Páginas

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

COLETIVA DO PREFEITO CANASTRÃO É DISCURSO PARA BOI DORMIR E RONCAR

O (ainda) prefeito Roberto Peixoto acredita que a massa precisa ser mantida ignara para ser manipulada por embusteiros e políticos demagogos como ele. A “entrevista” coletiva do pior prefeito que Taubaté teve em seus 366 anos é uma prova da minha afirmação.

DISCURSO
A entrevista foi no prédio da Secretaria de Educação – antiga Câmara Municipal. A “coletiva” foi um fiasco, por nenhum repórter presente pôde perguntar. O jornalista Ednelson Prado, da Rádio Unitau FM, bem que tentou, mas foi proibido de perguntar.

PLATÉIA
A platéia de jornalistas só pôde fotografar, anotar e gravar o que disse o prefeito canastrão. Ninguém pôde fazer pergunta. Por que será? Teria o prefeito canastrão medo das perguntas? O seria medo de falar (mais) bobagem?

DESCONHECIMENTO
Como o secretário de Governo Adair Loredo, que não saberia voltar à pé ao Palácio do Bom Conselho se fosse deixado sozinho na Praça Dom Epaminondas, a assessoria de imprensa pessoal do prefeito canastrão, a Ex-Libris, não conhece Taubaté.

MANHÃZINHA
Eles chegaram de manhãzinha em Taubaté e perguntaram a um transeunte onde era a Secretaria de Educação, ora vejam vocês...

ACESSORIA
A assessoria pessoal do (ainda) prefeito de Taubaté não sabe acessar o Google para obter notícias e informações preciosas sobre Taubaté, que eles confundem com Tatuapé. Por que não acessaram o Google Maps para localizar com antecedência a Secretaria de Educação de Taubaté? Vocês ganham (e muito) para isso meninos... mexam-se!

MOMENTO
O assunto do momento é a sessão de cassação do (ainda) prefeito Roberto Peixoto, que pode ser marcada para a próxima quarta-feira (10/08). As vereadoras Graça (presidente da Câmara para assuntos da Comissão Processante) e Pollyana (presidente da CP) reuniram-se na manhã desta sexta-feira (05/08) para estudar a data mais apropriada.

POSIÇÕES
O que mais se discute é a posição dos vereadores que poderiam votar contrários à cassação do prefeito canastrão. Entre eles estariam Henrique Nunes, Chico Saad, Rodson Lima e Luizinho da Farmácia.

INELEGÍVEIS
Vale ressaltar que Henrique Nunes jamais escondeu pertencer à base aliada de Peixoto. Inelegível após acórdão do Tribunal de Justiça que o tornou “ficha suja” e inelegível pelos próximos três anos, o vereador do PV não tem o que perde e deve manter sua fidelidade a Peixoto. Luizinho da Farmácia, Chico Saad e Rodson Lima também estão inelegíveis. Os quatro devem votar contra a cassação.

GUERRA I
A guerra de liminares começou. A defesa do prefeito canastrão impetrou mandado de segurança para impedir que os vereadores suplentes, Regino Justo (PV) e Diego Fonseca (PSDB) sejam impedidos de votar. Eles devem substituir Jeferson Campos (PV), autor da denúncia que resultou na instalação da Comissão Processante, e Carlos Peixoto (PMDB), impedido de votar por ser parente consanguineo em segundo grau do prefeito canastrão.

GUERRA II
Os defensores da cassação de Peixoto também devem entrar na Justiça segunda-feira (08/08) com mandado de segurança para impedir os vereadores Ary Kara José Filho e Chico Saad e votarem na sessão de cassação do (ainda) prefeito Roberto Peixoto.

MOTIVO I
Os motivos alegados devem ser a inclusão do nome do vereador Ary Kara José Filho no despacho do desembargador do Tribunal Regional Federal que autorizou a prisão de Peixoto. O grupo suspeita que Aryzinho estaria sendo investigado pela Polícia Federal. Por que seu nome aparece no despacho?

MOTIVO II
O “amigo de verdade” tem interesse direto na não cassação de Peixoto por vários motivos. Um deles é o fato de a filha do prefeito canastrão, a advogada Roberta Flores de Alvarenga Peixoto, ser sua defensora em processos judiciais. Como o divulgado abaixo.

INSTIGANTE
Como o fim de semana está se aproximando, deixo com os amigos internautas outro cordel da lavra do professor Silvio Prado, instigante, como sempre.

ASSUNTO DO MOMENTO

O assunto na cidade
Ainda é a situação
Do prefeito Peixotinho
Que segue na contra-mão
Dando nó em pingo d'água
Pra evitar a cassação.

Em todo boteco e esquina
Pelas rodas de baralho
No futebol e comércio
O prefeito leva o malho
E por ele ninguém dá
Nem poeira de cascalho.

E tem gente apostando
Que o final de seu mandato
Chega antes de setembro
Anunciando o grande fato
Onde o fim de seu poder
Deixará de ser boato.

Porém por toda cidade
Tem gente tão pessimista
Que acredita que o prefeito
Sempre pagando à vista
Na câmara tem garantida
Forte base peixotista.

No meio do falatório
Tem quem faça a previsão
De que a câmara não cassa
E nem deixa ele na mão
Dando jeito e evitando
Que ele sofra cassação.

Tem cheiro de pizza no ar
Já falou um entendido
Que sabe das malandragens
E do montante investido
Para evitar que uma virgula
Dê a historia outro sentido.

Se tem gente apostando
Que o prefeito nunca cai
Outros de sua queda
Dizem já ouvir um ai
Se o povo for as ruas
Pra dizer onde ele vai.

E pra onde o homem for
Que leve sua comitiva
A mesma que teve com ele
Vida por demais festiva
Sustentada pelo povo
E por grana muito viva.

E que não indo sozinho
Leve consigo assessor
Também a primeira dama
E mais de um vereador
Talvez mais de meia dúzia
Gente sem nenhum pudor.

Pois se o prefeito errou
Ele não errou sozinho
Sempre tendo aconchego
Fazendo um bom negocinho
Oportuno e tão precioso
Com algum vereadorzinho.

Mas enquanto se  especula
Se ele para ou continua
O caos se faz visível
E a verdade anda tão nua
Que a ausência de comando
É  sentida em toda rua.

O mato cresce nas praças
O trânsito não tem  sentido
E lá no pronto-socorro
Um outro desassistido
Depois de um dia de maca
Já esgotou seu gemido.

Mesmo que o mal cheiro
De uma pizza apodrecida
Escape do forno da câmara
Pra complicar nossa vida
O que a cidade precisa
É encontrar uma saída.

Não pode ficar no impasse
Dependendo de um prefeito
Que não pode ir à rua
Mesmo tendo sido eleito
Porque o povo revoltado
Conhece seu maior defeito.

Portanto chegando a hora
E será ainda em agosto
Que Taubaté vai saber
Se ele se mantém no posto
Ou sob pressão do povo
De imediato é deposto.

Independente da câmara
Onde o prefeito deita e rola
E tem até vereadores
Guardados numa sacola
Só por pressão popular
É que a  cassação decola.

E se a câmara resistir
Em botar fim nesse mal
Não resta outro recurso
Senão ser mais radical
Deixando o desfecho da coisa
Pra Policia Federal.

Silvio Prado, 29/07/11