Páginas

domingo, 17 de fevereiro de 2013

JOFFRE TRAI BANCADA GOVERNISTA
PARA AGRADAR ESCRAVOS MENTAIS

O vereador desnecessário começa a provocar cisão na base governista por suas atitudes personalistas. O catão da Vila São Geraldo é signatário da proposta de reajuste salarial aos secretários municipais.

O projeto de lei só não foi aprovado no dia da posse dos novos edis porque um deles pediu vistas do processo, o que provocou o adiamento da votação.

Leia aqui, no sítio da Câmara Municipal, suculenta matéria a respeito da tramitação do projeto de lei, que acabou aprovado à semana passada, mas com efeito retroativo a 1º de janeiro deste ano.

Veladamente, parlamentares da base governista têm demonstrado descontentamento com o incoerente vereador Joffre Neto, que teria participado da reunião da bancada governista com o futuro ex-prefeito Ortiz Júnior e aceitado votar a favor da medida nitidamente antipopular.

Oportunisticamente, o vereador desnecessário votou contra o reajuste salarial para os secretários municipais quando ele mesmo havia proposto sua votação em janeiro, com o membro da Comissão de Finanças e Orçamento.

O projeto de lei foi assinado pelo vereador Jeferson Campos (presidente da Comissão), que votou a favor do reajuste salarial. O vereador Luizinho da Farmácia não assinou o documento, mas votou a favor do reajuste.

O voto desnecessário de Joffre Neto foi apenas um voto de ocasião, para que seus escravos mentais pudessem aplaudi-lo nas redes sociais.

Seus colegas governistas estão descontentes, sentem-se traídos. Joffre Neto teria prometido na reunião dos governistas com Ortiz Júnior que votaria pela aprovação do projeto.

No plenário, sabendo que seu voto não mudaria o destino do projeto de lei, que seria aprovado, o catão da Vila São Geraldo votou contra.

Escapou de ser incluído na bancada da vergonha instituída por internautas desta urbe quase quatrocentona.

O catão da Vila São Geraldo excluiu de sua pagina a homenagem de indignados cidadãos taubateanos aos vereadores que votaram a favor do reajuste salarial intempestivo.

Puro jogo de cena.

João Vidal, Digão, Nunes Coelho e outros cumpriram a palavra dada.

Joffre Neto nem para isto serve.

Abaixo a íntegra da lei 4.628, de 23 de março de 2012, que fixa o reajuste dos secretários municipais em R$ 9.116,00 a partir de 1º de janeiro deste ano.

Como se sabe, onze vereadores foram favoráveis a um novo reajuste para os secretários, que mal receberam o valor fixado para este ano e já gozam de um reajuste de 31,63%.

A vereadora Pollyana Gama deve impetrar mandado de segurança contra a medida. A tramitação é rápida justamente por se tratar de mandado de segurança.

Os transparentes da Transparência Taubaté ainda se lembram de quem é o juiz da Vara da Fazenda Pública de Taubaté?

LEI Nº 4.628, DE 23 DE MARÇO DE 2012
Projeto de Lei de autoria da Comissão de Finanças e Orçamento
Fixa o subsídio dos secretários municipais a partir do ano de 2013.
O PREFEITO MUNICIPAL DE TAUBATÉ
FAZ SABER que a Câmara Municipal aprova e ele sanciona e promulga a seguinte Lei:
Art. 1º O subsídio dos secretários municipais a partir de 1º de janeiro de 2013 é fixado em R$ 9.116,00 mensais.
Art. 2º A data da percepção do subsídio dos secretários municipais será a mesma da do pagamento da remuneração dos servidores da Prefeitura Municipal de Taubaté, sendo vedada a antecipação a qualquer título.
Art. 3º Fica assegurada aos secretários municipais a revisão anual dos subsídios no mesmo índice em que se efetivar a dos servidores públicos municipais.
Art. 4º As despesas com o cumprimento do disposto nesta Lei correrão à conta de dotação orçamentária própria.
Art. 5º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação oficial.
Prefeitura Municipal de Taubaté, aos 23 de março de 2012, 367º da elevação de Taubaté à categoria de Vila.
Roberto Pereira Peixoto
Prefeito Municipal
Este texto não substitui o publicado no Jornal "DIÁRIO DE TAUBATÉ"
dos dias 24, 25 e 27 de março de 2012.

 Esta e outras informações você enconrtra em nossa fã page