Páginas

quarta-feira, 25 de maio de 2011

ACUADOS E DESMORALIZADOS


A ação do Ministério Público na manhã desta quarta-feira (25/05) não deixa a menor dúvida: o prefeito Roberto Peixoto (PMDB) e alguns membros do primeiro escalão de seu governo estão acuados e desmoralizados.

Os membros do Ministério Público, que não conversaram com a imprensa, aportaram no DOP (Secretaria de Obras Públicas) atrás de documentos relacionados à venda e motores e peças automotivas, desvio de combustível, etc e tal.

As suspeitas sobre as atividades do DOP remontam à denúncia do MP a respeito de adiantamentos da ordem de R$ 6,5 milhões para compras (suspeitas) de peças para o Departamento de Transporte da Prefeitura.

O prefeito Roberto Peixoto (PMDB) valeu-se de uma lei elaborada pelo ex-prefeito José Bernardo Ortiz, de 1982, que autorizava adiantamentos para compras emergenciais. 

Foi justamente o que a força-tarefa do Ministério Público foi fazer na manhã desta quarta-feira no DOP.

As buscas foram feitas também na casa do secretário de Obras, Sebastião Melin, que assumiu o cargo em janeiro e disse à Difusora que tinha conhecimento das suspeitas que recaiam sobre o órgão e defendeu a investigação do Ministério Público.

A Prefeitura, em nota oficial, disse que não sabia da presença do MP no Departamento de Transporte.

É muita cara de pau. 

RENÚNCIA I
O vereador Mário Ortiz (DEM) tem dito que o prefeito Roberto Peixoto deveria renunciar ao cargo. Ele disse isto na terça-feira (24/05) na Rádio Cacique e repetiu nesta quarta-feira (25/05) em entrevista à Difusora.

RENÚNCIA II
O tema renúncia do prefeito taubateano foi tratado neste blog no dia dez de maio, na postagem ROBERTO, PELA DIGNIDADE DA FAMÍLIA PEIXOTO, RENUNCIE JÁ.

RENÚNCIA III
Voltamos ao tema no dia quinze de maio, quando escrevemos que RENÚNCIA É SAÍDA HONROSA. Abordamos o assunto em outras oportunidade para falar que Peixoto estaria sendo convencido pelos assessores mais próximos a permanecer no cargo. Como se vê, a tese está ganhando adeptos.

CASSAÇÃO
Mário Ortiz crê que a situação de Peixoto é insustentável e sinalizou que deverá votar pela cassação do prefeito quando a Câmara for reunida para votar o relatório final da comissão processante que investiga o contrato da Prefeitura com a ACERT, que já foi objeto de CEI presidida pelo próprio vereador.

PARALISADA
A administração municipal está paralisada pela enxurrada de denúncias contra o prefeito Roberto Peixoto.

ATENDIMENTO
A julgar pelo que tem dito Adair Loredo, secretário de Governo da Prefeitura de Taubaté, estamos no melhor dos mundos. Segundo ele o prefeito Roberto Peixoto está tranqüilo quando às acusações que vem sofrendo e continua atendendo na porta de sua casa todos os dias, às seis horas da manhã.

DEMAGOGIA
Um político taubateano, que conhece a família Peixoto há pelo menos cinquenta anos e, portanto, o prefeito Roberto Peixoto desde criança, disse que uma das características da família Peixoto é saber emocionar as pessoas em proveito próprio. “Se precisar chorar, eles choram”, afirmou. Prefiro chamar a isso de demagogia.