Páginas

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

TAUBATÉ, COM TUDO DE NOVO,
ESTOURA VERBA DA MERENDA

O ano letivo nem começou e a verba para a merenda da rede pública escolar já estourou. A matéria publicada na edição desta terça-feira (5) pelo jornal O Vale informa que o futuro ex-prefeito de Taubaté consumiu R$ 4 milhões dos R$ 12.060.000,00, com um contrato emergencial para a merenda escolar, ou seja, um terço da verba prevista para este ano.

O jornal joseense cita o despacho no valor de R$ 3.923.532.00 referente ao processo 4759/13, assinado pelo tucano Ortiz Júnior em 31 de janeiro e publicado no dia 1º de fevereiro. A beneficiada foi a empresa SHA Comércio de Alimentos Ltda, de Jacareí.

Despacho publicado dia 1º de fevereiro
Na edição desta quarta-feira (6), o Diário de Taubaté publica o segundo despacho, referente ao processo 4760/13, no valor de R$ 6.374.048,42, assinado dia 1º de fevereiro e publicado somente hoje.

Ora, 1º de fevereiro foi sexta-feira. A publicação poderia ocorrer no sábado, 2 de fevereiro, pois o jornal é publicado normalmente, inclusive com editais da Universidade de Taubaté e de algumas prefeituras da região como Santo Antonio do Pinhal, por exemplo.

Por que só hoje a publicação do despacho com valor maior? O que mudou de um dia para o outro? Aumentou o número de merendas a serem fornecidas? Expliquem-se!

Despacho publicado dia 6 de fevereiro
Curioso para saber qual empresa foi beneficiada? Acertou! Ela mesma, a SHA Comércio de Alimentos Ltda.

Santa coincidência!”, diria Robin para seu parceiro Batman.

O futuro ex-prefeito de Taubaté deve ter aprendido a lição “como enganar o povo” no curso de gerência de cidades da Faap, na Capital.

Prestem atenção: o primeiro despacho foi assinado dia 31 de janeiro e publicado no dia seguinte - 1º de fevereiro. O segundo despacho foi assinado sexta-feira (1º) e publicado nesta quarta-feira (6).

Por que tanto tempo entre uma publicação e outra se os despachos foram assinados pelo prefeito praticamente no mesmo dia e os números são sequenciais.

A repetição se faz necessária porque  um despacho é de número 4.759 e o outro é 4.760. Entre um e outro há um acréscimo de 61,55% (sessenta e um por cento).

Some R$ 3.923.532.00 mais R$ 6.374.048,42 e chegue à fantástica soma de R$ 10.297.583,42.

Ou seja, 61,55% de diferença a mais. Sem contar que 85,3% da verba total para a merenda escolar foi detonada em apenas dois contratos. 

Este é o valor que a SHA abocanhará da Prefeitura de Taubaté sem precisar disputar licitação. A verba está empenhada.

A Transparência Taubaté vai se insurgir contra o futuro ex-prefeito? Ou não há mais transparência?

Ortiz Júnior precisa esclarecer a mágica. Com apenas dois contratos ele acabou com a verba da merenda escolar?

Futuramente novas licitações serão feitas. A que custo para o tesouro municipal ninguém sabe.

A vereadora Pollyana Gama (PPS), presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal, terá muito trabalho pela frente.

Esta e outras informações você encontra em nossa fã page.