Páginas

segunda-feira, 9 de julho de 2012

TODO POLÍTICO É CORRUPTO UMA OVA (2)

O pior da sociedade é a generalização. Todo político é corrupto é a mais comum dela. Estupefato, leio opiniões de intelectuais estigmatizando a classe política como se ela fosse o câncer da sociedade, a responsável por todos os males que nos afligem.

Afastamos, assim, a nossa responsabilidade de escolher bem quem se candidata a ocupar cargo público pelo voto direto e de fiscalizar as ações dos políticos que elegemos.

Ninguém assume a culpa por votar desmazeladamente. Preferimos bradar que nos países ditos de primeiro mundo o voto é facultativo.

Até a metade do século XIX, com um contingente inegável de emigrantes europeus e asiáticos, os americanos não tinham eleitores regulamente inscritos para eleger seus representantes.

A diferença, portanto, entre o primeiro mundismo e o terceiro mundismo brasileiro é abissal.

Somos de civilizações diferentes. A origem americana é saxônica. A nossa é africana.

Somos iguais na miscigenação: brancos com negros, índios com brancos, negros com índios e demais cruzamentos imagináveis.

O cenário não poderia ser melhor para o surgimento dos demagogos, aqueles que souberam interpretar nossa sociedade e tirar proveito, para si, de nossas diferenças sociais e raciais.

Taubaté ainda hoje vive sob o jugo do que restou das oligarquias rurais do século XIX, superadas ao longo do século XX pelos novos ricos que surgiram na cidade com a expansão comercial.

As vésperas da terceira eleição municipal do século XXI, espera-se que os eleitores saibam escolher o prefeito e os vereadores que nos tirem do atoleiro em que fomos jogados.

Não esqueçam que Peixoto é prefeito, até 31 de dezembro deste ano, pela força do apoio que recebeu de quem domina o cenário político taubateano nos últimos trinta anos.

Votar com responsabilidade, para prefeito e vereadores, é o nosso dever.