Páginas

segunda-feira, 27 de junho de 2011

APÓS PASSAR QUATRO DIAS ENGAIOLADO, PEIXOTO NÃO SABE SE VOLTA AO “TRAMPO”

O advogado Alfredo José Gonçalves Rodrigues não soube informar ao Portal R7 se o (ex?) prefeito Roberto Peixoto volta ao trabalho nesta segunda-feira (27), após passar quatro dias no xilindró da PF.

MANTIQUEIRA
Dona Peichoto (com CH) deve estar descansando em algum sítio místico na Serra da Mantiqueira. À Prefeitura ela não volta, com certeza, pois foi demitida por ordem judicial, mas continuará mandando, como sempre.

FESTA 
A primeira-dama de Taubaté estava efusiva ao deixar a carceragem da Polícia Federal na noite de sexta-feira (24/06), após ocupar um pequeno cômodo de seis metros quadrados com latrina em vez de vaso sanitário.

SORRIDENTE 
Dona Peichoto (com CH) é abraçada longamente pelo tenente Orlando
Petulante, dona Peichoto (com CH) saiu à rua sorridente. Recebeu um longo e apertado abraço do tenente Orlando de Lima, secretário de Segurança da Prefeitura. Parecia que acabava de deixar uma festa.

TACITURNO 
O (ex?) prefeito Roberto Peixoto estava calado, com ar grave, bem diferente do falastrão que usou a tribuna da Câmara para tergiversar, falar inverdades e tentar desviar o foco das investigações sobre a Comissão Processante.

BRONCA 
O canastrão saiu de cabeça baixa de onde passou o Corpus Christi
Peixoto poderá ser enquadrado por ocultação de prova. Ele não entregou até agora documentos para a CEI da Merenda Escolar em andamento na Câmara Municipal. O prazo legal é de quinze dias. Vem outra “bronca” pra cima do (ex?) prefeito de Taubaté.

BUSCAS 
As buscas da Polícia Federal não se restringiram apenas à residência da dupla Peixoto & Peichoto (com CH). Eles deram uma “passadinha” nas casas de Pedro Henrique Silveira (secretário de Saúde), Sônia Betin (chefe de Gabinete) e Carlos Anderson (ex-presidente da Comissão de Licitações).

EXTERIOR 
Como a Polícia Federal desconfia que o (ex?) prefeito Roberto Peixoto mandou uma “graninha” para algum paraíso fiscal, fez uma visitinha à antiga residência do investigador de Polícia licenciado Elói Barbosa, que foi até outro dia presidente da Comissão de Licitações da Prefeitura. Elói não reside mais em Taubaté. Porém, segundo consta, ele esteve há pouco tempo nos Estados Unidos. Vai ver a PF queria encontrar algum indício da possível viagem.

LOUSAS 
Um dos proprietários da Clasus, que vendeu 100 lousas superfaturadas para a Prefeitura de Taubaté a R$ 33 mil cada (R$ 891mil foram empenhados para o pagamento de 27 delas), esteve na cidade para “conversar” com Elói Barbosa. O rapaz escafedeu-se após depor na CEI das Lousas.

SOVINA 
O Tribunal Regional Federal foi sovina com o delegado da Polícia Federal que pediu a prisão de Peixoto, dona Peichoto (com CH) e até de alguns vereadores. O Tribunal foi cauteloso.

VISITA 
O vereador Henrique Nunes (PV) demonstrava tranquilidade na porta da Câmara, quarta-feira (22/06). Ele sabia que a Polícia Federal estava escarafunchando a vida de vereadores e de pessoas ligadas ao (ex?) prefeito Roberto Peixoto.

JUSTIFICATIVA 
Isso explica, em parte, porque o vereador Jeferson Campos (PV), presidente da Câmara Municipal, pediu ao Ministério Público de Taubaté que as investigações fossem mantidas em sigilo. Puro espírito de corpo. Desse mato ainda vai sair coelho.

CASSAÇÃO 
Um vereador, que as pessoas creem que votará a favor de Peixoto, garantiu-me que tem opinião formada a respeito da série de escândalos que abalam os alicerces políticos de Taubaté e votará A FAVOR da cassação de Peixoto.

FIRME 
O vereador em questão disse que tentaram demovê-lo de votar pela criação da Comissão Processante e que, antes de ir a plenário, permaneceu um tempo sozinho em seu gabinete e decidiu que votaria pela criação da Comissão Processante. Agora, garante, seu voto é pela cassação de Peixoto.

PLACAR 
Friamente, se elaborarmos um placar agora, podemos dizer que cinco vereadores são favoráveis à cassação: Mário Ortiz, Graça, Vanone, Pollyana e Digão. Se acrescermos este novo voto, são seis os vereadores dispostos a cassar o (ex?) prefeito de Taubaté. Ainda não entraram na conta os votos dos suplentes de Carlos Peixoto (PMDB) e Jeferson Campos (PV).