Páginas

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

CÂMARA APROVA NOVO SALÁRIO
PARA SECRETÁRIOS MUNICIPAIS

Na primeira sessão pós-carnaval, dez vereadores da base do futuro ex-prefeito Ortiz Júnior (PSDB) aprovaram o reajuste dos salários dos secretários municipais dos atuais R$ 9.116,00 para R$ 12 mil mensais. – 31,6% a mais no próximo holerite.

VOTARAM CONTRA o reajuste as vereadoras Pollyana Gama (PPS) e Vera Saba (PT) e os vereadores Alexandre Villela (PMDB), Joffre Neto (PSB), Noilton Ramos (PPS) e Salvador Soares (PT).

O reajuste foi APROVADO pelos vereadores Carlos Peixoto (PMDB), Diego Fonseca (PSDB), Douglas Carbonne (PCdoB), Jeferson Campos (PV), João Vidal (PSB), Nunes Coelho, Bilili (PSDB), Luiz Henrique Neneca (PDT), Luizinho da Farmácia (PR), Paulo Miranda (PP) e Digão (PSDB).

A vereadora Gorete (DEM) não participou da sessão e não votou Por quê?. A vereadora Graça (PSB), presidente da Câmara, só votaria em caso de empate. A vitória folgada pró-reajuste não exigiu seu voto.

DECEPÇÃO

Esperava-se que o vereador Rodrigo Luís Silva – Digão (PSDB), escanteado pelo candidato a prefeito tucano ao longo da campanha tivesse uma atitude de independência em relação ao governo municipal. Digão sucumbiu.

Outra decepção foi o vereador João Vidal (PSB), que votou a favor do reajuste de 31% para os secretários municipais e ainda saudou o “chefe” Ortiz Júnior pelos 100 mil votos obtidos na eleição municipal do ano passado para justificar seu voto.

Os vereadores Jeferson Campos (PV), Luizinho da Farmácia (PR) e Carlos Peixoto (PMDB) são governistas até debaixo d’água. A esposa de Jeferson Campos ocupa uma gerência na área de saúde da Prefeitura. Estará sempre ao lado do governo.

INCONSTITUCIONAL

Pollyana questiona na Justiça reajuste a secretários
Inconformada com a concessão do reajuste para os secretários municipais, a vereadora Pollyana Gama (PPS) acionou sua assessoria jurídica e estuda a possibilidade de entrar com uma Adin (Ação Diretqa de Inconstitucionalidade) contra a medida.

Há falhas no projeto enviado à Câmara pelo futuro ex-prefeito Ortiz Júnior. O reajuste não prevê o impacto que a medida causará na folha de pagamento do município, além de que os secretários municipais foram reajustados a menos de um ano. Além do mais, o projeto de lei não tramitou pela Comissão de Constituição e Justiça, antes de ser apreciado pelo Plenário.

Esta e outras informações você encontra em nossa fã page.