Páginas

quarta-feira, 13 de junho de 2012

BERNARDO TEM "NOJO" DE PREFEITOS QUE AJUDOU A ELEGER, MAS QUER MÁRIO ORTIZ

O ex-prefeito de Taubaté, hoje presidente da FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação), José Bernardo Ortiz, tem uma longa história política na cidade. O anacronismo do velho lobo pode ser sentido agora.

Os "inimigos" que ajudou a eleger prefeito no passado, quando era capaz de eleger um poste, causam nojo no velho caudilho, segundo suas próprias declarações em emissoras de rádio da cidade.

Responsável direto pelas eleições dos prefeitos Salvador Khuriyeh, Mário Ortiz e Roberto Peixoto, dos quais, pela lógica de suas declarações recentes, teria nojo, o velho lobo não conseguiu eleger o poste Ortiz Júnior, seu filho, de quem foi candidato a vice-prefeito em 2008.

Salvador Khuriyeh e Mário Ortiz foram bons e probos prefeitos. Peixoto conseguiu superar em ineficiência Waldomiro Carvalho e acrescentou um ingrediente: corrupção no governo municipal, tornando-se chefe de quadrilha, segundo denúncia do Ministério Público.

O velho caudilho Bernardo Ortiz corre atrás de apoio do vereador
Mário Ortiz, de quem diz ter nojo, para tentar eleger o filho Ortiz Jr
Bernardo Ortiz se irrita ao constatar que as criaturas foram melhores administradores que o criador porque não eram vingativas, não perseguiam funcionários municipais e procuravam fazer o melhor para Taubaté com os parcos recursos que dispunham.

Khuriyeh e Mário Ortiz não aceitaram ser manipulados pelo caudilho. Tornaram-se Iscariotes, personagem bíblico que teria traído Jesus, no linguajar cheio de mensagens subliminares do ex-prefeito.

Manipulador, Bernardo Ortiz sabia que o imaginário popular logo o alçaria à condição de traído por quem ajudou a eleger prefeito desta urbe. Bernardo se colocava, assim, no mesmo patamar de Jesus Cristo.

Numa época em que as comunicações eram frágeis – o Vale do Paraíba só tinha um jornal regional (ValeParaibano), não era difícil enganar a população, que assistia, embevecida, Bernardo Ortiz perseguir professores, demitir funcionários autoritariamente e transgredir todas as normas de convivência urbana em nome de uma moralidade que nunca existiu.

O caudilho taubateano tornou-se um carrapato do poder ao longo dos anos, o mesmo carrapato que criticava quando não havia a comunicação instantânea via internet, que hoje desmente em poucas horas os pronunciamentos e atitudes de certas oligarquias, como o clã dos Ortiz, por exemplo.

O caudilho/carrapato do poder tenta cooptar o vereador Mário Ortiz, por quem sente nojo, porque sabe que seu filho, Ortiz Júnior, não ganha esta eleição.

O velho lobo esquece que tem nojo dos ex-prefeitos taubateanos que ajudou a eleger. Espero que Mário Ortiz considere a expressão forte do velho caudilho como vitupério de alguém desesperado que vê o poder de outrora escorrer entre os dedos feito água.

Mário Ortiz sabe que seu futuro político está em jogo.

Pense, Mário, pense!