Páginas

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

O DESABAFO DA FILHA DE JAURÉS GUISARD

O depoimento da senhora Edna Guisard Thaumaturgo, a quem não conheço pessoalmente, infelizmente, não é somente uma lição de vida para os jovens e para quem se interessa pela história política taubateana.

Confesso minha emoção ao ler o texto/desabafo da filha do ex-prefeito Jaurés Guisard, que após administrar esta urbe quase quatrocentona teve a dignidade de trabalhar como balconista em uma loja da cidade. Um trabalhador comum, mas honrado.

O relato da senhora Edna Guisard Thaumaturgo é singelo e comovente. Brota de cada palavra escrita por ela uma força impressionante. Uma lição para todos nós que desejamos Taubaté verdadeiramente livre da corrupção.

Sem pedir autorização à missivista, a quem não conheço pessoalmente, repito, reproduzo o texto retirado do grupo Blog do Irani Lima.

Políticos da estirpe de Jaurés Guisar, Guido Miné e Juquinha, há muito deixou de existir nesta Taubaté, como bem lembrou José Diniz Júnior ao comentar a postagem que reproduzo abaixo.

Comovam-se com a carta-desabafo da senhora Edna Guisard Thaumaturgo.

Desculpem meus amigos. Depois da eleição pensei em falar só de amor, florzinhas bonitas, paisagens lindas, elogios a novas fotos do perfil dos meus amigos. Enfim ...cansei. Essa não sou eu. Eu sou a filha de Jaurés Guisard, um dos melhores prefeitos que Taubaté já teve. Político investigado e perseguido no período da ditadura, que ao largar o poder foi ser balconista e vendedor na Casa Fonque, loja que ficava no mercado, do Sr. Fondello. Não dá para ver tanta coisa acontecendo na nossa terra, que mais parece, como diz o nosso hino "dormindo em berço esplêndido" enquanto se vê a inércia do povo que se movimentou para ir às ruas, que acreditou que o Novo viria para resolver todas as coisas erradas de nossa terra. Ignorar é pior do que saber a verdade? Não é possível. É nossa terra, gente. Um jovem inexperiente que prometeu tanto mostrou-se um cara capaz, enganou A TODOS que nele confiaram. Procurem se informar, leiam, saibam dos processos que correm contra ele, afinal o suposto desvio feito por ele e o pai. É de no mínimo um desvio de mais de R$ 1.7000.000,00 (Hum milhão e setecentos mil reais). Não sou eu, simples professora de estudos sociais e história, formada pela Unitau que falo isso. Foi o Ministério Publico Eleitoral que denunciou. Em São Paulo também correm ações contra ele e seu pai por causa de supostos desvios na F.D.E. . Acorda Taubaté. Chega de passividade. Hoje a desonestidade e a corrupção estão tão difundidas que quase podemos dizer que corrupção e política andam juntas e são aceitas pacificamente pela população. Leiam, se informem, vejam conversem, ouçam outras pessoas para saber a opinião delas. Temos em
Taubaté excelentes jornalistas e blogueiros para vocês se interessarem em ler. Gente, vamos participar, é para o bem dos nossos filhos e netos. Pelo bem de nossa cidade. Chega de sujeira, chega de transformar a região de Taubaté, Tremembé e Pinda como um grande canteiro de presídios. Chega . Vamos nos movimentar. Chega de inércia. Agindo ASSIM VOCÊS DEMONSTRAM O AMOR A NOSSA TERRA. A educação tem que ser prioridade. Eu me lembro de que meu pai falava muito uma frase: “Eu prefiro ver os pés dos taubateanos empoeirados, mas a cabeça iluminada pelo conhecimento”. Desculpem o desabafo, mas é assim que eu penso.

AQUI, COMENTÁRIO POSTERIOR DA MISSIVISTA

Obrigada, amigos, e principalmente você Antonio Barbosa Filho pela profunda emoção que me causou ao fazer em seu comentário (LEIA AQUI) uma verdadeira homenagem ao meu pai. Ontem mesmo, falava para meu filho Wagner sobre a situação nossa de vida quando papai saiu da CTI e precisou depois vender a casa onde nasci, situada na Av. Armando Salles Oliveira, onde fica hoje a Biblioteca da Unitau,se não estou enganada e tínhamos uma babá ,que por sinal era a Alaide, irmã do Adilson Barbosa. Eu, com poucos anos de vida achava tudo lindo na nova casa, pequenina, com fogão a lenha, que meu pai cortava, minha mãe fazia tudo e eu, na minha inocência, achava uma maravilha, perto do Rio Paraíba, em Tremembé. Passados tantos anos , pude estudar e compreender melhor o idealismo de meu pai , a sua entrada na política, a sua realização como prefeito e depois deputado, não se deixando macular em sua honestidade e visão socialista. Nos tempos da ditadura, papai que tinha uma biblioteca volumosa e diversificada foi orientado por um anônimo amigo a queimar todos os livros encadernados em vermelho porque seriamos "visitados" pelos defensores da Ditadura. São lembranças que não esquecerei jamais. Desculpem , amigos por haver me estendido neste comentário. Obrigada a todos vocês , companheiros cujo ideal é comum. Resgatar a dignidade da política de Taubaté. Chega de querer se candidatar para levar "vida de príncipe" ou encher o bolso de dinheiro que deveria ser empregado em favor de uma Taubaté melhor.