Páginas

segunda-feira, 18 de junho de 2012

COMENTÁRIOS ANÔNIMOS SÃO
PROBLEMA PARA BLOGUEIROS

Escrevo este blog há dois anos. Procuro ser transparente em meus textos quando critico ou elogio. Não fico em cima do muro quando emito minha opinião. Ao criar este espaço, pretendia provocar o debate político entre os internautas.

Os 232.677 acessos que este blog alcançou ao meio-dia e meia de hoje (18/06) provam, para mim, que o resultado é superior ao esperado. No mesmo lapso temporal publiquei 2.681 comentários de leitores que ora elogiam, ora criticam.

Administrar um blog não é como portar uma metralhadora giratória. Estou sujeito às penas da lei não apenas pelos meus textos, mas também pelos comentários que publico, sejam eles anônimos ou não.

Todos os comentários são lidos por mim antes de publicados. Isto significa dizer que a partir do momento que são publicados, a responsabilidade passa a ser minha perante as legislações penal e cível.

Pela experiência adquirida nestes dois anos como administrador deste blog, aprendi que muitos comentaristas anônimos não sabem como assinar seus comentários. Uns colocam o próprio nome no final do comentário. Outros não se dão este trabalho.

Sempre há aqueles que preferem o anonimato para expor suas críticas. Alguns com certa razão, outros por covardia.

Há os que agem na sombra para destilar seu fel contra um ou outro adversário político no afã de confundir o eleitor ou ameaçar um provável adversário mais forte ou mais querido pelos eleitores

Quem pretende denunciar, ofender ou criticar um candidato, que o faça com coragem. Exponha-se. Não critique detrás do biombo.

A crítica anônima revela opinião inconsistente e covarde. Sei que há exceções e as exceções serão publicadas igualmente.

Este blog publicará os comentários recebidos. Só pedimos transparência e seriedade dos comentadores.

Ofensas pessoais ou denúncias infundadas não serão abrigadas pelo blog. Se pretendemos elevar o debate político, não poderemos aceitar atos covardes de ninguém.

Agradeço a todos pela atenção, na certeza que o recado servirá para uma minoria insignificante de sabujos e serviçais.