Páginas

sábado, 27 de agosto de 2011

PREFEITO CANASTRÃO E ENGANADOR PRECISA SER DESMENTIDO TODO DIA

Nosso (ainda) prefeito deu entrevista à televisão e voltou a mentir. Ele mistura números para confundir quem ouve sua canalhice. O canastrão é loquaz. Como fala demais e não tem o que dizer, mente descaradamente. Mais uma vez a vereadora Pollyana Gama teve que desmentir o canastrão e mentiroso Roberto Pereira Peixoto.

MENTIRAS E VERDADES

Mentira: Peixoto afirma que “deu” 40% de aumento salarial

Verdade: Esse porcentual refere-se ao adicional de nível universitário a qual os professores têm direito desde dezembro de 2007, quando foi implantado o estatuto do magistério de Taubaté.

Mentira: O canastrão disse que o aumento proposto agora é para os professores P3, como se o benefício fosse isolado para uma só categoria de professor.

Pollyana debruça-se sobre as questões do magistério e desmente canastrão
Verdade: Peixoto será desmentido no pagamento do 13º aos servidores públicos municipais, uma vez que a revisão salarial é para todos os servidores. Leiam o que diz a vereadora Pollyana Gama à respeito.



Prezados(as) professores(as)


Diferente do que o prefeito disse em entrevista para a TV Band, os 40% pagos para P1 e PEI, cuja última parcela foi paga em agosto de 2011, não se trata de aumento e sim de adicional de nível universitário (cuja Emenda é de autoria desta vereadora) conquistado com o estatuto do magistério em dezembro de 2007.

O prefeito também diz na matéria que o "aumento" proposto agora será para P3. Um equívoco, uma vez que a revisão de 13% deverá ser paga para todos os professores da rede pública, incluindo os aposentados pelo IPMT.

Esta vereadora considera o aumento de 13% algo bom, mas com sérias ressalvas. Só para este, ano o valor correto de revisão previsto na lei do piso salarial da categoria, é de 24.67%.

Se fossemos considerar as perdas salariais dos anos de 2006, 2009 e 2010, anos em que a prefeitura deixou de pagar a revisão salarial para os professores, a reparação da revisão salarial deveria ser de 48,61%.

Daí o porquê das críticas em relação à revisão de 13% oferecida pela Prefeitura.

OBS: Até o momento, o projeto de revisão do salário dos professores não foi encaminhado à Câmara para votação.

Por ora, aguardamos a chegada do projeto para checar o teor do documento, bem como as categorias e o número de professores que serão contemplados.

Assim que o projeto for encaminhado à Câmara, a Comissão de Educação da casa deverá agendar uma audiência pública para discutir o aumento.

No mais, os professores, como sempre, podem contar com a intervenção desta vereadora para que o mesmo só seja aprovado caso contemple realmente todos os professores da rede.

Em tempo: compartilhamos que revisão é diferente de aumento.

Revisão: tem por objetivo corrigir a desvalorização dos salários em função da ocorrência da inflação anual.

Aumento: acontece em decorrência da aplicação do Plano de Carreira mas em Taubaté, a categoria dos professores ainda não conta com tal plano.