Páginas

segunda-feira, 2 de julho de 2012

POLLYANA APÓIA MÁRIO ORTIZ
POR COERÊNCIA E FIDELIDADE

A madrugada de sexta-feira para sábado foi indormida pela vereadora Pollyana. Reunida com as lideranças do PPS de Taubaté, a parlamentar discutia com o vereador Mário Ortiz qual dos dois disputaria a sucessão municipal em outubro.

No final da manhã de sábado (30) veio o anúncio: Pollyana desistiu de sua candidatura a prefeita para apoiar Mário Ortiz.

A decisão foi um choque para boa parte da militância do PPS, que se preparava para o embate político e apostava na vitória de Pollyana na disputa municipal..

Pollyana manteve a coerência em todos os momentos, até mesmo quando desistiu de sua candidatura a prefeita.

 Pollyana não será vice-prefeita em nenhuma chapa. Será candidata à reeleição e, quem sabe, grande puxadora de voto para a coligação PSD/PPS/PTN.

Pollyana apoia Mário Ortiz para prefeito e Rubens Freire vice
      De novembro do ano passado a esta data, quando seu nome passou a ser ventilado como uma possível candidata a prefeita, Pollyana jamais negou seu apreço pelo vereador Mário Ortiz e vice-versa.

      Em dezenas de entrevistas, Pollyana e Mário Ortiz falaram da longa amizade entre ambos, que remonta ao início da carreira da vereadora no magistério, como diretora de escola.

Pollyana manteve-se fiel aos seus ideais. Foi vencida pela força do dinheiro.

Com o tempo de televisão concedido ao PSD, Mário Ortiz ganhou mais de dois minutos de propaganda no horário eleitoral gratuito e mais força para dobrar a parlamentar.

Somados aos dois minutos que teria, Mário Ortiz terá pouco mais de quatro minutos para expor seu plano de governo.

A militância está desolada.

O rolo compressor de Mário Ortiz funcionou na manhã de sábado, após horas e horas de discussão. Mário vai para a campanha com tempo de TV e dinheiro.

Pollyana sai deste embate com a cabeça erguida, com a certeza que lutou até o final com honestidade de princípios.

O jogo político é bruto e foi jogado por Pollyana. Taubaté perdeu o jogo aos 45 minutos do segundo tempo com a desistência, diria forçada, de Pollyana.

Uma pena que o desfecho tenha sido este.

Tenho a sensação que os litigantes do segundo turno das eleições taubateanas estarão definidos pelos eleitores em poucos dias.

Não creio que haja surpresa e as pesquisas devem se confirmar.