Páginas

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

DENÚNCIAS DE DJALMA SANTOS
SERÃO FACILMENTE COMPROVADAS

Ortiz Júnior caminha sobranceiro após dez dias de propaganda no horário eleitoral gratuito. As duas pesquisas divulgadas, uma pela TV Vanguarda e outra pelo jornal O Vale, deixaram os tucanos eufóricos.

Como se sabe a mídia, a regional inclusive, se faz de surda às denúncias feitas por Djalma Santos à IstoÉ, que ganharam caráter nacional pela amplitude da revista.

Imediatamente os tucanos trataram de desqualificar a reportagem, tratada como mentirosa.

Ortiz Júnior sabe que a matéria publicada por IstoÉ, baseada nas denúncias feitas por Djalma Santos, não é uma obra ficcional porque ele é parte ela.

Em entrevista à Rádio Cacique, o candidato tucano diz que a denúncia ao MP é do PT e teria caráter meramente eleitoral. Mente igualzinho ao pai.

A liderança do PT na Assembleia Legislativa levou ao conhecimento do MP as denúncias apresentadas por Djalma Santos pela robustez das mesmas.

Antes de formular a representação na 4ª Promotoria do Patrimônio Público e Social da Capital, a liderança do PT teve a pachorra de verificar cada um dos itens que compõem a denúncia de Djalma Santos.

Por que o orgulhoso caudilho taubateano, José Bernardo Ortiz, permaneceu duas segundas-feiras na cidade para se explicar nas rádios Metropolitana e Difusora?

Por que Bernardo Ortiz mandou carta a cada um dos vereadores para se justificar, uma vez que nunca se deu ao trabalho de explicar seu atos públicos?

O velho Ortiz não dá satisfação de seus atos nem para o governador de São Paulo, por que as daria aos vereadores taubateanos?

Resposta: Bernardo Ortiz sabe que as denúncias de Djalma Santos são robustas. O caudilho tem conhecimento que houve formação de cartel para a venda de quatro milhões de mochilas e engavetou a denúncia quando as recebeu.

Diante da inação do presidente da FDE, que sabia da participação de seu filho Ortiz Júnior nas negociações entre as empresas participantes do pregão, Djalma procurou a liderança do PT para revelar o que acontecia no bastidor da FDE.

Publiquei neste blog uma conversa por chat de Ortiz Júnior e Djalma Santos, na qual aquele lança ofensas ao deputado Padre Afonso, chamando-o de filho disso, filho daquilo, etc.

O exército tucano de prontidão nas redes sociais rapidamente tratou de desqualificar o chat porque Djalma Santos enviou a conversa gravada em seu aparelho Nextel para seu próprio email e as datas não batiam.

Djalma Santos possui um aparelho de telefone Nextel e Ortiz Júnior possuía um de outra operadora, ambos com o sistema Black Berry, através do qual conversavam por chat, como você conversa via Hotmail ou pelo próprio Facebook com seus amigos.

O Ministério Público tem à disposição o aparelho de Djalma Santos para a necessária perícia.

Se, como dizem os tucanos, a notícia veiculada pela IstoÉ é inverídica e as denúncias do empresário mentirosas, por que o tucano não move ação contra Djalma Santos e a revista?

Como se diz vulgarmente, quem tem, tem medo.

Na reprodução da entrevista abaixo, percebam que Ortiz Júnior tenta minimizar a denúncia de Djalma Santos.

No final da entrevista, Djalma Santos diz que foi procurado por Ortiz Júnior no início de 2011, para tratar de assuntos referentes à FDE.

Fica claro que Ortiz Júnior viu na FDE uma possível fonte para arrecadar fundos para sua campanha que se mostra milionária.

Ouça aqui a entrevista e desmintam a voz do tucano, se puderem.