Páginas

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

ALCKMIN DESISTE DE NOMEAR AUXILIAR FICHA LIMPA PARA PROTEGER ORTIZ

A notícia, divulgada com pompa e circunstância pelo governador Geraldo Alckmin, parecia coisa séria.O governador decidira, a exemplo de seu colega mineiro Antonio Anastasia, nomear para auxiliá-lo somente quem tivesse ficha-limpa. A intenção durou pouco.

Conforme a Folha de S. Paulo, o governador desistiu da ideia após lembrar que um de seus principais auxiliares e inspirador, o ex-prefeito taubateano José Bernardo Ortiz, atual presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) é ficha suja em segunda instância.

Em Taubaté, o pré-candidato tucano à Prefeitura, Ortiz Junior, elogiou a atitude do governador paulista com uma frase no Facebook. O rapaz se enganou. Se Alckmin acreditasse no decreto que acabara de assinar, Bernardo Ortiz seria um dos primeiros auxiliares do governador a ser demitido. E a coragem?

Aqui, a postagem de Ortiz Junior no Facebook feita na quarta-feira (09/11), elogiando o governador. 
SUPERFATURAMENTO

Enquanto Alckmin peleja para saber como manter o amigo no governo, o deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL) lamenta a ausência de Ortiz na Comissão de Fiscalização e Controle da Assembleia Legislativa terça-feira (08/11) para explicar o relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que aponta diversas irregularidades na FDE, a qual preside, como superfaturamento de obras em escolas.

Não há CPI na Assembleia Legislativa sobre a FDE porque a tropa de choque do governo do Estado não permite. Ortiz deveria ser ouvido em setembro. Porém, emissários do governador Geraldo Alckmin “convenceram” os deputados da Comissão de Fiscalização e Controle, presidida pela deputado tucano Geraldo Vinholi, a adiar a audiência de Ortiz.

O deputado Carlos Giannazi, autor do pedido para que Ortiz fosse convidado a prestar esclarecimentos estranha o fato de a FDE ter “tanto dinheiro no caixa” e ainda existirem escolas de lata.

Giannazi  agora sabe quem é o velho lobo da política taubateana. Alckmin sabe com quem está lidando e faz tudo para evitar uma CPI sobre a FDE.

As denúncias de má gestão dos recursos da FDE, estimados em R$ 2,5 bilhões para este ano vão se avolumando.

A última, que publicamos abaixo, está no blog Na Maria News

terça-feira, 13 de setembro de 2011

E seu Barão assina os jornais e revistas para as Escolas Públicas.

Interrompemos nossas saudáveis férias nas paradisíacas selvas de Bornéu para informar que a chuva é molhada, o sol é quente, a grama é verde e a Educação de São Paulo continua a mesma, embora sob completa nova direção.

O Barão de Taubaté, ou melhor, o Sr. José Bernardo Ortiz Monteiro é o presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) desde sua nomeação pelo Governador Geraldo Alckmin, em janeiro deste ano. Pois não é que depois de ferrenha labuta nas negociações, Ortiz acatou ordem superior e assinou milhares de exemplares de jornais e revistas do PIG (Proba Imprensa Gloriosa) – para as melhores escolas públicas do mundo, cujos professores são também os mais bem remunerados do planeta? Sim. Exatamente como fizeram seus antecessores, o ex-governador José Serra e o finado Paulo Renato Costa Souza, ex-secretário de Educação de SP, o Barão de Taubaté fechou com a Folha de SP, Estadão, Revista Veja, IstoÉ e Época. Tudo, como sempre, sem licitação.

Desnecessário dizer que, mais uma vez, a Carta Capital não aparece no rol dos favorecidos.

Eis os contratos, datas e seus valores, de acordo com o Diário Oficial:

·         27/julho/2011Época
·         - Contrato: 15/00628/11/04
·         - Empresa: Editora Globo S/A
- Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 (cinco mil e duzentas) assinaturas da "Revista Época" - 52 Edições, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo - Projeto Sala de Leitura.
·         - Prazo: 365 dias
·         - Valor: R$ 1.203.280,00
·         - Data de Assinatura: 26/07/2011
·         (*Primeiro comunicado no DO em 12/julho/2011)
·         29/julho/2011 Isto É
·         - Contrato: 15/00627/11/04
·         - Empresa: Editora Brasil 21 LTDA
·         - Objeto: Aquisição pela FDE, de 5.200 (cinco mil duzentas) assinaturas da "Revista Isto É", 52 Edições, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo - Projeto Sala de Leitura.
·         - Prazo: 365 dias
·         - Valor: 1.338.480,00
·         - Data de Assinatura: 25/07/2011.
·         (*Primeiro comunicado no DO em 12/julho/2011)
·         3/agosto/2011Veja
·         - Contrato: 15/00626/11/04
·         - Empresa: Editora Abril S/A
·         - Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 (cinco mil e duzentas) assinaturas da “Revista Veja”, 52 Edições, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo
·         - Projeto Sala de Leitura
·         - Prazo: 365 dias
·         - Valor: R$ 1.203.280,00
- Data de Assinatura: 01/08/2011.
·         (*Primeiro comunicado no DO em 12/julho/2011)
·         6/agosto/2011Folha
·         - Contrato: 15/00625/11/04
·         - Empresa: Empresa Folha da Manhã S.A.
·         - Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 (cinco mil e duzentas) assinaturas anuais do jornal “Folha de São Paulo”, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo - Projeto Sala de Leitura
·         - Prazo: 365 dias
·         - Valor: R$ 2.581.280,00
·         - Data de Assinatura: 01/08/2011.
·         (*Primeiro comunicado no DO em 23/julho/2011)
·         17/agosto/2011 Estadão
·         - Contrato: 15/00624/11/04
·         - Empresa: S/A. O Estado de São Paulo
·         - Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 assinaturas anuais do jornal “O Estado de São Paulo”, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo - Projeto Salas de Leitura.
·         - Prazo: 365 dias
·         - Valor: R$ 2.748.616,00
·         - Data de Assinatura: 01-08-2011.
·         (*Primeiro comunicado no DO em 23/julho/2011)
Total: R$ 9.074.936,00.
Você pode comparar os valores e quantidades dos anos anteriores nas tabelas deste texto.

Extenuado de tanto firmar tão bons acordos pedagógicos, o presidente da FDE, José Bernardo Ortiz Monteiro, como faz qualquer funcionário público, foi ter uns dias de férias lá na Europa.
Oh là là!

Alvíssaras, confrades.