Páginas

terça-feira, 27 de novembro de 2012

PREFEITO ELEITO DE MARÍLIA É CASSADO
PELA JUSTIÇA ELEITORAL. E EM TAUBATÉ?

O uso abusivo do poder econômico e a utilização indevida das mídias sociais determinaram a cassação do registro da candidatura do prefeito eleito de Marília, Vinícius Camarinha (PSB), e do vice-prefeito eleito, Sérgio Lopes Sobrinho.

Nesta terra de Lobato, dominada pela velha oligarquia escravocrata, caudilhos e coronéis, as denúncias coligidas pelo Ministério Público Eleitoral contra o vencedor das eleições desse ano são muito mais graves. Por aqui, o aprendiz de caudilho, que atuou com desenvoltura no bastidor da FDE, continua driblando a Justiça Eleitoral e ainda não foi citado.

O tucano Ortiz Júnior, sufragado nas urnas por quase cem mil eleitores taubateanos, convencidos de suas “qualidades” pela propaganda eleitoral cinematográfica durante a campanha eleitoral, numa clara demonstração de poderio econômico, continua fazendo o jogo do gato e o rato com a Justiça Eleitoral.

O aprendiz de caudilho, que ainda não exibiu sua carteira de trabalho assinada por um empregador sequer, prometeu, em entrevista divulgada pelo jornal O Vale de domingo (25/06), que se apresentaria à Justiça para ser notificado do processo que pede a impugnação de sua candidatura.

O tucano não se apresentou à Justiça nem mandou seus advogados receberem a notificação judicial. Ortiz Júnior teria viajado a São Paulo, quem sabe, para aliciar possíveis testemunhas a serem ouvidas pelo Ministério Público d 4ª Vara do Patrimônio Público e Social da Capital, que apura denúncia de corrupção na FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação), envolvendo o prefeito eleito de Taubaté e seu pai, o velho caudilho José Bernardo Ortiz.

As manobras protelatórias de Ortiz Júnior, que se escondeu da Justiça Eleitoral por mais de vinte dias para não ser notificado, surtirão efeito temporário. Ao trocar seus advogados, o tucano ganha mais tempo até apresentar sua defesa na Justiça Eleitoral.

A certeza da impunidade é o que move o esquema mafioso comandado pelo tucano. Seus mensageiros e sabujos (alguns bem conhecidos da população) pressionam os membros do judiciário: mandam recados e tentam promover um possível encontro do réu fugitivo com quem vai determinar seu futuro político.

Mais uma vez resta comprovado que Ortiz Júnior não cumpre em pé o que promete sentado. Prometeu na edição dominical d'O Vale, que se apresentaria segunda-feira (26/11) à Justiça Eleitoral. Não foi. Fugiu novamente.

Abaixo, trechos da matéria da repórter Talita Zaparolli sobre a cassação do prefeito eleito de Marília Vinícius Camarinha.

TALITA ZAPAROLLI
Direto de Marília

A Justiça Eleitoral de Marília, a 443 km de São Paulo, cassou o registro de candidatura do prefeito eleito no município, Vinícius Camarinha (PSB). Além disso, a decisão assinada pelo juiz eleitoral Silas Silva Santos torna o político e o vice-prefeito eleito, Sérgio Lopes Sobrinho (PSC), inelegíveis por oito anos. Atualmente, Vinícius ocupa o cargo de deputado estadual.

Camarinha recebeu 61.767 votos, o que representou 51,78% do total de votos válidos no município. As representações contra Camarinha foram movidas por dois adversários dele nas eleições deste ano: Ticiano Tóffoli do PT (23.311), candidato à reeleição e que ficou em segundo lugar no pleito com 19,54% dos votos; e Daniel Alonso, que ficou em terceiro, com 19,28% (23.004).

Ambas as representações foram movidas por abuso do poder econômico e uso indevido das mídias sociais, jornais e rádios. Vinícius Camarinha teria usado a imprensa para se promover e denegrir a imagens dos outros candidatos. Como as duas representações tratam sobre o mesmo assunto, a Justiça Eleitoral reuniu as duas para dar uma sentença única.

Na sessão da Câmara de Marília, realizada na tarde desta segunda-feira (26/11), o nome de Vinícius Camarinha foi exaustivamente criticado pelos vereadores que pediram a palavra. Entre os comentários estava o de um possível "domínio" do prefeito eleito sobre alguns veículos de comunicação na cidade, incluindo rádios e jornais, além da ligação dele com os demais órgãos de imprensa.

"A era do coronelismo está chegando ao fim em Marília", disse o vereador José Carlos Albuquerque (PPS) durante a sessão.

Qualquer semelhança com Taubaté não é mera coincidência!!

4 comentários:

  1. O Grupo Bandeirantes promoveu um encontro com prefeito eleitos de diversas cidades e capitais e pude notar a presença do prefeito eleito de São José dos Campos CARLINHOS DE ALMEIDA só não vi o "prefeito eleito" de Taubaté Ortiz jr.,por que será ? ESQUECERAM DE CONVIDA-LO !QUE FALTA DE CONSIDERAÇÃO COM O "MENINO". LASTIMAVEL !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser prefeito é trabalho e nosso "menino" não tem nenhuma noção do que é trabalho. Só iria num lugar desse se a mamãe ou o papai o levasse de carro. Afinal ele só tem 12 aninhos conforme foi retratado na propaganda eleitoral.Se o convidarem de novo,a mamãe vai prepararar uma mochilinha e o papai vai leva-lo. Certo ?

      Excluir
    2. Não esqueceram não, lá só FICHA LIMPA que podia entrar.

      Excluir
  2. Tem nada não, Irani. Vc está acompanhando a operação PORTO SEGURO da PF? Já chegaram ao MEC... daqui a pouco vão chegar à FDE e a Tté... Estamos perto de nossa redenção... Cuidem-se Ortizes! A Dilma está fazendo faxina... Tomara que a faxina chegue à Taubaté de Lobato também!

    ResponderExcluir

Não toleraremos comentários ofensivos ou discrminatórios