Páginas

sexta-feira, 16 de março de 2012

PEIXOTO DÁ 40 DIAS DE FÉRIAS PARA SECRETÁRIA DE GABINETE E SEU MARIDO

O engenheiro Marino Lucci de Araujo, secretário de Desenvolvimento e Inovação da Prefeitura de Taubaté, e sua mulher, Rosa Maria Moreira da Silva Araújo, secretária do prefeito Roberto Peixoto, teriam sido brindados com quarenta dias de férias.

Nada contra a atemporalidade das férias. Afinal, quem trabalha tem direito a elas.

Contudo, fico com a sensação que as férias dadas pelo prefeito canastrão à sua secretária e ao engenheiro Marino Lucci, marido de Rosa Maria, vão além do simples cumprimento de uma norma trabalhista.

Não me consta que há férias de quarenta dias a não ser em casos especialíssimos, como se configura neste caso.

Coincidência ou não, Rosa Maria e seu marido saem de férias uma semana após seu nome ser incluído no polo passivo na ação civil pública impetrada pelo Ministério Público contra as bolsas de estudo concedidas por Peixoto nas eleições de 2008.

Ela integra o rol dos treze réus requeridos pelo Ministério Público para devolver ao tesouro municipal a bagatela de R$ 32.588.242,13 gastos com bolsas de estudo.

A ação foi ajuizada pelo Ministério Público sexta-feira da semana passada (09/03), sob o número 625.01.2012.005112-7, na Vara da Fazenda Pública de Taubaté.

A relação de réus no processo é extensa:

Ary Kara José
Ary Kara José Filho
Benedito Domingues França (Cabrito)
Diego Vogado
Felipe Flores de Alvarenga Peixoto
Jacir Cunha
Jose Benedito Prado (ex-secretário de Educação)
Luciana Peixoto
Maria Teresa Paolicchi (vereadora)
Roberto Peixoto
Prefeitura Municipal de Taubaté
Rosa Maria Moreira da Silva Araujo
Sonia Bettin

O sítio do Tribunal de Justiça de São Paulo não permite ao consulente conhecer a inicial da ação impetrada pelo Ministério Público.

É possível inferir que se trata de ação contra a cessão de bolsas de estudo em 2008, pois constam no polo passivo os nomes do prefeito Roberto Peixoto, Benedito Domingues França (Cabrito), Felipe Flores de Alvarenga Peixoto e Diego Vogado, todos envolvidos em processo-crime em tramitação no TRE.

Por falar em Tribunal Regional Eleitoral, é bom ressaltar que foi pedido vista no processo em tramitação naquele egrégio tribunal e a aceitação ou não da denúncia contra Peixoto e demais réus está temporariamente suspensa.