Páginas

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

BERNARDO ORTIZ AGE COMO PREFEITO
E MANDA DEMITIR PAI ALESSANDRO

Quem ordena demissões e contratações na Prefeitura de Taubaté é José Bernardo Ortiz, o prefeito de fato. Quem obteve quase 100 mil sufrágios e se elegeu prefeito desta urbe quase quatrocentona apenas assente e assina as portarias.

Manda quem pode, obedece quem tem juízo. Ortiz Sr manda e Ortiz Jr. obedece.

Alessandro Jorge Machado, o Pai Alessandro, foi demitido da Prefeitura na segunda-feira (14/01). Com ele foi também Maria Cláudia Guimarães, que era lotada no gabinete do prefeito.

Pai Alessandro foi comunicado da demissão após ser ofendido por Bernardo Ortiz, o pai
Segundo a versão de Pai Alessandro, Bernardo Ortiz o procurou na rodoviária nova, onde fica a sede da Atucat (Associação dos Templos de Umbanda e Candomblé de Taubaté e Região), que preside, e o acusou, aos gritos, de tentar prejudicar a campanha de Ortiz Júnior à Prefeitura ao divulgar um vídeo que mostra o tucano recebendo passe no templo dirigido por ele.

Ainda segundo Pai Alessandro, o vice-prefeito Edson Aparecido de Oliveira (PSB) esteve no local perguntando sobre Cláudia, que era funcionária de gabinete do ex-prefeito Roberto Peixoto e trabalhava para a associação, para onde fora removida recentemente.

Bernardo Ortiz mão fez nada diferente do que se espera dele: vingar-se com a demissão sumária de quem ele julga ser seu inimigo ou adversário político.

O estilo Ortiz está de volta: subjugar os funcionários públicos municipais pelo medo, administrar com a chibata nas mãos.

Ortiz não obedece a nenhum critério técnico para demitir: basta imaginar que um amigo do primo em segundo grau do escolhido para ser demitido tenha votado em outro candidato.

Está chegando a vez dos professores. Ortiz Júnior disse aos jornais que há pelo menos 800 deles afastados por licença médica, de um total de cerca de 1.500.

Pelo critério de avaliação de Bernardo Ortiz, porque Ortiz Júnior não manda nem em seu gabinete no Palácio do Bom Conselho, professor considerado infiel ao clã Ortiz será sumariamente demitido, não importa se é concursado. O que vale é o julgamento pessoal do prefeito de fato, que é o manda-chuva do Bom Conselho.

Foi este critério que fez a professora Pollyana Gama candidatar-se a vereadora em 2004. Ela havia se insurgido contra o método do ex-(ou atual?)prefeito Bernardo Ortiz de avaliar e demitir professores da rede publica municipal, o que lhe valeu uma remoção para trabalhar na roça.

Ao anunciar que há 800 professores da rede municipal de ensino afastados sob licença médica, o prefeito que não manda sinalizou que haverá demissões no magistério. Esperem para conferir.

O funcionário municipal a ser demitido será substituído por outro igualmente nomeado. Bernardo Ortiz não está fazendo nada diferente do que já fez.

Taubaté está com tudo de novo, conforme  prometido em campanha.

Esta e outras informações você encontra em nossa fã page.