Páginas

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

PAGAMENTOS À HOME CARE ABREM AS PORTAS DA CADEIA PARA PEIXOTO

A investigação do vereador Digão começou na sessão de 23/11/11, quando foi protocolado o pedido de informações à Prefeitura sobre pagamentos suspeitos à Home Care, cuja soma de valores ultrapassava a R$ 1,03 milhão.

Quando os pagamentos foram efetuados, Home Care e Prefeitura de Taubaté não tinham mais contrato. Portanto, uma fraude estaria em andamento nos porões do Palácio do Bom Conselho.

Digão, acompanhado por Pollyana, protocola denúncia contra Peixoto
Na mesma época, Digão teve o cuidado de informar o Ministério Público, a Defensoria Pública, a Procuradoria Geral da República e a Controladoria Geral da União (CGU) sobre o que estava sendo investigado.

Ao receber da Prefeitura os documentos solicitados, com o apoio da equipe da vereadora Pollyana, Digão reuniu as provas que precisava para denunciar o prefeito Roberto Peixoto por infração político-administrativa, passível de cassação.

O vereador Henrique Nunes (PV), um dos artífices da defesa do prefeito canastrão, como um trânsfuga, fugiu da batalha para não se comprometer.

Matou dois coelhos com uma só cajadada:

1)    Comprometeu o PSDB ao fazer o suplente de vereador Bilili de Angelis votar contra a instalação de outra CP contra Peixoto.
2)    Comprometeu o PV ao se ausentar da sessão e “obrigar” Jeferson Campos a votar a favor da CP apenas por conveniência.


Abaixo, o documento protocolado por Digão na sessão de Câmara de 23/11/11, no qual pedia informações sobre pagamentos suspeitos à Home Care.





Aqui a denúncia do vereador Digão apresentada em plenário, que a Bancada da Vergonha II rejeitou.