Páginas

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

TROMBETEIROS DO PSDB PRATICAM SABUJICE PARA DEFENDER O CHEFE

A cúpula do PSDB é formada por seres delirantes, que não admitem o contraditório. A vassalagem prestada pelos súditos da dinastia Ortiz em Taubaté causa repugnância.

Basta uma pequena crítica ao subchefe do clã, Ortiz Junior, para seus sabujos saírem por ai mordendo os calcanhares de quem ousou criticar a divindade.

Como num jogo de xadrez, os peões vão à luta para proteger o rei do xeque-mate por saberem que ele está por um lance no tabuleiro da sucessão municipal.

Isto explica a sandice de Mauro Taddeo, que não pode ver escrito que seu chefe foi empregado de Peixoto na Prefeitura de Taubaté por conta do apoio do velho Ortiz ao seu ex-vice-prefeito Roberto Peixoto, que anos mais tarde se transformaria no prefeito canastrão que conhecemos.

Mauro Taddeo, assista o vídeo no qual seu chefe político, Bernardo Ortiz, diz textualmente que considerava Peixoto incompetente, mas o apoiou assim mesmo. Por quê? Qual a lógica de Ortiz? Eleger um incompetente para depois voltar à Prefeitura como salvador da pátria?

Meu currículo, com certeza, é coerente: trabalhei três meses para Geraldo Alckmin e me demiti. Em Cruzeiro, terra onde fica sua empresa (Goal – Language School), dirigi com muito orgulho e competência a Rádio Mantiqueira.

Não sei se você é natural de Cruzeiro, mas se morou lá deve saber quem foi Paulo Scamilla. Deve ter ouvidos falar em Zé Edson, Beto Willians, Zé Rogério, Dimas Carvalho, Machado Sobrinho, Jajá.

Os meses que trabalhei na Mantiqueira foram suficientes pra que eu revelasse para o rádio o Dimas e o Beto Willians, que estão lá até hoje. Há quase trinta anos, portanto.

Quando você for a Cruzeiro, a passeio ou a negócio, vá à rádio e pergunte aos dois locutores quem eu fui na emissora. O desafio está feito.

Portanto Mauro Taddeo, não fique tagarelando sobre o que você não conhece.

Quanto ao anônimo das 8h25, que não se identifica, tire informações sobre o meu trabalho policial com os delegados Roberto Martins de Barros, Ivahir de Freitas Garcia Filho, Marcelo Duarte (que ingressou na Polícia comigo no mesmo concurso de 1988).


Eles podem te dar minha capivara. Você vai se decepcionar porque, assim como era bom jornalista e bom radialista, também fui bom policial. Você não vai encontrar uma nódoa em meu currículo. Não posso discutir com um anônimo porque jamais critiquei ou elogiei alguém anonimamente.


É isto que os deixa delirantes, Mauro Taddeo e anônimo. Tenho estofo moral para criticar ou elogiar quem mereça ser criticado ou elogiado. Meu passado profissional me permite.

Ao reproduzir os comentários dos dois trombeteiros, deixo claro que não postarei este texto em nenhum grupo da rede social porque esta discussão é particular e só tomou este rumo porque os vassalos de Ortiz tomaram as dores do chefe.

Abaixo, os comentários aos quais me referi.


Mauro Taddeo disse...
Agora entendo a lógica do Irani Lima: Belo e coerente currículo jornalista: trabalhos com políticos, em Prefeituras, à esquerda, à direita, no centro, etc. Pois é ! Quem com com fogo convive e não sabe lidar com ele sempre se chamusca , meu caro !!rsrsrs
9 de dezembro de 2011 08:04


Anônimo disse...
O Irani, foi policial civil quando o Ary era o governador do Vale, sera que teve colinha pra ele no dia da prova do concurso?