Páginas

domingo, 31 de julho de 2011

VEREADORES INELEGÍVEIS SÃO SUSPEITOS PARA VOTAR CASSAÇÃO DE PEIXOTO

Estava, no final da tarde deste domingo (31/07), após fragorosa derrota do meu São Paulo para o Vasco (2 a 0, snif), matutando sobre o belíssimo trabalho que a Comissão Processante vem fazendo para demonstrar a culpabilidade do prefeito canastrão, que merece ser cassado, passar bons anos na cadeia e condenado a devolver o dinheiro que por ventura tenha desviado de sua finalidade precípua e me perguntei: podem votar os vereadores condenados por improbidade administrativa que não poderão ser candidatos nas próximas eleições municipais?

PRAIA
Futura residência do alcaide canastrão
O vereador Henrique Nunes (PV) é o grande articulado da base aliada do (ainda) prefeito Roberto Peixoto. Recentemente ele foi visto em uma praia semideserta, entre Ubatuba e Parati, possivelmente articulando uma saída para livrar o canastrão da cassação.

RAPIDEZ
O resultado dessa conversa pôde ser sentido rapidamente. Segundo o jornal CONTATO, o deputado estadual Padre Afonso Lobato teria conversado com Peixoto e colocado em marcha um movimento para o processo contra o prefeito canastrão não prosperar.

BALEIA
O encontro de padre Afonso Lobato e Roberto Peixoto teria ocorrido no escritório do PMDB em São Paulo, com o deputado estadual Baleia Rossi, presidente estadual do partido.

PALÁCIO
À medida que os dias se passam, novas informações vão alimentando a imprensa. A última delas dá conta que padre Afonso teria se reunido com Peixoto no gabinete do alcaide canastrão.

GRAVAÇÃO
Se esta reunião aconteceu de fato, os asseclas de Peixoto têm tudo gravado, inclusive o compromisso assumido pelo deputado de influenciar o voto do primeiro suplente de vereador, Regino Justo, ou Sérgio de Aquino, o segundo suplente, caso este seja convocado para votar o pedido de cassação do alcaide.

ENTREVISTA
Faz sentido, portanto, a entrevista dada pelo ex-deputado Ary Kara recentemente à Rádio Cacique, na qual ele tece elogios ao padre Afonso, chega a falar em Salvador Khuriyeh e diz que Vera Saba, a vice-prefeita que assumiria o lugar de Peixoto em caso de cassação deste, não tem qualificação para ocupar o cargo de prefeita de Taubaté. Claro que não tem. Vera Saba não é corrupta.

SUSPEITOS
Os vereadores Henrique Nunes (PV), Luizinho da Farmácia (PR), Chico Saad (PMDB) e Rodson Lima (PP) são suspeitos para votar o pedido de cassação do prefeito canastrão porque são “ficha suja” e com interesse direto na manutenção do status quo na administração municipal.

AFASTADOS
O vereador Jeferson Campos (PV), autor da denúncia que gerou a Comissão Processante, não poderá votar por isso. O vereador Carlos Peixoto, agora também “ficha suja”, não pode  votar por ser parente consanguineo.

SOBRA
Ou seja, dos 14 vereadores da nossa Câmara Municipal, temos cinco favoráveis à cassação (Pollyana, Digão, Vanone, Graça e Mário Ortiz) e quatro que não tem mais compromisso com a população, pois estão inelegíveis: Henrique Nunes, Chico Saad, Luizinho da Farmácia e Rodson Lima.

SUGESTÃO
Faço uma sugestão à Comissão Processante. Por que não entrar com mandado de segurança para afastar os quatro vereadores da votação, tendo em vista que eles não serão candidatos nas próximas eleições, portanto, sem nenhum compromisso moral ou ético com a população taubateana?