Páginas

sexta-feira, 13 de maio de 2011

CÂMARA SÓ NÃO CASSA PEIXOTO SE ELE TRANSFORMAR TAUBATÉ EM NOVA YORK NOS PRÓXIMOS DOIS MESES


Este texto, publicado no dia 12/05/11, foi tirado do ar pelo Google, que estaria fazendo manutenção no Blogger. Peço desculpas pela falha, que não foi minha.

O título desta postagem não é de minha autoria. Foi inspirado em frases que ouvi de vereadores na tarde de quarta-feira (11/05), ainda no plenário da Câmara Municipal, após a estrondosa derrota que o prefeito Roberto Peixoto (PMDB) sofreu na votação para a criação de comissão processante para apurar possíveis irregularidades na contratação, pela Prefeitura, da Acert.

Em 2009, uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) apurou as possíveis irregularidades do contrato com a Acert. O vereador Rodrigo Luís Silva – Digão (PSDB), relator da comissão, apresentou um substancioso relatório, que poderia levar à cassação de Peixoto já naquela oportunidade.

A tropa de choque de Roberto Peixoto entrou em ação e o resultado da CEI foi encaminhado ao Ministério Público. A Câmara não cumpriu e não teve coragem de cassar Peixoto.

A população se revoltou. Sobrou para todos os vereadores, mas quero abrir uma exceção para fazer justiça aos vereadores Pollyana Gama (PPS), Rodrigo Luís Silva (PSDB) e Orestes Vanone (PSDB), pela coragem de enfrentar os aliados do prefeito Roberto Peixoto e votar de acordo com os interesses da população.

Na sessão de quarta-feira (11/05), com o plenário abarrotado, treze vereadores votaram pela instalação da comissão processante:

A vereadora Graça (PSB), que postou comentário neste blog, informa que está afastada da Câmara por motivo de doença mas apóia a cassação de Roberto Peixoto.

O vereador Mário Ortiz (DEM) disse na Rádio Cacique que votaria pela instalação. Cumpriu o prometido.

Pollyana (PPS), Digão e Vanone (PSDB) mantiveram os votos pela instalação da comissão processante que haviam anunciado em outras ocasiões. A vereadora Gorete (PMN) também manteve a promessa de votar a favor da CP.

O vereador Henrique Nunes (PV), que presidiu a sessão, fez o sorteio para indicar os vereadores que comporiam a comissão processante.

O primeiro nome foi o do vereador Rodrigo Luís Silva – Digão (PSDB). Roberto Peixoto deve ter sentido um frio na barriga quando soube da notícia. Em seguida foi sorteado Rodson Lima (PL).

O refresco de Peixoto foi temporário. O último nome sorteado foi o da vereadora Pollyana Gama (PPS), escolhida posteriormente para presidir a CP, com Digão na relatoria e Rodson Lima na secretaria.

A prefeitura conseguiu mobilizar alguns eleitores que portavam cartazes com os dizeres “Peixoto dos pobres”. A participação destes foi involuntária, ao contrário dos demais manifestantes, que se mobilizaram pelas redes sociais e ajudaram a lotar o plenário da Câmara Municipal.

Ouça aqui aqui entrevista com a vereadora Pollyana Gama (PPS) convidando a população acompanhar de perto os trabalhos da comissão processante.

Abaixo, a denúncia do vereador Jeferson Campo (PV), presidente da Câmara Municipal, contra o prefeito Roberto Peixoto (PMDB) e o pedido de instalação de comissão processante para apurar os fatos.