Páginas

domingo, 25 de dezembro de 2011

NOITE FELIZ DE VEREADORES CAPIXABAS FOI PASSADA NO XILINDRÓ DE ARACRUZ

Por conta das festas natalinas, a notícia não ganhou destaque nacional. Não foi manchete do Jornal Nacional nem dos jornalões dos barões da mídia nacional. O fato é que a Justiça do Espírito Santo acatou pedido do Ministério Público e esticou a prisão temporária de dois vereadores por mais cinco dias, obrigando-os a passar o Natal engaiolados.

O vereador Orvanir Pedro Boschetti (PMDB) e o secretário de Infraestrutura de Aracruz, Ismael Rós Auer, foram presos preventivamente dia 19/12 (segunda-feira) e não têm data para serem libertados.

Na mesma operação foram presos temporariamente os vereadores Jocimar Rodrigues Borges (PSB) e Ozair Coutinho Gonçalves Auer e o advogado da Câmara Municipal Guilherme Loureiro. A prisão temporária venceria na véspera de Natal (24/12).

Acatando pedido do Ministério Público de Aracruz, a Justiça esticou a prisão temporária dos vereadores e do advogado da Câmara por mais cinco dias. Os três passaram o Natal engaiolados.

O jornal A Gazeta do Espírito Santo de sábado (24/12) informava que o vereador Gil Furieri (PMDB) continuava trancafiado no xilindró de Aracruz.

Assim como Boschetti e Ismael Auer, Gil Furieri é acusado de coagir e ameaçar testemunhas e atrapalhar as investigações.

A quadrilha é acusada de fraudar licitações, extorsão, contratação de funcionários fantasmas e rachid (apropriação de parte do salário dos servidores).

Neste quesito, qualquer semelhança com Taubaté não é mera coincidência.

Aracruz é um município capixaba com pouco mais de 80 mil habitantes, segundo o censo de 2010.

A economia da cidade gira em torno da Aracruz Celulose, a maior fabricante mundial de celulose branqueada de eucalipto, dona de 24% do mercado mundial de celulose.

Os papéis da Aracruz Celulose na Bolsa de Valores de São Paulo estão entre os mais negociados.