Páginas

terça-feira, 13 de setembro de 2011

HÁ UM MÊS, SEIS VEREADORES SALVARAM O PREFEITO CANASTRÃO DA CASSAÇÃO

A madrugada de 13 de agosto está indelevelmente marcada na história política de Taubaté. A sessão extraordinária da Câmara Municipal começou pouco depois do meio-dia de sexta-feira (12/08) e terminou por volta das 3 horas da madrugada de sábado (13/08), com a absolvição do prefeito canastrão.

PROTESTO
Um dos muitos grupos que se formou em Taubaté para combater os atos de corrupção praticados pelo prefeito canastrão, segundo denúncia do Ministério Público, estendeu uma faixa sobre a palavra literatura, transformando, com justa razão, o texto em “Taubaté, capital nacional da corrupção”.

"Homenagem" à corrupção em Taubaté. Foto: Ângelo Moraes
AGILIDADE
A faixa, com texto em branco sobre fundo preto, não ficou estendida nem meia hora. Ágeis, funcionários da Prefeitura trataram de retirar a homenagem prestada por manifestantes contra um dos mais altos graus de corrupção deste país. Os funcionários municipais cumpriam ordens. São braçais, obrigados a fazer o que fizeram.

INFÂMIA
O que fizeram os vereadores Ary Kara José Filho, Chico Saad, Henrique Nunes, Luizinho da Farmácia, Maria Teresa Paolicchi e Rodson Lima na madrugada da infâmia jamais será esquecido pelo cidadão taubateano.

DESCONSIDERAÇÃO
Estes vereadores desconsideraram as denúncias gravíssimas feitas pela médica Rita de Cássia Bittar sobre a falta de remédios na cidade e as mortes que teriam ocorrido em consequência disto. Aqueles vereadores não levaram em consideração o superfaturamento na compra de medicamentos constatada por auditoria contábil.

ACERT
A criação da ACERT, os depoimentos contraditórios do médico Pedro Henrique Silveira sobre a “devolução” de remédios com prazo de validade vencido, a confirmação das testemunhas arroladas pela Comissão Processante  sobre a criação suspeitíssima da ACERT. Nada disso foi considerado por aqueles vereadores.

DEMOCRACIA
A democracia tem custo e deve ser bancada pela sociedade. O Poder é dividido em Executivo, Legislativo e Judiciário. Deveriam agir de forma independente um do outro, mas não é assim. O Poder Executivo tem força sobre o Poder Legislativo e, muitas vezes, sobre o Poder Judiciário.

MONTESQUIEU
Taubaté é um bom exemplo para qualquer estudioso de Charles Montesquieu. Aqui, o Poder Executivo, representado pelo prefeito canastrão, exerce forte influência sobre pelo menos seis vereadores que compõem o Poder Legislativo.

LENIÊNCIA
O Poder Judiciário em Taubaté foi leniente sempre que se tratou de ações contundentes do Ministério Público contra o prefeito canastrão. Em pelo menos vinte ações Peixoto saiu vitorioso em Taubaté. Os recursos estão sob julgamento pelo Tribunal de Justiça. Peixoto não terá mais sossego. Nunca mais. Não deixaremos.

FORTALECIMENTO
O fortalecimento do Poder Legislativo é essencial para a roda da democracia girar em benefício da população, pois somos nós os responsáveis pela eleição de nossos legisladores. Eles estão lá pela popular manifestada nas urnas. Se estivermos descontentes com eles, basta trocá-los na eleição seguinte.

TRAIÇÃO
Está claro que jamais esperamos ser traídos por quem elegemos para nos representar. Mais uma vez Taubaté serve de exemplo. Dos 14 vereadores eleitos em 2008, seis traíram a vontade popular. Os motivo$ todo$ $abemos.

FAVORÁVEL
Mesmo me sentindo traído, sou a favor de uma Câmara Municipal com mais vereadores. Creio mesmo que o número de parlamentares deva subir para 19 ou 21 vereadores. Como escrevi acima, a democracia tem custo e cabe à sociedade bancar as despesas.

TRANSPARÊNCIA
Vereadores e suplentes debatem, em maio, aumento no número de parlamentares na Câmara Municipal de Taubaté, que pode chegar a 19 ou 21 cadeiras. É o custo da democracia que todos nós pagamos, direta ou indiratamente
O legislativo taubateano não pode ter menos que 19 vereadores. É preciso transparência: quantos assessores terão cada vereador, quantos telefones celulares ficarão à disposição dos vereadores e quem irá utilizá-los, quantos veículos cada vereador terá à sua disposição e como o cidadão terá acesso às informações a utilização dos mesmos, qual a forma do reajuste do subsídio dos vereadores e assim por diante.

MANIQUEÍSMO
Na sessão desta quarta-feira (14/08) poderá ser votado o aumento do número de vereadores na Câmara Municipal de Taubaté. A população deve acompanhar de perto, sem maniqueísmo, pois sempre elegeremos vereadores que se destacarão pela sua competência e honestidade e outros que se destacarão pela incompetência e a desonestidade. É o preço que se paga pela democracia. Temos obrigação de votar o dever de acompanhar o trabalho dos vereadores que elegermos.

COSTURA
Neste blog apoiarei a existência de 19 ou 21 vereadores em nossa Câmara Municipal. Se tivéssemos mais vereadores, provavelmente o vereador Luizinho da Farmácia não seria o próximo presidente da Câmara Municipal, graças ao acordo costurado por Henrique Nunes que elegeu Jeferson Campos para presidir o legislativo municipal e deverá levar Luizinho da Farmácia ao cargo o ano que vem.

DEBATE
Com mais vereadores, por certo estaríamos debatendo publicamente quantos vereadores Taubaté precisa, estaríamos discutindo a renovação de contrato com a Sabesp e Luizinho d Farmácia não seria eleito presidente da Câmara com um ano de antecedência, graças a acordos políticos espúrios comandados por Henrique Nunes, o grande responsável pela manutenção do prefeito canastrão nio Palácio do Bom Conselho.