Páginas

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

PSDB IGNORA VEREADOR DIGÃO PARA EXALTAR “DONOS” DO PARTIDO

O diretório municipal do PSDB divulgou boletim com as “realizações” do partido em Taubaté como obras (?) e transferências (?) de verba para o Hospital Universitário. O boletim tem um propósito: exaltar o ex-prefeito Bernardo Ortiz e seu filho, Ortiz Júnior, pré-candidato a prefeito desta urbe quase quatrtocentona.

IGNORADO
Advogado Brenno Ferrari, Pollyana, Digão e Graça durante sessão da CP
Os Ortiz se esqueceram do magnífico trabalho que o vereador Rodrigo Luís Silva – Digão vem desenvolvendo na Câmara Municipal. Não há, no boletim, uma linha sequer citando o trabalho de fôlego de Digão na relatoria da Comissão Processante, que colocou o prefeito canastrão nas cordas, a um passo de ser cassado.

PESQUISA
Se fizerem uma pesquisa empírica sobre quem é mais conhecido em Taubaté, Ortiz Júnior ou Digão, não tenham dúvida que o vereador vence disparado, merecidamente. A seriedade  demonstrada por Digão em seu primeiro mandato tem contagiado quem frequenta a Câmara Municipal para acompanhar de perto os vereadores.

CANDIDATURA
Ninguém desconhece que Bernardo Ortiz quer fazer seu filho prefeito desta urbe quase quatrocentona. Aliás, a única eleição para prefeito que Ortiz, o “Velho”, perdeu em Taubaté foi justamente a de 2008, quando apoio a candidatura de seu filho Júnior.

JUGO
Em termos eleitorais, Ortiz sempre foi vencedor em Taubaté. Foi prefeito desta cidade três vezes e elegeu três sucessores: Salvador Khuriyeh, Mário Ortiz r Roberto Peixoto. Poucos, no entanto, conseguiram escapar do jugo do ex-prefeito, que tem uma forma peculiar de fazer política.

JUDAS
Bernardo Ortiz é dado a desconstruir a imagem de adversários, ou de quem ele transforma em adversário, chamando-os de “judas”. A plebe sempre o viu como semideus e ele próprio se julga semideus. Bernardo Ortiz sempre gostou de vassalos cercando-o.nos últimos trinta anos sempre teve o poder nas mãos, sempre esteve cercado de vassalos.

INDEPENDENTE
Os Ortiz, pai e filho, devem estar inconformados com a independência do vereador Rodrigo Luís Silva – Digão, pois ele não pede as bênçãos do clã para agir conforme sua consciência e a vontade demonstrada pela população.

ALTA
Se o clã dos Ortiz parasse para pensar e deixasse de vomitar uma candidatura a prefeito de Taubaté ao seu bel prazer, por certo escolheria Digão, muito mais popular que Ortiz Júnior, atual presidente do diretório municipal do PSDB.

COMPANHEIRO
Aliás, o engenheiro Luiz Sérgio, que já foi funcionário da Sabesp (indicado pelo ex-deputado  Ary Kara José), que já foi assessor do deputado  Padre Afonso (PV) e do ex-deputado federal Marcelo Ortiz (PV ), foi visto pelo menos duas vezes dirigindo em Taubaté em companhia de Ortiz Júnior. Só não se sabe se ele estava servindo de motoristas ou oferecendo c arona ao pré-candidato a prefeito de Taubaté.

PODER
A atitude do PSDB taubateano é uma clara demonstração que o projeto do partido para a cidade “tomar” a Prefeitura para si e garantir emprego para seus apaniguados. É só um projeto de poder.

LUIZINHO
O jornalista e escritor Carlos Karnas, escreveu para este blog uma observação sobre a fala do vereador Mário Ortiz (DEM) e a reação, para ele descabida, o do vereador Luizinho da Farmácia (PR), na sessão de Câmara do último dia 23/08. Leiam:

“A não cassação do prefeito Roberto Peixoto (PMDB) parece ser permanente incômodo para os vereadores que, justamente, o defenderam. Na última sessão da Câmara de Taubaté (23/08/11), o vereador Luizinho da Farmácia perdeu a oportunidade de ficar calado. Falou e vestiu a carapuça. Pior, demonstrou o servilismo e a estranha união da qual pode participar com o que é obscuro na administração municipal. Luizinho da Farmácia ficou indignado com o educado, lúcido e transparente discurso do vereador Mario Ortiz no plenário. Na verdade, Mario Ortiz enfatizou a necessidade de o legislativo e a administração municipal retomarem o trabalho em ritmo normal, depois da letargia que se estabeleceu com a sessão para votação da cassação do prefeito. Mario Ortiz votou a favor da cassação e leu o seu artigo “Minha consciência, meu compromisso”, publicado na internet. Foi artigo importante e necessário para o momento político. Retratou postura correta de político comprometido com Taubaté e que age com a devida transparência. A ponderação, elegância e intenção voltada ao bem comum — como está posto no artigo — demonstraram responsabilidade e bom senso de Mario Ortiz. Não ouve em outros dos seus pares no colegiado da Câmara, exposição tão oportuna como a que Mario Ortiz proporcionou para o momento. O artigo não cita nomes e não faz provocações. É educadamente político e preciso para os esclarecimentos necessários à população. Quem se denunciou espontaneamente, sem necessidade e sem motivo aparente, foi o indignado vereador Luizinho da Farmácia. Foi uma surpresa. O colegiado presente não entendeu nada, sorriu amarelo, mas Luizinho da Farmácia exigiu que a sua indignação constasse em ata. Talvez para levar a transcrição para Peixoto junto com alguma fatura na mão. Há algum outro motivo? Parece que dor na consciência pesa. Não há outra explicação.”