Páginas

sábado, 17 de novembro de 2012

JOFFRE NETO, VOCÊ É TUCANALHA!

Você é tucanalha, tucano+canalha. Sua postagem no grupo Blog do Irani Lima foi fixada por mim e estará, portanto, visível para que seja acessada pelo maior número possível de internautas.

Quero deixar claro o canalha que você é, o tucano enrustido que existe em você, catão da Vila São Geraldo.

Você usou a Transparência Taubaté para se promover. Usou e ainda usa pessoas que acreditam na sua pregação moralista/imperialista.

Você, Joffre Neto, não passa de um lacaio dos Ortizes. Aceitou, enquanto presidente da Câmara, a entrega de uma construção porca (o novo prédio da Câmara Municipal) feita pelo seu senhor Bernardo Ortiz.

Não faço jogo rasteiro nem jogo para a torcida.

Quanto à tucanalha que frequenta o grupo Taubaté de Peixoto, nada mais natural que eles o aplaudam.

O aplauso de hoje, pode ter certeza, se tornará choro amanhã quando essa gente descobrir quem é o maquiavélico vereador eleito Joffre Neto.

Joffre Neto, você foi ecarafunchar minha vida pregressa e descobriu que tive um emprego público, de livre nomeação do prefeito, em Pindamonhangaba. Aliás, este foi o único emprego público por nomeação que tive ao longo de minha carreira.

Você sabe que não houve nada errado na minha gestão à frente da Fundação João Romeiro, mas a sua calhordice é tamanha que embaralhar informação para confundir tornou-se sua especialidade.

Como todo tucanalha, você quer fazer crer que o corrupto sou eu, quando você protege o verdadeiro corrupto que ajudou a eleger este ano.

Claro, você não disse e nem lhe interessava dizer, que em 2008 administrei uma verba inferior a R$ 600 mil durante doze meses - menos de R$ 47 mil por mês.

Com essa verba paguei o salário e os encargos trabalhistas dos funcionários concursados da Fundação João Romeiro; contas de água, luz e telefone, gasolina para o veículo do jornal e a impressão do jornal Tribuna do Norte, ao longo de 12 meses.

Você sugeriu que sou corrupto para desviar a atenção à crítica que lhe fiz por defender Ortiz Júnior, este sim envolvido em caso de corrupção, junto com o pai, na FDE.

Por que você protege os Ortizes? Que favores você deve a eles? Será pelo contrato/acordo que você mantinha com Ortiz Júnior para fazer pesquisas eleitorais semanais? Ou será pelos quatro computadores que você tem em casa? Você os comprou? Foi presente? Pelo que sei você não tem aposentadoria e está desempregado.

Quem me sustenta é o INSS, com quem contribui ao longo de 35 anos. E você?

TRIBUNAL DE CONTAS REPROVOU CONTAS DE IRANI

Irani Lima alem de jornalista tem fortes ligações políticas que lhe renderam um cargo cobiçado em Pindamonhangaba: a presidência da Fund. Dr. João Romeiro.

É uma fundação criada por Alckmin, quando prefeito, que salvou da extinção o jornal centenário (desde 1882) a "Tribuna do Norte" (esta região era considerada norte do Vale - dai "Aparecida do Norte").

SAFADEZA NÃO TEM LIMITE

A canalhice de Joffre Neto não tem limite.

A Fundação Dr João Romeiro foi criada pelo então prefeito Geraldo Alckmin em 1982, para salvar da falência o centenário jornal Tribuna do Norte. Eu mal havia iniciado minha carreira no jornalismo. Não participei da criação da Fundação.

A verba de R$ 554.512,92 que administrei em 2008 foi estabelecida pelo orçamento anual da Prefeitura, que é, na prática, quem mantém o jornal desde a criação da Fundação. que administrei em 2008, meu último ano na Funação, era anual. Ou seja, exatos R$ 46. 209,41 por mês, para pagar o aluguel do prédio ocupado pela Fundação, salários e encargos trabalhistas dos funcionários (concurados), gasolina, água, luz, telefone e a impresão do jornal.

A Tribuna, impressa na minha época duas vezes por semana pelo Jornal da Cidade (mais de cem ediçõe em um ano, portanto) custou, naquele ano R$ 170.452,80. Divida esse valor por cem, que é a média anual de impressões do jornal, e chegaremos ao custo de R$ 1.704,53 por edição.. Divida esse valor por cem edições e teremos R$ 1.704,53 para a impressão média de 2 mil jornais por edição.

O paralelo que traço é este: só em uma negociata, Ortiz Júnior (que Joffre Neto protege cegamente) teria recebido propina de R$ 1,7 milhão, segundo o Ministério Público, ou seja, um milhão de vezes mais que os R$ 1,7 mil que a Fundação pagava por edição da Tribuna do Norte.

O Jornal da Cidade imprimia a Tribuna do Norte porque venceu uma concorrência pública, da qual participou a Editora Imperial, de São José os Campos, que imprimiu a Tribuna por longos anos.

Maledicente, Joffre Neto sugere que o Jornal da Cidade venceu a concorrência por tecer severeas críticas ao prefeito João Ribeiro. Não chafurdo nessa lama.

Joffre Neto pinça frases do TC para sugerir que minha esperteza na presidência da fundação pode ser entendida como corrupção ou favorecimento.

Você, Joffre Neto, que vestiu a carapuça da tucanalha na TV Cidade, tergiversa para não responder sobre suas ligações com os Ortizes. Aliás, um amigo me disse que você é o filho que Bernardo gostaria de ter tido.

Você sugere que houve desvio de dinheiro em minha gestão, diga quanto, por favor. Quem não quererá saber quando dinheiro eu desviei? Por que o Tribunal de Contas não aponta nenhum valor? Por que a Câmara Municipal de Pindamonhangaba não meu processou?

Outra coisa, quando o caso-Verdurama apareceu na mídia eu não era mais funcionário da Tribuna havia dois anos. Por isso digo e repito, sua calhordice não tem limite. Você sabe muito bem que neste blog replicava matérias divulgadas pela mídia regional, mas isso não interessa a você.

Quem bancou sua campanha para vereador.? O Chico Oiringa deve saber... Isso sim interessa àqueles que caíram no conto do vigário de sua pregação moralista/imperialista.

Eu posso olhar para o rosto de meus amigos, colegas de trabalho e familiares e dizer: "Eu sou honesto! Posso bater no peito e bradar minha honestidade. Você pode?

Você foi honesto com a Transparência Taubaté?

Você foi honesto quando usou veículo e motorista da Câmara Municipal para cuidar de assuntos particulares em São Paulo?

O que você tramava com Bernardo Ortiz, a quem visitava constantemente no bairro do Bonfim, sempre com carro oficial e motorista? Era honesta essa atitude?

Aqui não é o roto falando do esfarrapado. Aqui é o Irani Lima, dono de uma moral inabalável, aposentado, que vive à custa do INSS. Não preciso dos Ortizes, como você, para sobreviver.