Páginas

terça-feira, 24 de abril de 2012

JEFERSON CAMPOS PROCESSA INTEGRANTES DE REDE SOCIAL

Passei uma semana na casa de meu filho, a 800 quilômetros de Taubaté. Fui comemorar o segundo aniversário de meu neto. Pouca coisa mudou na vida política da cidade neste período, digo, entre 16 e 23 de abril.

Abro minha caixa de email em busca de novidades e descubro que pouco ou quase nada de novo aconteceu.

Melhor, aconteceu sim: o vereador Jeferson Campos (PV) entrou com representação contra integrantes de rede social por calúnia, injúria e difamação.

Os chamados crimes contra a honra, previstos nos artigos 138, 139 e 140 do CP.

Honra de quem vereador?

Não foi o senhor que denunciou Peixoto por improbidade administrativa só para fugir da responsabilidade de processar o prefeito canastrão?

Não foi o senhor que prevaricou ao não dar posse à vice-prefeita Vera Saba quando o canastrão estava no xilindró da Polícia Federal ao conseguir, via contorcionismo jurídico elaborado por assessores contratados a dedo pela Câmara Municipal?

Não foi o senhor que contratou um parecer jurídico de um escritório de advocacia especializado em fornecer pareceres jurídicos de acordo com os interesses do cliente para impedir uma sessão da comissão processante que pretendia afastar o prefeito do cargo para as investigações prosseguirem livremente?

Não foi o senhor que deixou seu compars... digo, seu companheiro de labuta Chico Saad (PMDB) levar o tal parecer para os advogados de Peixoto se socorrerem da Justiça, sempre célere em Taubaté quando se trata de defender o canastrão, e melar a sessão extraordinária?

Não foi sua esposa que subitamente deixou de ser uma reles funcionária concursada da Prefeitura para se transformar em gerente de área? Não quero dizer com isso que ela seja incompetente.

Fica claro que o cargo ocupado por sua esposa foi por merecimento. O senhor, vereador Jeferson Campos, trabalhou para isso. Seu esforço para manter o canastrão no posto de mandatário mor de Taubaté foi reconhecido.

Agora o senhor busca outro tipo de compensação. Recorre à Polícia para defender-se de críticas merecidas que o senhor recebeu.

Pode, sim, ter havido exagero nelas. Porém, ressalto que as críticas, exacerbadas ou não, retratam um momento de revolta dos eleitores taubateanos que se sentem vilipendiados por sua postura como vereador, decepcionante em todos os sentidos.

O senhor, vereador Jeferson Campos, foi um leão em seu primeiro mandato. Todos o respeitavam e previam um futuro político promissor  ao então combativo vereador.

O senhor sucumbiu!

Hoje lhe resta patrocinar festinhas em bares da periferia par angariar alguns votinhos entre os menos politizados.

O senhor quer lavar sua honra com ajuda da Polícia.

Nada disso seria preciso se o senhor cumprisse seu dever de vereador.

Aqui, o boletim de ocorrência registrado pelo vereador.




Aqui as declarações de Jeferson Campos no BO 1794/12.




Aqui a declaração de Jeferson Campos à Polícia Civil de Taubaté.




Aqui a declaração da esposa do vereador, Fabiana Feres.



Aqui a declaração do assessor Fábio Moutinho.



Aqui a portaria de nomeação/promoção da mulher de Jeferson Campos