com mais de 11 mil votos taubateanos (8,21%), marca histórica para o PT.

Pollyana Gama (PPS) cumpre seu segundo mandato como vereadora. Foi candidata a deputada federal e saiu das urnas com 9,5 mil votos (6,43%). Na Câmara Municipal, se destaca pelo trabalho voltado aos professores da rede pública municipal.

Graça (PSB) também está em seu segundo mandato de vereadora. Teve votação espetacular em sua campanha a deputada federal. Obteve 21.390 votos (14,56%) só em Taubaté. Mais de 24 mil no total. É um nome para ser olhado com carinho pelo eleitor taubateano.

Rodrigo Luís Silva, Digão (PSDB), é vereador de primeiro mandato. Tem feito bom trabalho na Câmara Municipal. Não vota nenhum projeto sem antes ler e estudar o que está sendo proposto. É um nome que deve surgir forte em 2016. Gosta de investigar os gastos públicos.

Os novos gladiadores da política taubateana vieram para acabar com o atraso. Eles vão governar Taubaté olhando para o futuro porque estão se preparando para isso. Chega de caipirismo. Não se anda mais de calhambeque. As máquinas de escrever foram aposentadas. Estamos na Era da Tecnologia. O mundo mudou. O Brasil mudou.

Para recuperar o estrago feito em três mandatos de Bernardo Ortiz e dois de Roberto Peixoto, é preciso ter fôlego de jovem. Afinal, somente com os dois Taubaté ficou estagnada por longos 20 anos – infelizmente, a obra ainda não está acabada. Temos mais dois anos de governo Roberto Peixoto. Ainda há tempo de implodir Taubaté.

Sejam bem vindos, jovens gladiadores...