Páginas

quinta-feira, 19 de maio de 2011

SITIADO PELA JUSTIÇA, PEIXOTO ESTÁ NO MATO SEM CACHORRO


A vida de Roberto Peixoto (PMDB) não está fácil. A propina que ele teria recebido (cerca de R$ 5 milhões, segundo seu ex-assessor Fernando Gigli) deverá ser canalizada para o pagamento de advogados em sua luta insana para se manter no cargo de prefeito de Taubaté.

Na manhã desta quinta-feira (19/05), Paulo de Tarso Venceslau, diretor do jornal Contato, fez revelações interessantíssimas durante entrevista concedida à Rádio Cacique, sobre os muitos casos de corrupção envolvendo o prefeito Roberto Peixoto e seus auxiliares mais próximos.

Entre outras coisas, disse que em 2006 encaminhou ao Ministério Público planilhas de aquisição de merenda escolar adulteradas por Fernando Gigli e outros documentos para comprovar que estava havendo corrupção na Prefeitura de Taubaté. O MP taubateano não tomou nenhuma providência.

Posteriormente, os documentos foram encaminhados ao Gaeco, em São Paulo, onde Fernando Gigli foi convocado a depor.

Paulo de Tarso Venceslau é um dos responsáveis pelo primeiro golpe sofrido pelo regime militar. Ele ajudou a mudar a história recente do Brasil.

A vice-prefeita Vera Saba (PT) é a entrevistada de Contato nesta edição
VERA NO CONTATO
A vice-prefeita Vera Saba será a personagem principal do jornal Contato desta sexta-feira (20). Pela qualidade das matérias do Contato, sugiro ao amigo navegante que procure o jornal bem cedinho nas bancas da cidade, antes que a edição se esgote.

MAIS PROCESSOS
O Tribunal de Justiça vai reabrir um dos processos que tramitam contra o prefeito Roberto Peixoto. Ele teria omitido da declaração de contribuição para a campanha de 2008, R$ 130 mil recebidos da empresa Agra.

COMPRA DE VOTOS
A Procuradoria Regional Eleitoral, por sua vez, vai pedir a condenação criminal de Roberto Peixoto por compra de votos na campanha de 2008. A liberação de bolsas de estudo e a doação de terrenos da Prefeitura estão entre elas.

IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA
Não sou advogado, mas entendo que o pedido de condenação criminal de Roberto Peixoto não pode atingir a vice-prefeita Vera Saba (PT). Ele deve ser julgado por improbidade administrativa.

ATO DO PREFEITO
Só o prefeito, mesmo sendo ele candidato a reeleição, poderia liberar bolsas de estudo e doar terrenos pertencentes ao município. Este ato é de exclusividade do prefeito. A então candidata a vice-prefeita Vera Saba (PT), que nunca teve cargo na Prefeitura, não pode ser responsabilizada por um ato de competência do Prefeito, mesmo que tenha sido para a compra de votos. Portanto, neste caso não há a solidariedade prevista no Código Eleitoral.

CARTA DE REPÚDIO
Silvana Fontes, representante dos perueiros de Taubaté, repudia críticas feitas a ela por ter participado, ao lado de centenas de manifestantes, da sessão de Câmara que instalou comissão processante contra o prefeito Roberto Peixoto.

PRESSÃO ILEGÍTIMA
A pressão que a Prefeitura estaria fazendo sobre os perueiros é ilegítima por um simples motivo: não é proibido a ninguém assistir sessões da Câmara Municipal. Além do mais, a Constituição Federal garante o direito de se manifestar liremente.

CARO JEFINHO
Quero me desculpar por não ter participado pelo menos de uma parte das festividades que vocês promoveram para comemorar os nove anos da TV Cidade, que presa relevantes serviços a esta comuna. Os acontecimentos políticos taubateanos são tão velozes que passo o dia buscando novas informações. A todo o momento tem uma notícia fresquinha. Parabéns a você e à Cláudia pela labuta diária, que não é fácil.

FIM DO APADRINHAMENTO
A prefeitura terá que contratar os concursados primeiro, antes de realizar novos concursos públicos, de acordo com a Lei Complementar 224, de 29 de junho de 2010. É o fim das nomeações políticas, às quais a Prefeitura tem recorrido constantemente, em detrimento de quem prestou concurso e aguarda a vaga.