Páginas

sábado, 23 de março de 2013

ORTIZ JR DIZ NÃO AOS TRABALHADORES

Isaac do Carmo, sindicalista

Ex-candidato a prefeito de Taubaté e presidente do Sindicato dos Metalúrgicos critica o futuro ex-prefeito desta urbe quase quatrocentona por não ceder a Avenida Professor Walther Thaumaturgo para a festa dos trabalhadores no dia 1º de maio.

Há um componente político na decisão do alcaide em não ceder um espaço público para a manifestação dos trabalhadores. Afinal, Isaac do Carmo I(PT) foi adversário de Ortiz Júnior (PSDB) no segundo turno das eleições municipais.

O outro componente é técnico, mas esse O tucano não pode admitir. O excesso de peso sobre a Avenida do Povo pode fazê-la afundar de vez, por conta da obra meia boca comandada pelo mestre de obras meia boca na canalização executada no local.

A Avenida do Povo pode afundar a qualquer momento, como afundaram ruas no Parque Três Marias e na Santa Clara.

O texto do sindicalista foi publicado na página 2 de O Vale deste sábado (23).

"O prefeito tucano de Taubaté, Ortiz Junior, acaba de dar mais uma prova de que na agenda de seu governo não existe espaço para o diálogo e relacionamento com a classe trabalhadora.

Nesta semana, fomos surpreendidos pelo prefeito, que de forma inesperada e sem maiores explicações, negou o pedido de liberação da Avenida do Povo para a realização da tradicional festa de 1º de Maio em comemoração ao Dia dos Trabalhadores promovida pelo Sindicato dos Metalúrgi-cos de Taubaté e Região.

A comemoração do 1º de Maio na Avenida do Povo é realizada pelo Sindicato desde 2009, quando a entidade comemorou seus 50 anos, e durante estes anos foi um espaço não só de festa e de shows, mas também uma tribuna de reflexão e diálogo com a Classe Trabalhadora sobre suas pautas de reivindicações e suas lutas, sendo que em 2012 o evento chegou a reunir 50 mil pessoas.

Pautado no mero revanchismo, no ódio e na perseguição política a seus opositores, o prefeito Ortiz Junior negou solenemente não somente ao Sindicato, mas à Classe Trabalhadora de Taubaté e Região, o direito de celebrar o 1º de Maio e tudo que ele representa ideologicamente para os trabalhadores e para suas representações de luta organizadas.
Ortiz Junior mostra dessa maneira que segue à risca a cartilha política de Bernardo Ortiz, marcada pela "mão de ferro" contra aqueles que se opõem a ele politicamente e pela indiferença aos trabalhadores e suas organizações, sindicatos e entidades de classe.

Falta ao prefeito a postura republicana, quando deixa que a mágoa política fique acima do respeito às organizações da sociedade civil e seus representantes eleitos de forma democrática. Enquanto presidente da maior entidade sindical da CUT no Vale do Paraíba, lamento e repudio de forma veemente a decisão do prefeito Ortiz Junior, e afirmo aqui que o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região vai buscar os meios legais para a realização do 1º de Maio na Avenida do Povo.

O prefeito Ortiz Junior não pode simplesmente virar as costas para a Classe Trabalhadora, e negar ao povo de Taubaté o direito de comemorar o 1º de Maio com aqueles que representam os trabalhadores e levantam diariamente suas bandeiras de luta, por melhores condições de trabalho, pela redução da jornada de trabalho, pelo fim do Fator Previdenciário, e outras pautas que as pessoas que realmente são trabalhadoras conhecem e militam pela sua concretização em nossa sociedade.

Já nos primeiros dias de seu mandato em janeiro, Ortiz Junior mostrou como seria sua relação com os trabalhadores em Taubaté, e contradizendo tudo que havia dito enquanto candidato a prefeito, demitiu servidores municipais e promoveu uma verdadeira caça às bruxas na Prefeitura, tendo a supervisão da figura onipresente de seu pai Bernardo Ortiz como uma espécie de feitor.

Logo após as demissões a título de ordenação financeira da Prefeitura, Ortiz Junior mais uma vez nos surpreende, desta vez com o projeto de sua bancada de vereadores para o aumento do salário dos secretários, atitude contraditória e inconsequente com o momento de ajuste das contas municipais e com os servidores que foram demitidos.

Lamentamos a triste postura de Ortiz Junior que mais uma vez demonstra sua indiferença aos trabalhadores, e reafirmamos aqui que a Classe Trabalhadora não ficará sem o 1º de Maio, data esta que mais do que nunca terá em nossa cidade cores de luta e de mobilização contra a tirania e o ódio que infelizmente governam a cidade de Taubaté."