Páginas

segunda-feira, 30 de julho de 2012

VITO ARDITO TEM CANDIDATURA
A PREFEITO INDEFERIDA PELA JE

A Justiça Eleitoral indeferiu nesta segunda-feira (30/07) a candidatura de Vito Ardito a prefeito de Pindamonhangaba.  A denúncia foi feita pelo Ministério Público e acatada pela juíza eleitoral da cidade.

Quando apoiou Sandra Tutihashi em 2004, a candidata do PSDB à Prefeitura da cidade, o então prefeito Vito Ardito usou o centro comunitário do Pasin, um prédio público, para pedir votos para sua candidata.

A Justiça Eleitoral não aceitou a argumentação da defesa de Vito Ardito de que ele havia ido ao local na condição de prefeito e não na de presidente do PSDB.

A tese foi rechaçada pela Justiça e Vito Ardito foi condenado a pagamento de multa.

Sandra Tutihashi, pela infração, teve sua candidatura cassada.

Oito anos depois, Vito Ardito candidata-se a prefeito de Pindamonhangaba pela quarta vez.

O Ministério Público Eleitoral da cidade entrou com ação pedindo a impugnação do tucano.

A Justiça Eleitoral confirmou na tarde desta segunda-feira (30/07) a impugnação de Vito Ardito.

RECORDAR É VIVER

Para os eleitores mais jovens ou para quem nunca votou em Pindamonhangaba, a história a seguir vem bem a calhar.

Em 1992, há vinte anos, portanto, João Bosco Nogueira aparecia em todas as pesquisas como principal candidato a prefeito de cidade.

Vito Ardito apoiava para a sua sucessão Francisco de Assis Vieira – Chesco, que havia sido prefeito de Roseira e trabalhava na Prefeitura de Pinda.

Vito Ardito, como fez agora com Torino, pegou um partido de aluguel e entrou com ação contestando a candidatura de João Bosco.

O Tribunal Regional Eleitoral acolheu a denúncia. João Bosco perdeu a candidatura e teve 24 horas para retirar da cidade toda a propaganda política envolvendo seu nome. Foi impedido de fazer propaganda no rádio. Naquela época não havia canal de televisão em Pinda.

João Bosco recorreu. O TRE levou mais de um mês para devolver-lhe a candidatura. Era tarde demais. O estrago estava feito. Chesco ganhou a eleição e tornou-se prefeito de Pindamonhangaba entre 1993 e 1996

Vito Ardito voltaria à Prefeitura em 1997 e seria reeleito no ano 2000.

Falhou quando tentou apoiar Sandra Tutihashi em 2004 e sofreu acachapante derrota em 2008 para João Ribeiro.

Agora, o ex-prefeito de Pindamonhangaba perde a candidatura na Justiça Eleitoral.

Um justo castigo para Vito Ardito que sempre usou meios escusos para aniquilar seus adversários políticos.

Neste blog disse há uma semana que a situação de Vito Ardito na Justiça Eleitoral era complicada.

Escolado com tantos processos na Justiça, o ex-prefeito de Pindamonhangaba não estava visitando com tanta frequência a periferia, onde sempre se deu bem eleitoralmente.

Agora impugnado, Vito Ardito deverá recorrer ao Tribunal  Regional Eleitoral para tentar recuperar a candidatura.

O trâmite pode levar mais de um mês. O estrago na candidatura do tucano está feito.

FICHA LIMPA 

O pedido de impugnação do ex-prefeito de Pindamonhangaba foi feito pelo Ministério Público Eleitoral de Pindamonhangaba com base na Lei da Ficha Limpa. – Lei Complementar 135, de 4 de junho de 2010.


Art. 1º- Esta Lei Complementar altera a Lei Complementar nº 64, de 18 de maio de 1990, que estabelece, de acordo com o § 9o do art. 14 da Constituição Federal, casos de inelegibilidade, prazos de cessação e determina outras providências. 

j) os que forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão colegiado da Justiça Eleitoral, por corrupção eleitoral, por captação ilícita de sufrágio, por doação, captação ou gastos ilícitos de recursos de campanha ou por conduta vedada aos agentes públicos em campanhas eleitorais que impliquem cassação do registro ou do diploma, pelo prazo de 8 (oito) anos a contar da eleição; 

Vito Ardito deve estar se lembrando da casca de banana que jogou na estrada e derrubou João Bosco Nogueira, injustamente, em 1992.

Ele escorregou na mesma casca em 2004, quando foi condenado pela Justiça Eleitoral por fazer campanha em prédio público.

Escorregou novamente. Só que agora caiu deitado.