Páginas

terça-feira, 29 de maio de 2012

CELSO BRUM ANALISA PRÉ-CANDIDATURAS DE MÁRIO ORTIZ (PSD) E POLLYANA (PPS)

No segundo artigo da série em que analisa o atual quadro político de Taubaté, o professor e sociólogo Celso Brum aborda as pré-candidaturas dos vereadores Mário Ortiz (PSD) e Pollyana Gama (PPS), aos quais tece elogios por suas atuações na Prefeitura e na Câmara Municipal. O artigo foi publicado pelo Diário de Taubaté.

Na opinião de Celso Brum, quem mais tem a crescer nestas eleições é a vereadora Pollyana Gama, que vê como a candidata da “hora da mulher” e pela contundência de seus discursos que apontam para a renovação nos costumes políticos de Taubaté.

Aqui, o segundo artigo do professor Celso Brum sobre as eleições municipais em Taubaté nesse ano

Dando sequência ao que iniciei na semana passada, continuarei a fazer algumas considerações sobre os atuais pré-candidatos a Prefeito.

Antônio Mario, o conhecido Mario Ortiz, é o pré-candidato pelo PSD, o partido de Gilberto Kassab. Que não tem nada a ver com o antigo PSD de Ulisses Guimarães, Tancredo Neves e Juscelino Kubitschek de Oliveira, todos de saudosa memória.

Este PSD é formado por políticos insatisfeitos em seus partidos, quase sempre à procura de uma legenda que lhes possibilitasse uma melhor aproximação com o poder dominante. É preciso reconhecer que Gilberto Kassab, fundamentado no “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”, conseguiu estabelecer uma força política que, se sair do estágio “colcha de retalhos” e passar a ser um todo com certa homogeneidade, poderá ocupar o antigo centrão.

Aliás, quanto à formação do novo partido, todos esperavam que fosse iniciativa de Aécio Neves, que parece estar acomodado num ostracismo que não faz jus ao seu famoso sobrenome e origem.

Voltemos ao Antônio Mario. Ele foi muito bom prefeito e tem sido bom vereador. Em sua administração, na Prefeitura Municipal, foi especialmente feliz no último biênio, quando se livrou definitivamente da influência do seu antecessor, o Sr. José Bernardo Ortiz.

Antônio Mario teve o especial mérito de enxergar o futuro. Ele percebeu o que era – e continua sendo – óbvio: o extraordinário potencial turístico de Taubaté e as imensas possibilidades que isso pode proporcionar, na criação de empregos, na melhoria das condições de vida dos taubateanos, no aumento da arrecadação de impostos em consequência da ampliação das atividades comerciais e outras ligadas aos serviços em geral. Para quem duvide, é só tomar como exemplo cidades que desenvolveram o turismo e ver como essas cidades possuem ótimas condições de vida para seus munícipes.

É evidente que Antônio Mario, como prefeito, teve uma atuação importante no campo da saúde, da educação e dos serviços urbanos, etc. Mas seu principal mérito foi enxergar esse potencial turístico tão claro, tão nítido, tão evidente. E teve o cuidado de preparar a cidade para este grande salto de qualidade. E foi no último biênio de sua administração que contratou uma mpresaespecializada (a Torres & Baldacci, se não me falha a memória) para produzir um projeto visando o aproveitamento do potencial turístico de Taubaté. Esse projeto seria posto em prática no mandato seguinte, caso Antônio Mario fosse reeleito. Antônio Mario não foi reeleito e seu sucessor, o Sr. José Bernardo Ortiz, jamais se referiu ao projeto.

Como Antônio Mario pensava grande, declarou de utilidade pública, para fins de desapropriação, uma grande área (mais de 300 alqueires) situada entre as rodovias Dutra e Carvalho Pinto, onde pensou em propor a instalação de um parque temático sobre Monteiro Lobato e seus personagens e, que eu saiba, tomou a iniciativa de fazer contato com os detentores dos direitos autorais sobre os personagens lobateanos.

Sempre vi em Antônio Mario alguém capaz de pensar grande. Mas, Antônio Mario vai ter ou está tendo dificuldades quanto à sua candidatura, das quais a principal é o tempo do seu partido no rádio e na TV. Há um julgamento em curso no TSE: se o resultado for contrário ao PSD, o seu tempo será pequeno para uma competente exposição de planos e projetos para a cidade, ainda mais que os outros concorrentes terão ao seu dispor tempo abundante e mais que suficiente.

Pollyana Gama é a candidata do PPS e é a candidata “da hora e da vez da mulher”. Tem sido uma vereadora atuante e apareceu na mídia com intensidade no processo de cassação de Roberto Peixoto. É fácil de perceber que ela tem um grande espaço para o crescimento de sua candidatura junto à classe média clean, muito especialmente clean. Ela teve uma ação muito especial junto à classe dos professores municipais e uma atuação importante na conquista do Estatuto do Magistério e de melhores salários.

Pollyana tem um discurso afiado, o que se pode ver na entrevista dada ao jornal Contato desta semana, em que ela analisou os acontecimentos atuais, deixando claro os seus pontos de vista.
Há um fato muito significativo na referida entrevista, quando ela anuncia a possibilidade da coligação do PPS com o PSD, o que resultaria numa chapa muito forte, imaginando-se que ela possa ser a candidata a vice-prefeita de Antônio Mario. No entanto, o que se tem, no momento, é a candidatura de Pollyana à Prefeitura Municipal e esta é uma candidatura muito significativa e com chances nada desprezíveis.

Pollyana tem, como Antônio Mario, o grande problema da falta de tempo no rádio e na TV, o que é, para os marqueteiros, um problema crucial.

Os eternos otimistas irão imaginar que o TSE concederá ao PSD o tempo que o PSD quer e, para completar, a Pollyana sairá candidata a vice do Antônio Mario. Tudo isso e o céu também.