Páginas

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

SILVIO PRADO CRIA UMA IMPROVÁVEL ESCOLA DE SAMBA EM TAUBATÉ

Como estamos no meio das festas carnavalescas, nada melhor que o texto reproduzido abaixo, da lavra do professor Silvio Prado, sobre uma improvável escola de samba taubateana.

O carnavalesco tomou um porre de realidade e endoideceu. Pela madrugada, enquanto acertava detalhes de mais uma criação original, foi interrompido por um estranhíssimo espírito de porco que tomou sua mente e envolveu sua capacidade criativa. Quando deu pela coisa, não deu outra, tinha à sua frente um enredo e uma escola de samba compostos e recheados de detalhes extraídos do cotidiano de Taubaté, cidade que o acolheu com tanto carinho.

De imediato, ele esqueceu algumas ideias sempre repetidas, mas sempre originais nos carnavais, que falavam de príncipes engalanados e índios enganados, princesas e carros de fogo descendo do céu, negros arrebentando correntes mas nunca conquistando a liberdade.

Enfim, como ele sabia que seu irmão de samba, o Jorge Aragão, havia outro dia mordido cenzinho para dedilhar seu cavaquinho apenas por uma hora e meia de samba na Avenida do Povo, ele correu em busca do mesmo patrocinador para seu originalíssimo enredo e... quebrou a cara.

Resultado: a sua ideia não saiu do papel nem entrou na avenida, mas sai agora, com exclusividade, neste informativo. Portanto, segue abaixo algumas das ideias do frustrado carnavalesco que imaginou uma monumental escola de samba com motivos exclusivamente taubateanos mas que, por motivos óbvios, não encontrou patrocinador disposto a bancar o seu projeto, considerado por muitos como nada carnavalesco.

Nome da escola de samba: Grêmio Recreativo Independente Unidos da Esculhambação.

Enredo: Aventuras e Prosopopeias de uma Cidade Exemplar em tempos de eleição e mutretas afins.

Comessão de frente: uns 14 ratos roendo queijo importado do contribuinte, aquele mesmo ferrado contribuinte que sempre aparece cabisbaixo em pontos de ônibus e filas de pronto-socorro, mas paga pontualmente os benefícios usufruídos por ratos de todo tipo.

Primeiro carro alegórico: um espetáculo de carro alegórico, com o Rato Principal ao lado de uma Gorda Ratazana, esta sempre roendo escandalosamente e atazanando a vida do Rato Principal.

Outros carros alegóricos, secundários, porém extremamente vistosos:

PRINCIPE DO TRÊS MARIAS: carro alegórico com seu personagem principal, ao lado de Lucimara do Mangue, deitando e rolando e passeando de sunga branca por algumas praias do Nordeste.

COMENTARISTAS DA METRÔ: um imenso carro em forma de microfone falando bobagens políticas a cada meia hora, sempre desfilando entre cinco e seis e meia da manhã, mesmo que não haja carnaval.

BARRIGUDA DA HORA, carro com 70 metros de altura, trezentos de comprimento, todo feito de silicone asiático, porém transparente, mostrando no interior da enorme barriga uma sessão solene onde 14 cidadãos decidem os novos valores de seu salário e também o do prefeito.

AMIGOS DA FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação), órgão base da educaçao paulista cujo orçamento chega a tres bi de reais. O mais elegante e rico carro de nosso glamuroso carnaval, com tons azuis fortíssimos compondo a base do carro e mil tons diferenciados de amarelo na parte superior.

Esse carro consegue o feito de ser maior e mais vistoso que o carro BARRIGUDA DA HORA. Seus autores, dizem, perderam a conta do quanto gastaram na estrutura e na sua vistosa decoração. Se depender dessa alegoria e seus idealizadores, o desfile desse carro deve ficar na avenida até mais ou menos a primeira quinzena de outubro, sempre comandado por um moço feliz por esse presente recebido de seu excêntrico pai.

Alas principais da inusitada escola taubateana:

CAROLINEAS E CAROLINEOS: ala que desfilará com personagens praticamente nus, com homens e mulheres usando tapa sexo feitos de notas fiscais há muito tempo desaparecidas.

ALA DOS OVOS DE OURO: o carnavalesco, inspiradíssimo, propôs trazer para a avenida gigantescas galinhas cacarejando coisas ininteligíveis e desenvolvendo uma singular coreografia em todo o trajeto do desfile. A cada passagem do refrão do samba enredo, elas, conjunta e sincronicamente, batem asas e botam enormes e brilhantes ovos de ouro, disputados a tapa pelo Rato principal e sua inoportuna Ratazana.

COMPOSIÇÃO DA BATERIA: mais de cem excelentes percursionistas, todos pertencentes à Polícia Federal, dando um ritmo alucinante ao desfile e conduzindo a escola, toda ela, para algumas dezenas de camburões estacionados na área de dispersão.

Silvio Prado