Páginas

quinta-feira, 26 de julho de 2012

EXÉRCITO DE ORTIZ JÚNIOR
É BANCADO À CUSTA DA FDE

A Lei de Acesso à Informação (Nº 12.527, de 18 de novembro de 2011) está em vigor, o que significa dizer que qualquer cidadão pode requisitar de órgãos públicos informações de seu interesse.

Por exemplo: saber quantos funcionários residentes em Taubaté trabalham na FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação), presidida pelo ex-prefeito José Bernardo Ortiz, é um direito. Transparência é do que Ortiz menos gosta.

Acostumado a admitir e demitir funcionários ao seu bel prazer desde os tempos em que foi prefeito de Taubaté, Ortiz, o Velho, sempre se colocou acima das leis.

Subjetivamente, o ex-prefeito taubateano se comparava a Cristo quando chamava seus discípulos de Iscariotes, numa clara alusão ao profeta que teria traído Jesus Cristo, segundo os Evangelhos.

O beneplácito da mídia local e regional favoreceu Ortiz e seu maquiavelismo nos últimos trinta anos.

As demissões de professores, por exemplo, causaram a remoção da professora Pollyana Gama para trabalhar na zona rural. Ela não aceitou a imposição de Ortiz para assinar avaliações de professores que ela não havia feito.

A simples presença de Ortiz causava pânico em funcionários subalternos da Prefeitura. O medo de perder o emprego tornava-os submissos ao caudilho.

Empregados da FDE trabalham na campanha
a prefeito de Ortiz Júnior em Taubaté
O modo de agir de Bernardo continua o mesmo.

O governador de São Paulo o teme. Os funcionários que contratou para trabalhar na FDE o temem.

Ortiz continua desrespeitando as leis.

Ele não chama para trabalhar na FDE quem prestou concurso.

Ortiz prefere recrutar funcionários de empresas terceirizadas para exercer funções de competência dos concursados que ele não chama para trabalhar na FDE.

Tudo por conveniência política.

Os contratados são escolhidos a dedo.

Este blog enxerido conseguiu alguns nomes de funcionários nomeados por Ortiz Sênior para rechear o exército de apoiadores de Ortiz Júnior, candidato a prefeito de Taubaté:


Indiretamente, cada contribuinte taubateano ajuda a pagar os salários de funcionários contratados pela FDE para fazer campanha pelo candidato tucano à Prefeitura da cidade.

Douglas Siqueira – morador em Taubaté, cabo eleitoral de Ortiz Jr, contratado pela FDE via G&P (empresa que oferece mão de obra terceirizada)

Norberto de Almeida Ribeiro – morador em Taubaté, cabo eleitoral de Ortiz Jr, contratado via G&P (demitido recentemente)

Fernanda Ribeiro – apadrinhada de Paulo Maluf, teria sido contratada com salário de R$ 5 mil/mês em troca do apoio do PP à candidatura de Ortiz Jr em Taubaté.

Silvia Ribeiro – teria sido contratada pelo mesmo motivo e com o mesmo salário de sua irmã Fernanda Ribeiro.

Adriano (não obtive seu sobrenome) – contratado via BK (especializada em fornecer mão de obra terceirizada) para trabalhar como cabo eleitoral de Ortiz Jr na zona rural de Taubaté.

Alessandro Elias – morador em Taubaté, cabo eleitoral de Ortiz Jr contatado via G&P.

Abaixo, o artigo 1º da Lei de Acesso à Informação, que permite a todos os cidadãos obterem informações dos órgãos públicos, mais cópias de bilhete e de email enviados a Ortiz solicitando novas contratações pela FDE.

Art. 1º Esta Lei dispõe sobre os procedimentos a serem observados pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios, com o fim de garantir o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5o, no inciso II do § 3º do art. 37 e no § 2º do art. 216 da Constituição Federal.

Parágrafo único. Subordinam-se ao regime desta Lei:

I - os órgãos públicos integrantes da administração direta dos Poderes Executivo, Legislativo, incluindo as Cortes de Contas, e Judiciário e do Ministério Público;

II - as autarquias, as fundações públicas, as empresas públicas, as sociedades de economia mista e demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios.

TUCANOS IGNORAM SOLENEMENTE CONCURSADOS PARA FAZER NOMEAÇÕES POLÍTICAS

O secretário Adjunto da Secretaria da Educação, José Cardoso Palma Filho, em 9 de março deste ano, pede a Ortiz a contratação de Míriam dos Santos.

Veja o bilhete escrito de próprio punho pelo secretário adjunto.




Aqui, cópia do email de alta prioridade enviado a Bernardo Ortiz pelo secretário da Educação Herman Voorwald solicitando a contratação de três funcionários pela FDE.



O critério é político e atende aos interesses do PSDB em São Paulo e em Taubaté. Os salários variam de R$ 3,5 mil a R$ 6,5 mil.

A conta é paga pelos contribuintes.

Enquanto isso, Bernardo Ortiz posa de santo e Ortiz Júnior cuida da idolatria do pai em Taubaté. Belo exemplo para o candidato a prefeito desta urbe.