Páginas

segunda-feira, 18 de julho de 2011

PERITO CONFIRMA GASTO SUPERIOR A R$ 3 MILHÕES NA COMPRA DE MEDICAMENTOS

O perito Eduardo Cursino, em resposta à vereadora Pollyana Gama, presidente da Comissão Processante que investiga o (ainda) prefeito Roberto Peixoto, confirma que Prefeitura gastou R$ 3,1 milhões a mais na compra emergencial de medicamentos.

CONFIRMAÇÃO
Se a Prefeitura tivesse comprado os remédios pela modalidade pregão, não haveria o prejuízo apontado pela ACE, confirmado pelo perito-contador Eduardo Cursino.

CADÊ?
Quem ficou com a diferença paga a mais? O ex-dono de um sítio em São Bento do Sapucaí? Ou teria sido uma revendedora de automóveis em Taubaté? O dinheiro foi parar nas mãos dos projetistas e uma boate certa na cidade? Ou simplesmente foram para alguma conta secreta em um paraíso fiscal?

SUPERLUCRO
Não se enganem: a Polícia Federal está rastreando os milhões que desapareceram. Não houve superfaturamento na linguagem técnica dos contabilistas. O que houve foi superlucro de uma superorganização criminosa urdida no Palácio do Bom Conselho. O resto é conversa fiada.

RESPOSTA
Abaixo, a resposta do perito-contador Eduardo Cursino às questões suscitadas pela Comissão Processante.