Páginas

quinta-feira, 8 de março de 2012

A VERDADE SEMPRE PREVALECE, JORNALISTA DALTON MOREIRA

O preâmbulo é necessário para o leitor entender o que se passa no jogo sórdido da política taubateana, no diz-que-diz dos bastidores que nunca chegam com clareza ao eleitor.

Não chegam Dalton Moreira, porque jornalistas como você interpretam os fatos políticos conforme desejam seus muitos chefes.

Eu não tenho chefe. Tenho minha consciência.

Sou obrigado a escrever este texto citando nominalmente seu nome porque não me escondo atrás do biombo da sugestão de nomes ou fatos nas entrelinhas de meus textos. Escrevo-os.

Sempre foi assim em minha vida profissional. Continuará sendo.

Não vou repetir aqui, por ser desnecessário, tudo o que lhe disse por telefone e repetirei a hora que você desejar, onde você quiser.

Pensei que nossa conversa houvesse sido útil, pois você mesmo afirmou que precisava ouvir aquilo que disse, que ficará entre nós.

Dalton Moreira, na minha conta você foi o jornalista mais importante da história do jornalismo taubateano.

Continuo te respeitando pelo seu passado, que foi brilhante.

Hoje você chafurda no mundo das víboras que o cercam, dispostas a lhe pagar trinta dinheiros para expor sua idiossincrasia política e análises políticas estapafúrdias, fora do contexto, como esta, que extraí de seu próprio blog: www.jornalinnoff.com.br.

Não aluda, portanto, a notícias plantadas neste blog para prejudicar este ou aquele grupo político.

Você me conhece há quarenta anos e sabe que jamais dobrei minha espinha para quem quer que seja. Minha independência não tem preço.

Um jornalismo sério é feito com verdades que muitas vezes são plantadas por grupos políticos ou econômicos em nossas redações. Cabe a nós, profissionais da mídia saber discernir o que é notícia ou o que é “plantação de discórdias” e outras coisas mais. Nem sempre – mesmo com os olhos de lince fixados na informação – algumas coisas acabam, infelizmente, passando pelo nosso crivo.

Recentemente o jornal In OFF (online) acabou caindo em uma arapuca articulada por políticos e jornalistas mal intencionados que tinham como alvo utilizar veículos de comunicação para desarticular o PMDB de Taubaté e ao mesmo tempo criar tumulto na administração do prefeito Roberto Peixoto (o grande líder político do PMDB)

Os fatos falam por si. O coordenador regional do PMDB, o ex-parlamentar Ary Kara José, amigo de longa data de Peixoto foi o pivô do que poderia ser mas não se concretizou como crise política. É o que queriam. Os rumores oriundos é que Kara estaria se articulando como secretário do Governo Adair Loredo para afastar Peixoto do processo sucessório. Mentira. O secretário nunca se reuniu em madrugas ou na calada da noite para confabular e tramar com Kara. Ao contrário, sempre considerou e considera “Peixoto como um grande líder do PMDB de Taubaté”.

O In OFF apurou que, na verdade, essas trombadas de notícias visavam criar uma situação politicamente delicada na administração Peixoto para desarticula-la e utilizar esse fatos na campanha eleitoral.

1) Jogar secretário contra secretário e envolver Peixoto nisso;

2) Dar a entender que Loredo é quem manda na prefeitura e não Peixoto. Mentira. Adair foi convidado por Peixoto para assumir a secretaria de Governo. Portanto, Peixoto é e sempre será o mandatário da administração.

3) Forçar o prefeito a lançar um candidato a seu sucessor apressadamente para queimá-lo na mídia e por tabela o prefeito também.

Na verdade esses três itens deixam muito claro que isso fazia parte de uma trama muito maior sendo que os jornalistas seriam simplesmente os utilizados numa manobra política de pessoas para desestabilizar – mais uma vez – ou tentar Desarticular o que está perfeito.

O que vocês vão continuar lendo por enquanto são besteiras ou como é dito na gíria poeira nos olhos para que você não veja realmente o que está acontecendo caro leitor. Portanto, fique atento.

Matéria exibida em 7/3/2012