Páginas

domingo, 22 de maio de 2011

MP JOGA MAIS UMA PÁ DE CAL SOBRE PEIXOTO E SUA TURMA PALACIANA

O promotor de Justiça José Carlos Sampaio de Oliveira acaba de jogar mais uma pá de cal sobre a pretensão do prefeito Roberto Peixoto (PMDB) em permanecer no cargo.

O Ministério Público pede, na Justiça, o afastamento de Roberto Peixoto, sua mulher, Luciana Peixoto; do secretário de Saúde, o médico Pedro Henrique Silveira; do ex-chefe de Gabinete da Prefeitura, Fernando Gigli; e de Carlos Anderson dos Santos, ex-presidente da Comissão Permanente de Licitações.

Na prática, se todos forem afastados de seus cargos pela Justiça, significa que poderão ser considerados inelegíveis se forem julgados antes das eleições do ano que vem.

O vereador Mário Ortiz (DEM) divulgou no Facebook um pequeno relato da matéria amplamente divulgada pela edição de O Vale de sábado (21/05), para lembrar que “a denúncia ao MP partiu da deliberação dos vereadores ao votar a aprovação da CEI e remessa dos autos ao MP, no ano passado”.

Mário Ortiz acredita que o MP aprofundou as investigações e que “fica mais difícil" à Prefeitura negar o escândalo que foi a relação com a ACERT”. Vale lembrar que a ACERT não tinha sequer linha telefônica. “A desculpa de eventual perseguição eleitoral cai por terra de vez”, assegura Mário Ortiz.

RELATÓRIO SUCULENTO
O vereador Mário Ortiz (DEM) presidiu a CEI da ACERT instalada em 2009 e teve seus trabalhos conclusos em 2010. O vereador Rodrigo Luís Silva – Digão (PSDB) produziu um relatório substancioso, daqueles que se pode chamar de “suculento”, apontando cada detalhe da maracutaia do contrato com a ACERT. A vereadora Graça (PSB) teve participação importante nesta CEI.

DECEPÇÃO PÚBLICA
Quem acompanhou de perto o desenrolar da CEI, ficou decepcionado com seu envio para o MP e a não cassação do prefeito Roberto Peixoto (PMDB). Era a segunda oportunidade de a Câmara cassar o prefeito com base em denúncias fortes de corrupção. A base aliada do prefeito não deixou. Não se sabe a que cu$to.

HORA DE “ACERTAR”
A vereadora Pollyana Gama (PPS) preside a Comissão Processante instalada no último dia 11 de maio para avaliar as denúncias feitas na CEI da ACERT e a rejeição, pelo Tribunal de Contas, do contrato que a Prefeitura manteve com esta empresa sem ter feito licitação. Está chegando a hora da população “acertar” as contas com o prefeito Roberto Peixoto e, agora, sabe-se, com sua gangue de saqueadores.

CHICO SAAD
“Não somos contra a verdade. Se existe algo errado, sou o primeiro a votar pela cassação, mas é preciso provas”. Extraído do jornal O Vale, edição de sábado (21/05).

RODSON LIMA
“Devemos respeitar o prefeito, pois ele não está no segundo mandato à toa, temos que ter bastante controle quanto à acusação.” Na mesma edição.

GRAÇA RETORNA
A vereadora Graça (PSB) retornou à Câmara Municipal. Ela cancelou a licença médica a que estava submetida para assumir um dos lugares na CEI que investigará as compras supostamente superfaturadas da microempresa de Alexandre Carolino Gonçalves – ME.

PELA CASSAÇÃO
Graça disse, mais de uma vez, que é favorável à cassação do prefeito Roberto Peixoto.