Páginas

domingo, 31 de julho de 2011

DEPOIMENTO CORAJOSO DA MÉDICA RITA DE CÁSSIA NÃO COMOVE VEREADORES E A NOVA TENTATIVA PARA AFASTAR POLLYANA DA CP

A ex-diretora de Saúde de Taubaté, a médica Rita de Cássia Bittar, funcionária de carreira da Prefeitura, foi enfática ao afirmar que certamente muitas mortes ocorreram no nosso Pronto Socorro por falta de medicamento. Por outro lado, o prefeito canastrão tentou, inutilmente, diga-se, afastar Pollyana da Comissão Processante. A Vara da Fazenda Pública de Taubaté denegou o pedido.

GENOCÍDIO
O depoimento corajoso da médica (que merece título de cidadã taubateana pelos serviços prestados a esta urbe) parece não ter comovido alguns vereadores. O que houve em Taubaté no final de 2008 e nos primeiros meses de 2009 pode ser colocado na conta do prefeito canastrão como genocídio por omissão.

CORAGEM
A doutora Rita foi diretora de Saúde num momento de crise área da saúde pública municipal, com a falta de remédios e o número de mortes crescente no Pronto Socorro. Ela foi extremamente corajosa ao denunciar a falta de planejamento na área da saúde, a ponto de pedir socorro em outros municípios da região para suprir nosso pronto-socorro com medicamento.

COMPROMETIDOS
O caso, grave por si só, seria suficiente para punir o prefeito canastrão por parte da Câmara Municipal. Porém, o número de vereadores comprometidos com as maracutaias da atual “administração” é grande e está cada vez mais difícil conseguir os dez votos necessários para Peixoto ser cassado.

NOMES
Dos atuais vereadores, podemos contar com os votos de cinco favoráveis à cassação: Pollyana Gama (PPS), Rodrigo Luís Silva – Digão (PSDB), Mário Ortiz (DEM), Maria da Graça (PSB) e Orestes Vanone (PSDB). Carlos Peixoto e Jeferson Campos estão impedidos de votar. O suplente Diego Fonseca  (PSDB) deve votar pela cassação. A dúvida fica por conta de Regino Justo (PV) que, dizem, estaria mudando de posição.

COMPROMISSO
A sessão em que será pedida a cassação de Peixoto, dia 15 de agosto, deverá ser uma das mais longas da história do legislativo taubateano. O primeiro voto será o do vereador Alexandre Villela (PMDB). O voto de Alexandre Villela balizará os demais, ou seja, daqueles que compõem a base aliada ou pertencem ao baixo clero.

CAOS
O caos que se instalou na cidade após a rescisão do contrato com a Home Care foi o campo fértil para as práticas corruptas perpetradas pelos inquilinos do Palácio do Bom Conselho. A investigação feita pelo Ministério Público Estadual deve redundar no afastamento do prefeito canastrão, sem contar que ele está sendo investigado pela Polícia Federal. Aí o bicho pega.

MORTES


Falta de medicamentos de uso continuado para diabéticos, hipertensos e cardiopatas podem levar à morte do infeliz, como comprova o gráfico abaixo, referente aos anos da graça de 2008, 2009 e 2010. O número de mortes se refere aos trimestres de cada um daqueles anos. Note que o gráfico se refere a todos os óbitos e não apenas aos cardiopatas, hipertensos e diabéticos.

JUSTIÇA DENEGA LIMINAR QUE PEDE AFASTAMENTO DE POLLYANA E DOS TESTEMUNHOS DE JOFFRE NETO E DA MÉDICA RITA DE CÁSSIA BITTAR, IMPETRADO PELA DEFESA DO PREFEITO CANASTRÃO

A defesa do (ainda) prefeito de Taubaté, arrogante, diga-se, tentou novamente afastar a vereadora Pollyana Gama da presidência da Comissão Processante. No mesmo pedido de liminar ela pretendia afastar os depoentes que consideravam perigosos, quais sejam, o ex-vereador Joffre Neto e a médica Rita de Cássia Bittar, cujo o nome sequer sabiam, pois se referem a ela como “Rita”, numa demonstração clara da mais completa ignorância. Veja abaixo o teor do despacho judicial da Vara da Fazenda Pública de Taubaté, exarado na véspera da reunião da Comissão Processante.