Páginas

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

A FORÇA MÍTICA E DECISIVA DE LULA

Por Alacir Arruda
Sociólogo e Cientista Político

Dizer que o ex-presidente Lula acabou politicamente é, no mínimo, falta de bom senso.  Nas eleições desse ano ele demonstrou que está mais vivo do que nunca. Lula é um misto de “Midas”, “Juan Perón” com uma “pitadinha” de “Vargas”.

Midas, personagem da mitologia grega, foi rei da cidade de Frígia, tinha um filho chamado Litierses, que servia a ele como protetor (Litierses era conhecido como "Ceifador de homens", devido à sua fama de decapitar os inimigos). O principal mito atribuído a Midas, o de transformar em ouro tudo o que tocava, adquiriu um caráter simbólico e metafórico na sociedade contemporânea, sendo facilmente compreensíveis na nossa cultura analogias simbólicas como a de um "complexo de Midas”.

Lula se enquadra em pelo menos dois desses perfis. Tem um filho, que é seu braço direito (Lulinha), e todos os candidatos do PT que foi tocado por ele, se não venceram o pleito, foram para o 2º turno ou, na pior das hipóteses, cresceram 10% nas pesquisas. Uma outra característica do ex-presidente é a capacidade de reverter uma situação. Todos sabem que o Mensalão é uma mancha na sua história política e seus adversários investiram tudo na possibilidade de reduzir sua influência nessas eleições usando, justamente, o Mensalão.

Mas, para surpresa geral, mesmo com a condenação de vários integrantes do PT pelos Ministros do Supremo, o reflexo político foi insignificante. O PT foi o partido que mais recebeu votos nas eleições de 2012 em valores absolutos, cresceu 12% em relação às ultimas eleições e de quebra ainda corre o risco de governar a maior e mais rica cidade desse país: São Paulo. Ignorar esses números não é sinônimo de inteligência. Dizer que o Lula não contribuiu para isso é uma idiotice total.

Está mais do que provado que o homem Lula esta acima da sigla PT, o seu carisma é algo inexplicável. Em uma conjuntura absolutamente adversa, com uma onda de denúncias e acusações sofridas pelo seu partido, Lula conseguiu reverter um quadro cujo nem o mais otimista dos analistas poderia prever. Aliado a isso, a sua capacidade de arrebanhar multidões é outro fator que o diferencia.

Nunca antes na história desse país, (plagiando o próprio) houve um político com essa força. Talvez Getulio Vargas, no seu auge, pudesse ser alçado ao nível e esse nível.  Diante de tantos argumentos favoráveis, em face de sua capacidade de arregimentar, tomei a liberdade de fazer uma breve analogia com a grande Obra de Mario de Andrade “Macunaíma”, o nosso herói sem caráter.

Lula talvez seja mesmo aquilo que Mario de Andrade chamou de antítese do herói. Nasceu, assim como Macunaíma, “no fundo da mata virgem, era nordestino e filho da noite e do medo”. É isso, Lula realmente é o nosso anti-herói, nascido das profundezas, um homem rude que levou seu partido a maior votação da história desse país.