Páginas

quarta-feira, 6 de junho de 2012

COMANDANTE DO 5º BPMI ABRE IPM PARA APURAR AGRESSÕES A CIVIS EM TAUBATÉ

A major PM Eliane Nikoluk agiu rápido: instalou IPM (Inquérito Policial Militar) segunda-feira (04/05) para apurar a denúncia que circulou neste final de semana no Facebook de agressão militar a um civil ocorrida em um parque da cidade.

A comandante do 5ª Batalhão da Polícia Militar de Taubaté informou-me por telefone na manhã desta quarta-feira (06/05) que pediu a realização de exame de corpo de delito na vítima, mas que ela havia sido atendida clinicamente.

Os policiais acusados, com os quais já conversou, foram afastados do serviço de rua.

Major Eliane Nikoluk, primeira mulher a comandar
o tradicional 5º BPMI "General Salgado"
A fidalguia da major Nikoluk lisonjeou-me e surpreendeu-me positivamente.

Conversamos por cerca de 15 minutos ao telefone.

Tempo suficiente para entender porque a major Eliane Nikoluk é a primeira mulher a assumir o comando de um batalhão policial no Vale do Paraíba.

A major PM é doutora em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública formada pelo Centro de Altos Estudos de Segurança Pública “Coronel PM Nelson Freire Terra”.

A qualificação da policial militar é um sintoma positivo para a sociedade. Mostra que a preparação profissional dos oficiais da corporação não está afeita somente à repressão. Antes, a preocupação é com a compreensão.

A major PM Eliane Nikoluk faz parte do grupo de jovens profissionais de segurança pública preocupados em estudar a violência sob o ponto de vista sociológico e não puramente repressivo.

Sua tese de doutorado, Diagrama de influxo de sensação de segurança, mostra os nossos medos com a violência e aponta saídas viáveis para superar este problema congregando polícia, governo e sociedade.

Abaixo, o artigo científico que ela publicou em 2011.

Recomendo sua leitura pela relevância da abordagem sociológica de um tema espinhoso que envolve toda ordem de atores: policiais, autoridades públicas, mídia (jornais, rádio, televisão, internet), populações à mercê da violência e a sensação que temos de segurança.