Páginas

segunda-feira, 28 de maio de 2012

PIG E OPOSIÇÃO DESVAIRADA ARTICULAM NOVO 64 EM 2012: GOLPE EM ANDAMENTO

O Brasil é um país sui generis. Na Inglaterra, por muito menos, o magnata Rupert Murdoch foi obrigado a fechar seu jornal, o News of the Worl, e perdeu o controle que detinha sobre outras mídias por publicar matérias mentirosas, baseadas em grampos telefônicos ilegais.

Aqui, Roberto Civita, por meio da infame revista Veja, não se cansa de articular golpes e mais golpes contra governos trabalhistas democraticamente eleitos a partir de 2002.

Sob a mira da CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) do Cachoeira, a revista semanal da Editora Abril publica mais uma história inverossímil, já desmentida pelo ex-ministro do STF e do próprio governo Lula Nelson Jobim.

Segundo a Veja, Lula teria chantageado o ministro Gilmar Mendes para adiar o julgamento do mensalão em troca de uma possível blindagem na CPMI em andamento.

Nós, residentes no Vale do Paraíba, estamos distantes cerca de 1.100 quilômetros de Brasília.

Tudo o que se decide em Brasília respinga em nossas cabeças. Tudo o que se fala em Brasília vira assunto na mídia nacional.

O esquema é o mesmo. A Veja planta uma notícia, a Rede Globo (jornais e emissoras de rádio do grupo), a Folha, o Estadão e a Jovem Pan a repercutem, transformando-a em verdade.

Desta vez o Estadão não entrou no joguinho mórbido da Veja e no mesmo sábado (26/05) publicou o desmentido de Jobim sobre a reunião.

O sítio Consultor Jurídico anuncia na tarde de domingo no blog do tucanalha Ricardo Noblat que publicaria uma entrevista bombástica com o ministro Celso Mello, decano do STF, condenando a atitude de Lula.

Como assim, ministro?

O senhor julga uma hipótese e quer que acreditemos nela?

Para julgar o possível encontro de Lula com Gilmar Mendes e Nelson Jobim o senhor agiu tão rápido que me deixou desconfiado.

O senhor é ministro do Supremo Tribunal Federal, a mais alta corte da Justiça Brasileira.

O senhor não pode julgar uma ficção. O julgador precisa de provas e o senhor não as tem.

Estaria o senhor com medo da Veja? Seu colega Gilmar Mendes tem, com certeza. A revista é o ancoradouro seguro para suas aleivosias.

Se as afirmações atribuídas à V. Excia no blog do Noblat forem verdadeiras, o senhor me causa grande decepção e descrença na Justiça de meu país.

Como pode um ministro da envergadura de V. Excia dizer esta estultice?

Se ainda fosse presidente da República, esse comportamento seria passível de impeachment por configurar infração político-administrativa, em que seria um chefe de poder tentando interferir em outro.”

Sua responsabilidade jurídica não lhe permite emitir este tipo de opinião sobre uma possível conversa que ninguém sabe se houve de fato.

A irresponsabilidade e a associação do ministro Gilmar Mendes ao crime organizado (via Demóstenes Torres, Daniel Dantas e a Veja) é notória, fato sobejamente conhecido por quem acompanha a movimentação política deste Brasil varonil.

A Veja, desesperada ao ser flagrada pela PF em associação com o crime organizado, conta com o apoio da mídia golpista na cessão de espaços generosos para o boquirroto senador Álvaro Dias, líder de uma oposição desvairada, para tornar verdadeiras ficções urdidas nos porões golpistas.

Veja, Rede Globo e o resto do PIG ainda não desistiram de golpear a democracia trabalhista brasileira.

Não foi por outro motivo que o ítalo-argentino Civita foi escorraçado do país vizinho. Lá o golpe não prosperou.

Os 1.100 quilômetros que nos separam de Brasília não pode ser motivo para desistirmos de lutar e enfrentar os golpistas, que perdem nas urnas e querem ganhar no tapetão.

O mundo não está circunscrito a Taubaté ou ao Vale do Paraíba. O golpe em andamento atinge todos os municípios, todas as comunidades, indistintamente.

Preparemo-nos para responder aos nossos desafetos antirrepublicanos nas ruas se preciso for.