Páginas

quarta-feira, 18 de maio de 2011

PEIXOTO NÃO CONSEGUE BARRAR CP NA JUSTIÇA: 1 A 0 PARA TAUBATÉ

Os advogados do prefeito Roberto Peixoto, Thiago de Bórgia Mendes Pereira e Roberta Flores de Alvarenga Peixoto, entraram com pedido na Justiça para anular a Resolução 153/10, de 22 de setembro de 2010, visando suspender as atividades da Comissão Processante, que julga possíveis irregularidades no contrato de compra de remédios da empresa ACERT.

O pedido de tutela antecipada foi negado pela Justiça, que considerou válidos os procedimentos tomados pela presidente da Comissão Processante, vereadora Pollyana Gama, pois o rito processual está sendo seguido à risca.

A tentativa desesperada de Peixoto beira o ridículo. Ele afirma na petição que não sabia que estava sendo processado pela Câmara Municipal em 2010.

A anulação da Resolução 153/10 significaria o fim da Comissão Processante instalada dia 11/05 e que está fazendo um trabalho brilhante para responder à população taubateana que pretende ver Peixoto cassado.

Por isso, mais uma vez, apelo à população para que confie no trabalho que a presidente da Comissão Processante, vereadora Pollyana Gama, e o relator da comissão, vereador Rodrigo Luís Silva – Digão estão fazendo.

A tentativa de Peixoto de barrar a comissão na Justiça foi infrutífera. Isto significa que o rito processual do decreto-lei 201/67 está sendo cumprido.

A advogada Roberta Flores Alvarenga Peixoto terá muito a agradecer seu pai, o prefeito Roberto Peixoto. Vai se tornar uma craque em processos por improbidade administrativa. Abaixo, reproduzo a decisão judicial.