Páginas

terça-feira, 30 de outubro de 2012

ORTIZ NOMEOU PAPAI NOEL
NA FDE PARA MONTAR MÁFIA

O esquema montado na FDE  assemelha-se ao da Máfia. O capo di tutti capi era Ortiz Júnior,  com as bênçãos de Bernardo Ortiz. Júnior comandou o propinoduto da FDE auxiliado por Papai Noel.

O esquema rendeu-lhe a campanha a prefeito mais milionária da história de Taubaté. Eleito nas urnas, o tucano pode perder nos tribunais.

Como começou a história, você deve estar se perguntando.

Vamos a ela...

Em 2010, Ortiz Júnior foi apresentado a Cláudio Francisco Falotico, o Papai Noel, durante um comício do então candidato a senador pelo PSDB Aloysio Nunes.

A apresentação foi feita por José Arlindo Marcondes Cesar, ex-aluno de José Bernardo Ortiz na antiga Escola de Engenharia de Taubaté e diretor de Obras da FDE.

Em janeiro de 2011, Ortiz Júnior indicou Papai Noel para trabalhar na FDE. A sugestão foi aceita por seu pai, Bernardo Ortiz.

Enquanto Taubaté se mobilizava para tentar cassar o prefeito Roberto Peixoto, Ortiz Júnior se reaproximava de Djalma Santos.

O encontro da dupla foi promovido por Fernando Gigli, ex-chefe de Gabinete de Peixoto  e autor das denúncias que levaram ao pedido do prefeito canastrão. Ortiz Júnior reuniu-se com o empresário Djalma Santos na Padaria Dona Bella.

Ortiz Júnior, nos primeiros meses de seu pai na presidência da FDE, frequentava o órgão duas a três vezes por semana.

Papai Noel, com a experiência de anos trabalhados em empresas estatais no setor administrativo, era o encarregado de formalizar os encontros de Ortiz |júnior e todos os empresários que pudessem abastecer sua futura campanha a prefeito de Taubaté.

O Ministério Público abriu procedimento investigatório para apurar as denúncias de corrupção protagonizadas por Bernardo Ortiz e o filho Ortiz Júnior.

O balcão de negócios instalado na FDE, funcionou a contento para Ortiz Júnior.

O taubateano, ludibriado em sua boa fé, agora sabe o crápula que elegeu.

O Ministério Público Eleitoral de Taubaté pede a anulação dos votos obtidos por Ortiz Júnior..

A petição da Promotoria de Justiça é para ser lida e guardada como documento que conta a história política atual desta urbe quase quatrocentona.

Abaixo, a íntegra da petição.