Páginas

sábado, 5 de janeiro de 2013

ELEITOR TAUBATEANO PODE SER
ALHEIO, MAS NÃO É AGRESSIVO

Aquele vidro que separa o plenário da Câmara Municipal de Taubaté da galeria, onde se acomoda o público (sempre pequeno), é vergonhoso para o legislativo taubateano, pois afasta o eleitor de seus representantes.

O esdrúxulo aquário deve ser removido pela Câmara Municipal
Aquário é para peixe e locutor de rádio não para vereadores, que devem se aproximar dos eleitores e não se afastar deles.

A Câmara Municipal de Taubaté talvez seja a única do Vale do Paraíba a manter o eleitor separado de seus representantes por um vidro, provavelmente à prova de bala, como se o público que assiste às sessões fosse agressivo.

Poucas vezes a galeria da Câmara Municipal fica lotada, porque não é toda sessão que tem projetos polêmicos a serem votados. O público vai quando seu interesse imediato está em jogo.

A Câmara lotou quando foi colocado em votação o pedido de Comissão Processante para apurar denúncias de improbidade do então prefeito Roberto Peixoto, em maio de 2011.

Público se manifesta democraticamente na Câmara em defesa
de Peixoto. Aquário afasta vereador do eleitor
Lotou novamente quando o mesmo Peixoto, em junho daquele ano, foi à Câmara apresentar sua defesa à comissão processante.

Voltou a ficar lotada na noite de 12 para 13 de agosto de 2011, quando os vereadores se reuniram para decidir o destino do prefeito canastrão, que foi absolvido.

As manifestações do público, de vaiar ou aplaudir os vereadores que pronunciavam seus votos, foram absolutamente normais.

Metade da galeria protestava pela condenação de Peixoto. A outra metade. queria a absolvição do prefeito canastrão.

O eleitor taubateano, de forma geral, é bem comportando.

Portanto, senhores vereadores, extingam o vidro da vergonha da nossa Câmara Municipal.

Aproximem-se de quem os elegeu para um mandato de quatro anos.

Esta e outras informações podem ser lidas em nossa fã page.